-- ------ A “traição” do Zidane jordaniano - Alambrado - Bom Futebol
Bom Futebol

A “traição” do Zidane jordaniano – Alambrado

A “traição” do Zidane jordaniano – Alambrado

Conheça a história de Tha’er Bawab, que passou por Real Madrid e Barcelona

No início da última década, surgia uma geração que encantaria nas categorias de base do Real Madrid. Nos campos da Fabrica, como é conhecida a cantera do clube merengue, um quarteto muito competente arrasava os adversários. O mais famoso hoje, Juan Mata, driblava e armava o jogo com incrível capacidade. Ao lado dele, Granero e Valero demonstravam classe incomum. Mais à frente, Negredo e Tha’er Bawab atormentavam os defensores.

Pelo Real Madrid C, obteve destaque e marcou dez gols em pouco mais de 30 partidas. Com muito prestígio, foi ventilada a sua presença até mesmo na equipe principal, algo que nunca aconteceu.O último mostrava muito classe para dar assistências, ao mesmo tempo em que concluía jogadas com muita categoria. Era uma espécie de Rivaldo do Real Madrid. Proveniente do Cornellá, o jordaniano chegou à Espanha em 2003 e logo se destacou.

No clube madridista, chegou a ser comparado com Zinedine Zidane. Alto e esguio, talvez tenha sido tamanha classe a fazer com que fosse colocado em um patamar tão alto.

A “traição”

Porém, o conto dos sonhos em Valdebebas chegou ao fim em 2007. E não foi de forma feliz. Já aos 21 anos e sem chances sequer no Real Madrid B, o atleta tomou a decisão de voltar à Catalunha, onde passou a infância. Diferentemente de antes – quando atuou pelo Cornellá -, o destino do atacante agora seria o arquirrival, o Barcelona B. Uma transferência polêmica e controversa.

Apesar de chegar com status, Tha’er Bawab não convenceu no clube culé. Foram apenas três gols e muitas dificuldades para se firmar no time titular, que já contava com Busquets e Bojan.

Após a passagem sem êxito pelo Barcelona B, Bawab iniciou um tour por clubes pequenos da Espanha. Em três anos, passou sem muito sucesso pelo Hospitallet, Alfaro e Moratalla. Eis que uma mudança de rumo era necessária.

O artilheiro dos gols bonitos em solo romeno

Aos 25 anos, surgiu a chance de ir para a Romênia. Primeiro, passagem rápida pelo Gloria Bistrita – o suficiente para chamar a atenção do Gaz Metan e acertar contrato em 2011.

E foi justamente ali que ele alcançou o seu auge. Virou ídolo e demonstrou todo o potencial que cativou Real Madrid e Barcelona. Foram três anos de muitas jogadas de qualidade e gols. Em 2014, acertou sua ida para o CSU Craiova, onde permanece até hoje. Ele ainda passou pelos dois grandes da capital. Hoje, atua no Concordia Chiajna.

Apesar de nunca ter alcançado o nível que prometia, uma das principais promessas do futebol jordaniano no século demonstrou em muitas partidas que poderia ter atingido um outro patamar. Pela seleção nacional, Tha’er Bawab marcou cinco gols em 20 partidas. Não cumpriu a promessa de ser Zidane, mas teve lampejos de um atleta acima da média que ainda busca crescer no futebol.

Autoria: Alambrado

Deixe o seu comentário

bomfutebol