-- ------ Análise ao FC Porto 2017-2018 de Sérgio Conceição - Bom Futebol
Bom Futebol

Análise ao FC Porto 2017-2018 de Sérgio Conceição

FC Porto de Sérgio Conceição - Análise

Análise ao Porto 2017-2018 de Sérgio Conceição

Sérgio Conceição trouxe um discurso diferente dos diversos treinadores do Porto nos últimos anos. Um discurso que, inicialmente, prometia um sinal de mudança e que veio confirmar-se neste início de campeonato. Todos conhecíamos Sérgio Conceição de outros tempos do Braga e do Vitória, um homem autoritário e que procurava ter um coletivo fortíssimo. Assim, a abordagem do técnico português no FC Porto teria que ser diferente porque o contexto é totalmente diferente aos dos anos anteriores. Nunca deixando de lado os princípios que o distinguiram até então, têm-se adaptado bem (com resultados) a um clube difícil e exigente. Têm promovido um jogar especial, de inteligência mas com algumas semelhanças ao processo de Benfica e Sporting.

Organização Defensiva

Desde o primeiro dia que observei o Porto, vi um Porto mais organizado e agressivo do que outrora e, sobretudo mais objetivo. Apresentado num 4-4-2 clássico, o Porto de Sérgio Conceição têm apresentado uma forte organização coletiva e muito capaz de lidar com todos os momentos do jogo. Seguramente, um Porto mais preparado para as dificuldades que têm tido e irá ter.

É em organização defensiva que a equipa de Sérgio Conceição se vai revelando mais forte aliando a forte capacidade individual dos centrais e de Danilo para vencer duelos, a uma forte dimensão coletiva. Gosto bastante da agressividade do pressing do Porto nos corredores e da pressão alta que exerce sobre o adversário.

Destaco,ainda,a forma como o Porto defende o corredor central. O Objetivo principal é não deixar que a bola entre no espaço dentro da estrutura.

O Porto de Sérgio Conceição é, sem dúvida, um Porto muito diferente, para melhor de outros anos. Linhas próximas e alas que defendem de forma articulada com médios centros. Médios que se movem em função dos espaços, e a proteger proteção o espaço nas suas costas. Será muito difícil marcar a este Porto 2017-2018!

Transição Ofensiva

Quando o Porto recupera a bola em Organização Defensiva e sai, para Transição Ofensiva é uma equipa fortíssima e que aproveita a velocidade dos Avançados para sair em ataque rápido. Uma transição feita, por norma, em largura e muito rápido a retirar a bola da zona onde a recupera. Têm sido, também, uma imagem de marca da equipa de Sérgio Conceição.

Ultimamente, Sérgio Conceição têm colocado Herrera nas costas de Aboubakar, mas os movimentos em largura continuam. Isto é conhecer e respeitar o modelo, apesar de Marega e Herrera serem dois jogadores diferentes, os movimentos são os mesmos!

Organização Ofensiva

Com Sérgio Conceição ao leme, o Porto é uma que se caracteriza por ser agressiva e objetiva, sempre com inteligência em cada decisão. É um Porto que ataca com muitos e coloca muita gente em espaços interiores, deixando a largura e profundidade para laterais.

Em relação à época passada, é uma equipa que procura jogar mais apoiada, mais paciente e sobretudo, com mais qualidade ofensiva. É uma equipa com mais qualidade ofensiva, porque todos são importantes e juntos, vão progredindo na construção. Além disto, o ir juntos para a frente favorece o momento da perda da bola, porque têm jogadores próximos para reagir à perda.

Na 1ªfase de construção, o Porto opta pela saída curta, com Danilo a baixar para o meios dos centrais para o jogo do Porto ganhar maior amplitude. Oliver à procura do espaço atrás da primeira pressão para receber de frente para a linha média adversária. Uma construção feita com qualidade, criando superioridades desde trás e com ligações por dentro, por fora e em profundidade.

Na 2ªfase de construção, laterais bem profundos e largos em cada corredor, Extremos bem por dentro a moverem-se nas costas da linha média adversária com ajuda de um dos avançados. Oliver a tornar-se preponderante no jogar do Porto com muita facilidade em posicionar-se mais recuado ou entrelinhas. E Brahimi…a surgir como o maior desequilibrado do campeonato!

Chegando a zonas de finalização (3ªfase), coloca muita gente dentro da área e a ser uma equipa muito agressiva a atacar as zonas (1ªposte,zona de penalti e 2ªposte).

Com bola, também têm sido um Porto fortíssimo e os números falam por si…

Transição Defensiva

A Transição Defensiva têm sido o ponto mais deficiente deste Porto devido a atacar com muitos e a deixar apenas, Danilo e centrais atrás obrigando-os a resolver inúmeras situações potencialmente perigosas. Contudo, é evidente o que Sérgio Conceição pede neste momento do jogo. Equipa perde bola e têm que ser fortíssima na reação à perda, reagindo e movendo-se para a zona da perda.

É um Porto que se têm preparado para ser competitivo e para lutar por títulos, aliando a capacidade individual de cada jogador a uma forte organização coletiva. Um Porto forte em todos os momentos do jogo, inclusive nas bolas paradas. Sérgio Conceição têm apresentado uma ideia que, juntamente, com a forma como passa a mensagem torna a equipa agressiva em todas as fases do jogo.

Deixe o seu comentário

bomfutebol
Cópia não permitida! Conteúdo protegido por direitos de autor.