-- ------ A Argentina já está na Rússia. E há algum tempo - Alambrado - Bom Futebol
Bom Futebol

A Argentina já está na Rússia. E há algum tempo – Alambrado

Argentina - Zenit

A Argentina já está na Rússia. E há algum tempo – Alambrado

Saiba quem são os jogadores que estão se destacando nos russos do Zenit

A Argentina quase ficou fora da Copa de 2018, na Rússia. Momento dramático para o futebol do país. Sofrido. Chorado. Porém, na mesma Rússia, mais precisamente em São Petesburgo, outra Argentina está bem. São os argentinos que jogam no Zenit.

No total, cinco jogadores da nação estão no clube, número que faz do clube um dos mais argentinos do continente. São eles: Matías Kranevitter (24), Leandro Paredes (23), Sebástian Driussi (21), Emiliano Rigoni (24) e Emanuel Mammana (21).

Em uma equipe tradicional e que investe muito nos últimos anos, o perfil dos argentinos contrasta com os jogadores russos do time. Com atletas mais experientes, os latinos levam juventude.

A média de idade do quinteto é inferior a 23 anos. Já a média do time é de quase 28 anos. Contratados nesta temporada, os cinco á mostram que podem ser úteis à equipe, cada um com sua característica.

Leandro Paredes

Mais caro e com maior destaque, Leandro Paredes chegou por mais de R$ 70 milhões. Meio-campista clássico, chegou da Roma para ser o cara da posição. Revelado pelo Boca Juniors, saiu d camisa 10 para brilhar recuado. Tem bom passe e cria muitas jogadas desde a meio-campo defensivo.

Paredes é titular do time. Das 18 partidas na temporada, fez 17. Já são três gols e três assistências. E confiança da torcida para comandar o time na temporada.

Mammana

O segundo mais caro foi Mammana. Um dos mais talentosos zagueiros que atuam na Europa desta geração, foi contratado por quase R$ 60 milhões para liderar a zaga. Mesmo jovem, já passou pelo Lyon, depois de sair do River Plate, clube pelo qual foi destaque.

O ótimo zagueiro tem 13 partidas na temporada. Titular, vem aprendendo bastante com Ivanovic, experiente defensor do clube russo.

Driussi

Driussi, da mesma geração de Mammana na base do River, é um atacante de muito talento. Técnico, habilidoso e que marca gol, foi um achado na Argentina. Pouco mais de R$ 50 milhões o tiraram do River. Potencial para aumentar muito o preço. E se destacar no Zenit.

Surpreendentemente, a adaptação de Driussi foi rápida. Entrou em 17 jogos na temporada, e marcou três gols. A habilidade chama atenção por enquanto.

Rigoni

Outro jogador que foi transferido diretamente da Argentina para os russos foi Rigoni. Atacante do Independiente, destacou-se pela velocidade e capaz de atuar pelas pontas. Tem a evoluir no futebol russo. Mais de R$ 30 milhões investidos.

Rigoni é o que menos jogou, até por ter chegado após os outros. Em seis partidas, fez dois gols e deu uma assistências. Números interessantes.

Kranevitter

Já Matías Kranevitter chega com um pouco mais de desconfiança. Volante defensivo, mas com boa qualidade com a bola, foi destaque no River Plate, mas não conseguiu agradar na Espanha. Nem mesmo Simeone conseguiu fazer com que se adaptasse. Pelo baixo valor, um pouco menos de R$ 30 milhões, a contratação foi ótima.

Titular ao lado de Paredes na maioria das partidas, disputa Kuzyaev a posição. São 11 jogos até o momento, e contou com a simpatia do técnico nos últimos jogos.

Com os argentinos, o Zenit mostra soberania na Rússia. Líder do campeonato nacional, são 12 partidas de invencibilidade – 28 pontos, com oito triunfos e quatro empates. Liga que deu certo. E pode melhorar.

Autoria: Caio Alves (Alambrado)

Deixe o seu comentário

bomfutebol