-- ------ Bolic, Lazaroni e a tristeza em Old Trafford - Bom Futebol
Bom Futebol

Bolic, Lazaroni e a tristeza em Old Trafford

Bolic, Lazaroni e a tristeza em Old Trafford

Relembre a partida em que o Fenerbahce ganhou do Manchester United, em pleno Old Trafford

Alguns feitos são difíceis de dimensionar. Com o tempo, as lembranças ajudam os participantes – coadjuvantes ou não – de relembrar o que aconteceu. Para o atacante Elvir Bolic, um momento foi especial em sua carreira.

O Bósnio foi um dos ídolos do turco Fenerbahce na década de 90. Centroavante de bom porte físico e técnica apurada, era dele a responsabilidade de fazer os gols de uma equipe que acabou um jejum incômodo de títulos.

Porém, mais do que o papel de protagonista no título turco a temporada 1995-96, além dos 64 gols em 145 partidas, ele fez o tento que espantou o planeta. Diante do Manchester United, no dia 30 de outubro de 1996, Elvir calou, de forma espetacular, o Old Trafford. Era a primeira derrota do Manchester em casa, em mais de 40 anos.

O choque foi causada pelas situações das suas equipes à época. O Manchester vinha em uma crescente com Alex Fergunson e contava com jogadores do calibre de Scholes, Beckham e Cantona. Além do que, na primeira partida da fase de grupos daquela Champions League, havia batido o Fenerbahce, com relativa facilidade, na Turquia.

Em casa, a expectativa era da confirmação da classificação para a próxima fase. Com a Juventus sobrando, a briga pela segunda vaga foi acirrada até o fim, muito em função do inesperado jogo de Old Trafford.

Um conhecido no banco de reservas

No banco de reservas, Sebastião Lazaroni era o comandando turco. O brasileiro vivia bom momento na Turquia, com goleada sobre o Galatasaray, seu principal rival – e em solo adversário – por 4 a 0.

Um mês depois, para enfrentar os poderosos ingleses, Lazaroni mandou a campo o mítico Rüştü Reçber no gol. A defesa foi formada por Uche Okechukwu, nigeriano que tinha bom poder defensivo, Jes Høgh, dinamarquês de ótimo nível, Saffet Akbas e Erol Bulut. No meio-campo, a principal posição do time, İlker Yağcıoğlu, Kemalettin Şentürk, Tuncay Akgün e o craque nigeriano Jay Jay Okocha formavam uma espinha dorsal de grande nível.

Avançados, Emil Kostadinov, da seleção búlgara, e Elvir Bolić, que já era convocado pela Bósnia na época. A qualidade da equipe era elevada, principalmente comparado aos times nacionais da época. Porém, diante do Manchester United, a missão era defender e aproveitar os espaços. E deu certo.

Um gol que marcou época

Após a pressão do início do jogo, O Fenerbahce foi ganhando confiança e atacando, principalmente com Okocha. Na defesa, Bulut e Rustu muito bem. A primeira etapa estava “boa”.

E não é que o Fenerbahce aprontou? Em contra-ataque, Bolic resolveu decidir sozinho e arriscou de fora da área. A bola desviou no defensor May e entrou sem chances para o goleiro Schmeichel. Era o gol da vitória histórica, aos 33 minutos do segundo tempo.

Com a pressão desordenada do time mandante, a equipe de Sebastião Lazaroni ainda poderia ter feito o segundo, mas a bola não entrou em cabeçada de Kostadinov na trave. Era a demonstração de poder dos turcos.

A invasão em solo inglês causou repercussão na só na Europa. Era um jejum sendo quebrado. Ninguém era capaz de bater o Manchester United em seu reduto. Bolic entrava para a página dourada do Fenerbahce com o gol. Era um feito muito grandioso.

A invencibilidade foi destruída, assim como a força do Manchester em casa naquela Liga dos Campeões. Quase um mês depois, a Juventus repetia o placar e conquistava mais uma vitória em Old Trafford. Naquela mesma edição, o Borrussia Dortmund ganharia pó 1 a 0 no estádio de Manchester e eliminaria o clube inglês nas semifinais da Liga dos Campeões.

Bolic marcou seu nome na história. Com o passar dos anos, a sua marca terá ainda mais repercussão. A dimensão vai ser refeita daqui uns anos.

Autoria: alambrado

Deixe o seu comentário

bomfutebol