-- ------ Cerezo no topo do bolo - Bom Futebol
Bom Futebol

Cerezo no topo do bolo

Cerezo no topo do bolo – Meiji Yasuda J1 League.

Depois de uma liderança provisória, finda com o acerto de calendário, o Cerezo Osaka assumiu o topo da liga nipónica no arranque da 2.ª volta, aproveitando da melhor forma o empate do campeão Antlers.

Sugimoto a celebrar o golo do triunfo sobre o Reysol. Fonte: Ken Ishii – JL/Getty Images para DAZN

A meio da semana realizaram-se dois encontros para o acerto de calendário.

Kawasaki Frontale 4-1 Urawa Reds

Surpreendentemente, o Frontale goleou o Red Diamonds. Abe e Kobayashi estão num notável estado de forma e combinaram para o 1-0 logo aos 16 minutos.

O segundo não demorou muito mais, com os de Saitama a revelarem-se imensamente frágeis pelo centro. Passe de Nakamura e desta feita é Abe a concretizar facilmente. À meia hora de partida já os da casa venciam por 2-0.

Makino reduziu de cabeça já dentro dos 20 minutos finais. Pairava no ar a possibilidade do Red Diamonds ainda empatar.

Uma grande penalidade já dentro dos últimos 10 minutos garantia novo avanço de dois golos ao Frontale.

Dois minutos depois, aos 84, é o jovem Hasegawa – a observar atentamente no futuro – que deslinda a oposição e apontar o 4-1 final. Era o Frontale a reduzir a desvantagem para a zona ‘continental’.

Gamba Osaka 0-1 Kashima Antlers

Campeão e ‘vizinho’ do Cerezo tinham um acerto que em caso de vitória os catapultava para a liderança, isolada no caso do Kashima Antlers, partilhada com o Cerezo Osaka para o Gamba.

Foram perto de 19 mil a assistirem na bancada ao renhido desafio.

As situações sucederam-se em cada baliza, tendo até o Gamba Osaka criada mais apuros.

É, contudo, um toque de campeão de Endo, numa pérola maravilhosa a enganar por completo a defesa e o guardião do Gamba, garante a vitória ao Antlers, que assim assome ao topo a meio da semana e avança para a 18.ª jornada como líder. A bola entra pelo único espaço possível e o voo de Higashiguchi é infrutífero.

Shimizu S-Pulse 2-0 Gamba Osaka

Acabou por ser uma semana de pesadelo para o Gamba Osaka. Não ascende à liderança, vê o rival Cerezo a subir à J1 e a liderar a competição e ainda perde dois encontros consecutivos.

A visita a Shizuoka foi custosa e fixou-se em nova derrota a zero.

Higashiguchi ainda adiou o golo, contudo no canto que se sucedeu uma enorme distracção defensiva permitiu ao S-Pulse o 1-0.

Ainda na primeira metade, novamente muita letargia defensiva do Gamba, Higashiguchi indeciso, a sair a destempo, e novo cabeceamento bem sucedido. Ao intervalo já estava a partida resolvida.

Sagan Tosu 2-3 Kawasaki Frontale

A sequência do Frontale prossegue, todavia a visita ao Sagan Tosu trouxe uma vitória bem suada, com remontada completa na segunda metade, de 2-0 para 2-3.

Uma grande penalidade deu primeira vantagem ao Sagan, ao passo que um cabeceamento perfeito do sul-coreano Cho dobrou esse avanço.

Taniguchi, na pequena área, aproveitou para reduzir para 2-1 aos 56 minutos, relançando o Frontale na partida.

Depois… surge o lateral esquerdo Kuruyama a fazer a diferença. Aos 25 anos é mais um futebolista a merecer avaliação atenta. Avança pelo seu flanco, ganha o duelo aos oponentes, centra bem e a passividade opositora permite que Elsinho também se limite a encostar para o empate.

Um centro como se pede ao lateral, a fugir aos defesas e ao guarda-redes, pedindo uma entrada fulgurante de um companheiro, observa Kobayashi a cabecear acrobaticamente e a colocar os visitantes na liderança aos 62 minutos. Em menos de 10 minutos o Frontale completava a reviravolta.

Urawa Reds 2-1 Albirex Niigata

Depois de quatro derrotas nos últimos cinco desafios da J1 League, o Urawa Reds necessitava desesperadamente de bater o ‘lanterna vermelha’.

A má fase prossegue e foi o Albirex a abrir o marcador. A falta de confiança defensiva é nítida e Koizumi deu uma frincha de esperança aos de Niigata, que parecem caminhar a passos largos rumo à J2.

Um grande remate do central Moriwaki embateu com estrondo na base do poste e o capitão Abe reagiu para o 1-1, tão festejado.

Morita não merecia tão pouca eficiência dos seus companheiros. O guardião visitante ainda pára de forma aparatosa a cabeçada de Rafael Silva, no entanto o brasileiro que, por sinal, trocou o Albirex pelos Reds em 2017 foi lesto na leitura e chegou para ele próprio recarregar e dar o triunfo aos da casa.

Omiya Ardija 2-2 Consadole Sapporo

Não foi por falta de apoio que os aflitos Omiya e Consadole se anularam a dois, mais de 42 mil estiveram no NACK5 de Saitama.

Omae, logo no começo do segundo tempo, abriu avanço aos donos do terreno. Gu ainda tentou parar o segundo, mas a falta de resposta da linha atrasada do Consadole permitiu a Esaka fazer o segundo. Aos 49 minutos tudo parecia se encaminhar para vitória caseira.

O Omiya ainda podia ter apontado mais um, contudo Gu opôs-se a contento.

Foi num livre soberbo que o central pela esquerda Fukumori reduziu para 2-1. As hostes visitantes animavam-se e celebravam.

Corria já o minuto 95, além dos quatro de descontos, quando Fukumori confirmou os seus dotes na bola parada. Novo livre, este até descaído para a esquerda, que não o favoreceria, e o central canhoto a igualar quando já ninguém o esperava.

FC Tóquio 2-2 Kashima Antlers

Também a dois empatou o campeão, resultado que relega a equipa novamente para a vice-liderança.

Hayashi ainda conseguiu negar a abertura do marcador para os visitantes, brilhando perante Mu Kanazaki, mas o ex-Portimonense viu Pedro Júnior surgir – em grande forma – e concluir mesmo para o 0-1.

Numa ronda carregada de bolas aéreas, foi igualmente de cabeça que Hashimoto empatou, em cima do intervalo.

Uma má execução no meio-campo, logo a abrir o segundo período, vê o nigeriano Utaka recuperar o esférico, avançar e ceder a Hashimoto, que bisa aos 47 minutos. O FC Tóquio dava a volta ao marcador.

Mais de 42 mil nas bancadas em êxtase.

Léo Silva ganha a bola em cima da linha de fundo, dá em Pedro Júnior e este não renega a possibilidade de bisar. O empate estava conquistado, mas a liderança perdida.

Yokohama F Marinos 1-1 Sanfrecce Hiroshima

Depois de tão boa sequência de resultados, antecipava-se um triunfo relativamente tranquilo para os da casa, face a um dos aflitos da J1.

A formação de Hugo Vieira tinha o primeiro encontro sem Martinus, a disputar a Gold Cup com Curaçao, mas novamente reforçada com o jovem Babunski depois do Europeu de sub21.

Iikura e Nakabayashi foram chamados bastas vezes a intervenções, num encontro bastante atrapalhado de parte a parte.

Uma excelente iniciativa na meia esquerda de Saito vê-o a posicionar a bola de forma perfeita para a zona de finalização, onde Hugo Vieira e Maeda, suplente utilizado, estavam, com o segundo a introduzir a bola a preceito na baliza.

Aos 81 minutos, finalmente, o F Marinos marcava e no estádio respirava-se de alívio pelos três pontos quase arrecadados.

Mas os forasteiros não desistiam. É novamente numa bola de ressalto, foram tantas no encontro, que acaba por surgir o tento do empate, pelo brasileiro Anderson Lopes.

Depois de uma bela sequência de triunfos o F Marinos voltava a empatar, já o Sanfrecce conseguia finalmente somar novo ponto.

Jubilo Iwata 1-0 Ventforet Kofu

Um golo bastou para o Jubilo somar o quinto triunfo de enfiada.

Kawabe com a sua bela visão de jogo a desmarcar Kawamata e bem perto dos 15 minutos este a marcar aquele que viria a constituir-se como único tento do desafio.

Vissel Kobe 3-0 Vegalta Sendai

O anúncio oficial da chegada de Lukas Podolski ao Vissel antecipava um encontro muito animado dos da casa… e assim foi. Vitória clara da equipa de Nelsinho Baptista, que tinha arrancado tão bem, mas afundou-se na tabela entretanto.

Mantém-se o futebol rendilhado dos de Kobe e foi desta forma que Mihara abriu o marcador.

É a partir de um alívio que nasce o segundo golo, no entanto este é mais uma prova da ‘escola’ que a equipa tem, soube temporizar, aguardar a subida em bloco, Mihara central, Ogawa bate, bola no poste, e o capitão Watanabe chega para concluir.

Nilton de cabeça, na sequência de canto, aponta o 3-0.

Cerezo Osaka 2-1 Kashiwa Reysol

A liderança estava em jogo neste duelo, com os anteriores líderes – recorde-se que à partida para o encontro já era o Antlers na frente – a se defrontarem pelo topo da hierarquia na J1 League.

Um centro longo de Cristiano e um voo de peixe de Taketomi deu a vantagem ao Reysol mesmo em cima do descanso.

Kim negou o 0-2 aos visitantes. Cristiano atirou ao poste. Dominava a partida o Reysol.

É uma completa balbúrdia defensiva que oferece a igualdade ao Cerezo Osaka, por intermédio de Sugimoto, a ter imensa presença de espírito dentro da área, mas numa bola que acaba por ser introduzida na própria rede por Otsu.

De seguida é Souza, na zona de penalti, a corresponder da melhor maneira ao cruzamento de Mizunuma e a dar vantagem ao Cerezo Osaka.

A equipa da casa vencia a celebrava a liderança à 18.ª ronda. Nada mau para um recém-regressado ao escalão maior. O Cerezo Osaka está na frente e não é à condição!

Deixe o seu comentário

bomfutebol