-- ------ O Código Carlos Pinto - Adepto Santa Clara - Bom Futebol
Bom Futebol

O Código Carlos Pinto – Adepto Santa Clara

As linhas orientadoras do “Código Carlos Pinto”

Uma nova linhagem de treinadores

O Código Carlos Pinto – Desde o pontapé no charco dado por José Mourinho, que o futebol português e consequentemente o treinador português, tem ganho uma nova vida. Apostar no que é nacional, tem sido quase sempre uma aposta certeira. Tanto é que nas duas ligas profissionais do futebol português só conseguimos contar um treinador que não é português, caso de Lito Vidigal, mais recente aquisição do Clube Desportivo das Aves.

Adiante, mais do que a aposta no treinador nacional, tem-se verificado por parte de alguns clubes uma aposta no jovem treinador português, o que pode parecer uma redundância mas não o é. No caso, falo em particular do Santa Clara. Depois da forte aposta na época passada em Daniel Ramos, que acabou por fazer furor no Marítimo, a equipa açoriana aposta forte em Carlos Pinto, homem experimentado no futebol português com um percurso em ascensão mas que tem sido destaque nestas primeiras jornadas da Ledman Liga Pro.

O jovem técnico já se estreou na Primeira Liga.

O percurso

Carlos Pinto, jovem técnico de 44 anos, tem um passado histórico e longo no futebol português. O médio que fez carreira em clubes como Paços de Ferreira, Chaves, Feirense e Tirsense, tem agora chamado para si o foco dos holofotes como treinador. Carlos Pinto é um dos treinadores mais carismáticos do futebol português, sem papas na língua, sem pudor em falar do futebol. Uma lufada de ar fresco que o futebol português precisava que acontecesse mais vezes.

O técnico conta com bons trabalhos ao serviço de Tirsense, Chaves, Tondela, Freamunde e Santa Clara. Apesar de já se ter estreado na Primeira Liga ao serviço do seu clube do coração, o Paços de Ferreira, o treinador decidiu regressar aos Açores, onde já tinha sido feliz. Esta temporada, com um projeto pensado desde o início pelo técnico e pela direção do clube açoriano, o objetivo passa pela subida e o técnico não tem andado muito longe disso, apesar de ainda estarmos numa fase precoce da época.

A tática

Tal como muitos outros (poucos)  técnicos do futebol português, Carlos Pinto não se esconde das palavras, não se esconde do futebol. Na Ledman Liga Pro, competição onde o clube açoriano ocupa o segundo lugar, o Santa Clara é a equipa mais concretizadora. A ideia de jogo do técnico passa por um futebol ofensivo, atraente, com muitas linhas de passe, com posse de bola mas com alguma vertigem ofensiva.  Há uma liberdade ofensiva que permite que jogadores como Osama, Santana, Fernando e Minhoca, consigam fazer emergir o seu maior talento, tendo sempre como máxima o futebol coletivo. Ou seja, apesar de haver organização ofensiva nesta equipa do Santa Clara, há liberdade para o portador da bola poder decidir aquilo que é a melhor para a equipa. 

Carlos Pinto tem a sua segunda passagem pelos Açores

Liderança

O Santa Clara, nesta temporada, só não fez golos num jogo, frente ao Porto B, algo que confirma a tese lançada acima. Mais do que as questões táticas, o técnico atribui muita importância a uma liderança forte. É possível ver que o técnico conta com a confiança de todos os seus jogadores e que defende cada um deles, até à morte . Aliás, esta liderança forte valeu algumas alcunhas, em tom de brincadeira, ao técnico, já que alguns dos seus jogadores lhe chamavam de “ditador”. Carlos Pinto aposta sempre em três máximas junto dos seus pupilos: caráter, humildade e trabalho.  

Numa altura em que a questão da liderança é amplamente debatida no futebol, vide o exemplo de Ancelotti, importa perceber a importância atribuída pelo técnico a este desígnio. O bom espírito de grupo também passa por aqui, por uma liderança forte e incontestável.

O técnico é conhecido por ter uma liderança forte.

O Discurso

O discurso de Carlos Pinto também merece ser alvo de análise. O técnico é bastante conhecido por dizer tudo aquilo que pensa e por falar, muitas vezes, com o coração junto da boca. O técnico quebra com os discursos estilizados, cheios de lugares comuns e de frases feitas, algo também muito debatido por esta altura, no futebol português. Importa falar do futebol e o futebol merece esse respeito.

Em traços gerais é este o “Código Carlos Pinto”. Com certeza teremos aqui um técnico, à imagem de Leonardo Jardim, Marco Silva e Paulo Fonseca, que conseguirá dar o salto para o primeiro escalão do futebol português e posteriormente para o futebol internacional. A qualidade está lá, assim surja essa oportunidade.

 

Deixe o seu comentário

bomfutebol