-- ------ Copa América Centenário 3.º/4.º - Bom Futebol
Bom Futebol

Copa América Centenário 3.º/4.º

A pequena final deu café

Apesar de ser um encontro que, em termos europeus, acolhe muitas críticas, naquela míope visão de um ganha e todos os outros perdem, ao invés do bem mais ancestral pódio olímpico, que glorifica mais um mas não esquece e honra os outros, na Copa América continua-se a disputar, é importante ser-se 3.º, estar no pódio final.

Assim, foram quase nulas as alterações de Colômbia e EUA para este desafio. Nos anfitriões há a despedida de Tim Howard da selecção, fazendo um derradeiro encontro, mas regressam todos os castigados das meias-finais, Jones, Wood e Bedoya, Orozco, solução de recurso aquando da expulsão de Yedlin, vê Klinsmann conceder-lhe a titularidade, novamente na lateral, com Besler a alinhar como central no lugar de Brooks. O lateral esquerdo Castillo não teve oportunidade alguma, o médio Perry Kitchen, de cobertura, e Nagbe também não.

Também Pekerman mantém a sua equipa titular, podia rodar o plantel, ver os jovens centrais novamente em acção, assim como os irreverentes Marlos Moreno e Roa na frente, o que reitera a ampla importância que é dada a esta partida.

1.1

O jogo arranca rasgado, algo intenso, com uma ou outra oportunidade nos primeiros 15 minutos, mas sem criarem real perigo às balizas de Ospina e Howard, mas logo baixa de ritmo, o habitual estilo ‘klinsmanniano’, esfriar, congelar o jogo em busca de um espaço. Os colombianos apresentam-se com mais vontade de abrir o marcador, mais posse, com Cuadrado e James bastante interventivos neste arranque de partida.

O ritmo do jogo a baixar e a rispidez a crescer, com entradas fora de tempo e excessivo apito.

Depois do desafio voltar a entrar no ‘eixo’, os EUA criam uma boa situação ofensiva é a Colômbia a ter uma brilhante jogada pela direita, Cuadrado dá em James Rodríguez, este coloca na área, bem perto da linha, onde surge o lateral Arías a desviar de cabeça, assistindo Bacca, que concretiza.

Boa resposta norte-americana mas Bedoya não consegue o melhor remate, isto depois de Jones ter falhado o remate dentro da área, que ressalta num colombiano e vai para Bedoya (curiosamente descendente de colombianos) que não finaliza da melhor forma.

Nova boa jogada norte-americana, Zardes domina, dá em Dempsey, este desmarca Wood, que recebe embalado, penetra na área, tem tudo para rematar, mas parece querer entrar com a ‘redondinha’ e acaba desarmado num excelente corte.

Jermaine Jones continua duríssimo, leva um amarelo em cima do intervalo após entrada no ar de cotovelo a Cuadrado, naquela que foi já a segunda ou terceira falta duríssima do médio de contenção germano-norte-americano. Jones remata, a bola é desviada pela cabeça de Arías e quase dá autogolo. A Colômbia está a cometer alguns erros bizarros defensivamente em cima do intervalo.

A direita colombiana continua a carburar muitíssimo bem. A formação ‘cafetera’ está a defender muito compacta, acantonada nos últimos 30 metros em bloco.

1.2

Ospina ganha asas aos 51 minutos num livre que já cantava golo por Dempsey. Que voo fantástico do guardião colombiano! O guarda-redes é mesmo eleito o melhor em campo.

Depois do pesadelo que foi a meia-final, Fabra tem dado conta da lateral esquerda, apesar das trocas entre Zardes e Wood. Cardona também está mais fixo no flanco em apoio.

Cuadrado tenta uma maravilha sobre Howard, bola na barra e no chão! Desenvolvimento pela esquerda, bola em James que dá no extremo direito para uma colherada que merecia golo. A Colômbia tem mais espaço, mas os EUA não desmoralizam. Wood atira ao poste da baliza de Ospina na resposta.

1.3

A partida volta a animar nos subúrbios de Phoenix.

EUA estão a pressionar, Wood volta a exagerar no individualismo, tem linha de passe aberta para Zardes e opta por forçar penetração pelo meio de três colombianos. Falta o critério a Bobby Woods para poder ser realmente um fora-de-série.

Cardona aparece ofensivamente nos últimos 15 minutos. Aos 81 remata para Tim Howard fazer um voo acrobático e desviar a bola para canto. A reacção norte-americana esmoreceu, apesar das bancadas tentarem puxar pela selecção na busca do empate. Pulisic ganha dividida na direita, dá em Yedlin, belo cruzamento atrasado e mais uma vez Wood a falhar, desta feita a perder o remate.

James desenvolve na direita, onde descaiu bastante durante o encontro, dá em Marlos Moreno, mas o jovem dianteiro não consegue desfeitear Howard, atira fraco e ao lado.

Nos descontos Orozco deixa-se irritar por Arías e acabam os dois na rua.

Um golo foi o suficiente para ser a Colômbia a reclamar o ‘bronze’ centenário, voltando a bater os EUA, fê-lo no encontro de abertura, havia-o feito no jogo de 3.º/4.º da Copa América de 1995, nesse de forma bem mais contundente (4-1 com golos de Valderrama, Rincón e Asprilla!).

Autor: António Valente Cardoso

Deixe o seu comentário

bomfutebol
Powered by Live Score & Live Score App