-- ------ Fora do Mundial Sub-20 mas com um futuro risonho pela frente
Bom Futebol

Fora do Mundial Sub-20 mas com um futuro risonho pela frente

Fora do Mundial Sub-20 mas com um futuro risonho pela frente.

Terminou pela segunda vez nos quartos-de-final a caminhada de Portugal no Mundial Sub-20. Mas as grandes penalidades só pararam a caminhada no torneio, porque o futuro promete ser brilhante para alguns dos jogadores portugueses.

O início titubeante deu origem a uma caminhada em crescendo que infelizmente foi travada pela má fortuna nas grandes penalidades, diante do Uruguai, como havia acontecido há dois anos na Nova Zelândia, frente ao Brasil. E foi no melhor jogo do Mundial Sub-20 que Portugal acabou por se ver eliminado. Fica o amargo de boca para quem desejava tanto o troféu que foge há mais de 25 anos, mas a certeza que muitos destes jovens têm um futuro risonho pela frente.

Antes do Mundial analisamos aqui quem eram os eram os 21  convocados. Agora destacamos os três jogadores mais em foco, mas que não serão certamente os únicos que terão uma carreira promissora à sua espera.

Na defesa, Diogo Dalot, do FC Porto, é sem sombra de dúvida a maior estrela, um lateral de características ofensivas, que parece um foguete pela ala direita, com grande capacidade de finta, excelente nos cruzamentos e capaz de chegar ao golo com facilidade. No Mundial esteve sempre em destaque, mas se já era conhecida uma grande qualidade ofensiva, Dalot demonstrou que também no plano defensivo é muito competente, como se pode constatar frente ao Uruguai, onde esteve mais resguardado ofensivamente, mas cumpriu na perfeição na proteção ao último reduto da seleção nacional sub-20. Fala-se de muito interesse dos ditos tubarões europeus e não seria uma surpresa se alguém pagasse a sua cláusula de rescisão de 20 milhões sem que sequer o jovem lateral jogue na equipa principal dos azuis e brancos.

No meio-campo, o destaque foi Bruno Xadas, o 10 do Sp.Braga. Foi fundamental na produção da equipa nacional sub-20, talvez por isso mesmo a equipa tenha subido de produção de jogo para jogo, como Xadas. Após um jogo paupérrimo na estreia frente à Zâmbia, o médio criativo dos minhotos assumiu o jogo ofensivo de Portugal e com o seu pé esquerdo de fino recorte técnico ajudou à passagem à fase seguinte. Marcou dois golos no jogo dos oitavos-de-final frente à Coreia do Sul, mas já havia mostrado toda a sua qualidade frente a Irão. Gosta de conduzir a bola e com finta curta serpentear rumo à área contrária. Tem um excelente remate e excelente visão de jogo com passes precisos com o pé canhoto. Esta poderá ser uma época de afirmação nos Guerreiros do Minho o que a confirmar-se certamente lhe abrirá as portas para um dos grandes nacionais ou para uma das principais ligas europeias.

No ataque e simultaneamente a estrela-maior da seleção sub-20 das quinas, Diogo Gonçalves. O avançado ou extremo do Benfica foi o principal perigo para os adversário. Marcou três golos, dois deles de bandeira, com pontapés de antologia, primeiro ao Irão e depois ao Uruguai. Senhor de um pontapé fortíssimo e colocado, Diogo Gonçalves fez uma grande época na equipa B dos encarnados, que culminou com um Mundial que certamente não esquecerá. Apesar de ter jogado mais pelas alas, quer no Mundial, quer no clube, o jovem jogador passou a ser mais vezes opção no centro depois da saída de João Carvalho da B do Benfica para o Vit.Setúbal (jogador que não esteve no Mundial por já estar na Seleção Sub-21 com quem disputará dentro de dias o Europeu) e parece ser aí que estará o seu futuro. É muito rápido, tem muito golo e excelente capacidade de finta, sem descurar nas assistências, dividindo a sua atenção entre a baliza contrária e o colega mais bem colocado. A concorrência é grande e será difícil uma afirmação imediata na equipa principal dos tetracampeões nacionais. Resta saber se ficará no plantel no imediato ou se lhe será sugerido um empréstimo.

Estes foram os três grandes destaques, mas certamente há muitos outros que poderão em breve estar nas capas dos jornais nacionais ou internacionais, como Diogo Costa, Ruben Dias, Pêpê, Florentino, Gedson, Xande Silva ou José Gomes, entre outros.

Deixe o seu comentário

bomfutebol