-- ------ Euro 2016 - Oitavos de Final IV - Bom Futebol
Bom Futebol

Euro 2016 – Oitavos de Final IV

Euro 2016

França vs República da Irlanda

Stade de Lyon, Lyon

(58000 Espetadores)

607758465_SH_0568_0E1B96340612B77C91A5B04411E456DE_3474.JPG

O primeiro jogo do segundo dia dos Oitavos de final colocou frente a frente a Seleção da casa, a França, contra a Seleção com os “melhores adeptos” deste Europeu, a Republica da Irlanda. Numa Eliminatória que se previa, em teoria, desequilibrada e de sentido único.

https://www.youtube.com/watch?v=kWPv7a0zx_U

Didier Deschamps voltou ao seu melhor onze, para esta eliminatória, no seu habitual 4-3-3 :

França

Figura 1 – Esquema tático francês em 4-3-3 (base).

Martin O’Neill fez alinhar o seguinte onze, algo diferente do seu ultimo jogo, num muito variável 4-4-2(base):

R.Irlanda

Figura 2 – Esquema tático irlandês em 4-4-2 (base).

607758111_LB_9775_9A6F4C2FD7745AC0F563FBF8BA1C5A0A_3474.JPG

Foto 1 – Momento em que Pogba terá travado em falta Shane Long na grande área francesa, no entender do arbitro Nicola Rizzoli. Fonte: uefa.com.

Uma eliminatória que se esperava de sentido único, foi colocada num busca por dar a volta ao prejuízo logo ao minuto 2, visto que Nicola Rizzoli assinalou grande penalidade num lance entre Shane Long e Pogba, no primeiro lance do encontro onde a França nem sequer tinha tocado na bola.

O penalti foi bem convertido pelo pé esquerdo de Brandy, com a bola a ir para um lado e inclusivamente a bater na parte de dentro do poste, e o guarda redes Hugo Lloris para o outro.

607758111_LB_9805_28B545CAB780FE167A73F54B83B696B8_3474.JPG

Foto 2 – Jogadores irlandeses a festejarem junto dos seus adeptos. Fonte: uefa.com.

Após o golo tudo voltou à normalidade e aquilo que já se esperava, o domínio absoluto da França. A cada minuto que passava, os gauleses iam intensificando o volume ofensivo, colocando os onzes irlandeses muitas vezes todos atrás da linha da bola.

Primeiro ao minuto 8, através de um livre batido por Payet diretamente para as mãos de Randolph, depois foi a vez de Pogba trabalhar bem sobre o flanco esquerdo para em seguida cruzar para a área onde já estavam Giroud e Matuidi, mas foi o pequeno Griezmann a cabecear, mas a pegar muito por baixo na bola, que acaba por passar muito por cima da baliza irlandesa. Para 10 minutos depois voltar a cabecear, desta vez para defesa fácil de Randolph, após livre batido por Payet.

607758111_LB_0128_DDD5B1F6D63EF6E45F6777E01A529CFA_3474

Foto 3 – Momento do remate perigoso de Murphy para defesa apertado de Hugo Lloris. Fonte: uefa.com.

Mas a Republica da Irlanda sempre que conseguia chegar à frente, criava perigo. O minuto 20 e após lançamento de linha lateral  de Ward, Murphy ganha o ressalto e remata, obrigando Hugo Lloris a esticar-se para aliviar. Na recarga, Hendrick remata para fácil defesa do guardião gaulês. No contra ataque é Griezmann, novamente, a rematar, de fora da área, para defesa à figura de Randolph.

A mais de trinta metros da baliza dos irlandeses, Pogba, ao minuto 24, marca um livre com grande categoria, num remate em arco que ia muito bem direcionado, mas foi impedido de fazer o empate por Randolph mais uma vez.

Com o aproximar do intervalo, enquanto a formação irlandesa ia defendendo bem e compacta, bem como atacando sempre que possível, os gauleses iam baixando o ritmo e a intensidade com que atacavam, o que acabava por dar um claro ascendente à R.Irlanda nos últimos 5 minutos da primeira parte, mas a França não deixou de manter em sentido e de esbarrar no “murro” defensivo irlandês, como foram os casos de Griezmann e Payet já no tempo de desconto.

No segundo tempo o sentido manteve-se, e foi na direção da baliza de Randolph. Ao minuto 48, após livre batido, como sempre, por Payet, que colocou bem a bola na área onde apareceu Koscielny, para a segunda bola muito bem colocado e nas costas do seu marcador, a desperdiçar de cabeça o golo do empate.

Ao minuto 52, a Irlanda, que não deixava de atacar, desta vez com 4 jogadores, teve uma bela oportunidade para fazer o segundo. Contra ataque rápido, McClean recebe na esquerda e faz um passe em diagonal mortífero que foi inteceptado por Hugo Lloris e impedir que a bola chegue a Shane Long que estava no lugar certo para encostar para o fundo da baliza gaulesa. Na resposta Payet, remata muito fraco e torto de fora da área, para pontapé de baliza.

A França continuava a denotar dificuldades em “abrir um buraco no murro” de 10 jogadores irlandeses, que deixavam lá na frente apenas Shane Long, e ia tentando-o através de remates de fora da área.

607758111_LG_9747_9D83E6F80634C6202134A3BD774722EF_3474

Foto 4 – Griezmann no belo cabeceamento que deu o empate na partida. Fonte: uefa.com.

Mas finalmente ainda dentro do minuto 57, a França consegue fazê-lo e restabelecer a igualdade. Após trabalho coletivo no centro do meio campo ofensivo, bem perto da grande área irlandesa, Payet faz variar o esférico para o flanco direito onde surgia Sagna, que livre da marcação direta, ajeita a bola e cruza com conta, peso e medida para a cabeça de Griezmann que assim coloca, com um forte e colocado cabeceamento, a bola no fundo da baliza irlandesa, fazendo o 1-1.

607758111_LG_3835_CECC4DE562E7CDECC715C28B426BB685_3474

Foto 5 – Griezmann a rematar para o golo da vitória gaulesa. Fonte: uefa.com.

O jogo acabava por abrir um pouco mais já que a R.Irlanda não se queria deixar ficar a defender, dado o empate no marcador. Mas ao minuto 61, a França chega ao 2-1, e novamente através de Griezmann, fazendo a reviravolta no marcador. Passe longo de Rami para Giroud que sofre a oposição dos dois centrais irlandeses na disputa área da bola, o atacando ganha bem a bola de cabeça e entrega a Griezmann que aproveita o erro defensivo irlandês e remata, sem grandes hipóteses para Randolph, para o segundo golo da França e da sua conta pessoal no jogo.

4 minutos depois, num contra ataque gaulês, Griezmann é isolado e travado em falta por Duffy, mesmo em cima da linha da grande área irlandesa, e Nicola Rizzoli não teve duvidas e deu ordem de expulsão ao central irlandês com vermelho direto.

Com superioridade numérica e em vantagem, a França tentava o terceiro. E já com Gignac em campo, que tinha entrado para o lugar de Giroud, numa habitual substituição direta de Didier Deschamps, a França quase marcou, ao minuto 77, Gignac recebe a bola de Matuidi, puxa a bola para o pé direito e remata forte e cruzado, fazendo a bola embater na trave da baliza de Randolph.

A França continuava a atacar forte e, ao minuto 86, Matuidi cruza da esquerda para Gignac, que fez de Giroud, e o avançando gaulês falha o alvo ao meter o pé à bola, desperdiçando uma grande oportunidade.

Até ao final da partida os gauleses continuaram a ser muito perdulários, e pelos suspeitos do costume, Gignac e Griezmann. Mas a vitória estava garantida e o resultado feito, 2-1 para a Seleção da Casa, numa vitória justo, mas mais uma vez curta, como foi apanágio na fase de grupos.

As estatísticas finais evidenciam a superioridade gaulesa a todos os níveis:

Posse de bola

Estatísticas Gerais de jogo, França (azul) e R. Irlanda (amarelo). Fonte: uefa.com.

Ataque.jpg

Estatísticas ofensivas, França (azul) e R. Irlanda (amarelo). Fonte: uefa.com.

Defesa

Estatísticas defensivas, França (azul) e R. Irlanda (amarelo). Fonte: uefa.com.

Os Irlandeses vou para casa, mas só têm que estar satisfeitos com a prestação da sua equipa e, mais, dos seus adeptos neste Europeu.

MOTMGriezmann

Griezmann foi naturalmente considerado o Homem do Jogo. Fonte: uefa.com.

Próximo Jogo (Quartos de Final):

Domingo, 3 de Julho, 20h (St-Denis): França – Inglaterra ou Islândia

Autor: José Luís Ribeiro

Deixe o seu comentário

bomfutebol