-- ------ Euro 2016 - Oitavos de Final V - Bom Futebol
Bom Futebol

Euro 2016 – Oitavos de Final V

Euro 2016

Oitavos-Final

Dia de Jogo- Domingo 26.6.2016

Estádio- Stade Pierre Mauroy

Assistência- 44 312

Árbitro- Szymon Marciniak

1.0.jpg

A Alemanha partia para este jogo como clara favorita, ainda para mais vencera o seu grupo e não sofrera qualquer golo na fase anterior. A Eslováquia chegava a esta fase depois de se apurar em terceiro lugar no seu grupo.

A Alemanha partia para estes oitavos de final mantendo as Kimmich na lateral direita e o ponta de lança Mário Gomez como homem mais adiantado da equipa.

1.1

Figura 1 – Formação da Alemanha em 4-2-3-1.

Já a Eslováquia apresentava para esta eliminatória uma defesa composta na sua totalidade com quatro elementos, todos defesas centrais de raiz, talvez tentando colocar mais oposição ao bom jogo aéreo alemão.

1.2.jpg

Figura 2 – Formação da Eslováquia em 4-3-3.

Primeira Parte

O jogo começou como tinham começado todos os jogos em que participara a Alemanha até então neste Europeu, entrou a mandar no jogo, a fazer circulação de bola a toda a largura e a conseguir recuperar a bola rapidamente, ainda mesmo dentro do meio campo contrário.

Ainda assim foi com alguma surpresa que se adiantou no marcador bem cedo, logo aos 7 minutos, depois de um canto batido por Kroos a bola é aliviada para a entrada da grande área onde surge surpreendentemente Boateng, a rematar de primeira e rasteiro por entre os jogadores presentes na área levando a que a bola só parasse no fundo da baliza do guarda-redes eslovaco que ainda se estirou mas sem conseguir evitar o 1 a 0.

Foi um início perfeito para a Alemanha, e melhor do que começar com um golo é começar com dois. Aos 12 minutos Skrtel comete uma grande penalidade infantil sobre Gomez, empurrando o homem da Alemanha de forma ostensiva pelas costas. Ozil assumiu a responsabilidade e… falhou, tentando colocar apenas a bola permitiu uma boa intervenção a Kozácik que assim evitou que a desvantagem da sua equipa se tornasse ainda mais difícil de superar.

A Eslováquia apesar de já estar a perder não conseguia responder, os alemães dominavam e continuavam a carregar sobre a área contrária, os eslovacos raramente conseguiam sair com bola controlada do seu meio campo.

Ozil aos 24 minutos dispôs de nova oportunidade para marcar, desta vez num remate cruzado que sai pouco ao lado da baliza.

Empurrando a Eslováquia para os seus últimos 30 metros, a  Alemanha começava a sua organização ofensiva muitas vezes com os centrais e abertos a toda a largura do terreno. Kimmich na direita, começava evidenciar-se, sempre muito dinâmico quer ofensivamente quer defensivamente, com grande capacidade de associação com os colegas e uma grande desenvoltura com a bola nos pés será certamente o dono na lateral direita alemã até final  deste Europeu.

Aos 40 minutos de jogo surge uma rara mas também grande oportunidade para a Eslováquia empatar, cruzamento junto á linha final de Pekarik e na área de cabeça aparece Kucka a cabecear para uma grande intervenção do ainda imbatível Neuer, a desviar por cima do travessão.

A Alemanha sentiu o toque e resolveu mostrar quem mandava, depois de mais uma sucessão de passes entre os alemães a bola chega a Draxler na esquerda que encara um defesa e rapidamente o manda “ir á loja”, entra na área e assiste Gomez ao primeiro poste, onde este desvia de primeira fazendo assim o 2 a 0.

Resultado natural ao intervalo, domínio e controlo alemão absoluto.

Segunda Parte

Apesar de se tentar aproximar mais vezes da baliza alemã a Eslováquia ia vendo o tempo a passar sem conseguir criar grandes chances de golo, e com 15 minutos da segunda parte o resultado ainda era de 2 a 0 para a Alemanha.

Estava um jogo mais dividido mas dava sempre a sensação que o jogo era controlado pelos germânicos. Era uma segunda parte mais de posse da Alemanha sem arriscar tanto na velocidade de circulação e decisão.

Ainda assim foi com naturalidade que a Alemanha aumentou a vantagem, canto batido da direita e Draxler a aproveitar uma segunda bola para num remate de moinho bater sem apelo o guardião eslovaco pela terceira vez.

Draxler estava a ser um dos destaques no lado alemão, com uma excelente capacidade física e um drible fácil dava outra capacidade á Alemanha para desequilibrar nos últimos metros junto da área contrária.

Aos 70 minutos, dando mostras de que já começava a pensar no próximo jogo, o seleccionador alemão fazia entrar os dois mais veteranos jogadores da equipa, Podolski e Howedes.

 Aos 75 mais uma poupança alemã, sai Khedira e entra Schweinsteiger.

O jogo corria e a Eslováquia parecia já ter baixado os braços, o jogo acabou por se tornar um treino para o lado alemão, embora tendo sempre em mente a baliza eslovaca.

O jogo terminava com um 3 a 0 para os alemães e acabava também aqui a participação da Eslováquia neste Europeu de 2016.

Vitória incontestável da Alemanha que continua sem sofrer golos na competição. Agora vai esperar para saber se mede forças com Espanha ou Itália.

stats1

Estatísticas Ofensivas da Alemanha (azul) e a Eslováquia (amarelo). Fonte: uefa.com.

stats2

Estatísticas Gerais da Alemanha (azul) e da Eslováquia (amarelo). Fonte: uefa.com.

MOTMDraxler

Draxler foi considerado o Homem do Jogo. Fonte: uefa.com.

draxler

Declarações de Julian Draxler, o Homem do Jogo, após a vitória. Fonte: uefa.com.

Próximo Jogo:

Sábado, 2 de Julho, 20h (Bordéus): Alemanha – Espanha ou Itália

Autor: Joaquim Silva

Deixe o seu comentário

bomfutebol