-- ------ No império bem-sucedido da Holanda em Barcelona, Kluivert é um nobre protagonista - Bom Futebol
Bom Futebol

No império bem-sucedido da Holanda em Barcelona, Kluivert é um nobre protagonista

Patrick Kluivert

No império bem-sucedido da Holanda em Barcelona, Kluivert é um nobre protagonista.

A passagem do holandês pelo Barcelona rendeu golos e grandes jogadas.

A contratação do goleiro Cillessen pelo Barcelona na última temporada europeia deu continuidade a uma novela de contornos felizes. O jogador foi vigésimo holandês a vestir a camisa do clube espanhol. Uma história que começou a mais de 40 anos e é festejada pelos dois lados.

Desde Johan Cruyff (1973), diversos atletas do país passaram pelos blaugranas e obtiveram sucesso. A constante teve um dos principais capítulos no final da década de 90. Com a ida do técnico, também holandês, Louis Van Gaal ao Barcelona, a presença de jogadores do país se intensificou nesses anos.

Um jogador, em especial, teve ótima passagem pelo clube, porém, muitas vezes não é tão lembrado. Patrick Kluivert foi a grande esperança de gols do Barcelona durante anos, tendo correspondido à altura a expectativa da torcida do Barcelona.

A responsabilidade de vestir a 9, que um ano antes tinha sido utilizada brilhantemente por Ronaldo, não era pequena. Porém, nos seis anos de Barcelona, Kluivert mostrou a grande precisão de um dos grandes centroavantes de sua época.

Aos 22 anos, idade na qual foi anunciado na Espanha, Kluivert já era conhecido do público e tinha vasta experiência. Em 1994, o holandês estreou pelo Ajax, e, um ano mais tarde, fez o gol do título da Champions League, diante do Milan – o mesmo clube que o contratou em 1997 e não teve a paciência para esperar a consagração do atleta.

Além do título europeu, Kluivert chegava credenciado após fazer boa Copa do Mundo pela Holanda. Os oito milhões de libras pagas pelo Barcelona ao Milan eram totalmente justificáveis. Só restava saber se o sucesso do Ajax se repetiria no Barcelona, novamente com Louis Van Gaal.

Na Espanha, o centroavante se encontrou com Rivaldo, rival nas semifinais da Copa da França naquele mesmo ano. A afinidade entre os dois já foi vista logo nas primeiras partidas. Era o início de uma grande parceria da história do clube.

Com Rivaldo mais atrás, Kluivert tinha total domínio da grande área, seu local natural. Porém, principalmente no início, o atacante mostrava muitas qualidades fora do local de conforto. Veloz, habilidoso e muito inteligente, era constantemente visto participando de tabelas com o brasileiro.

Apesar da falta de grandes conquistas, a passagem pelo Barcelona teve saldo positivo. Principalmente no início, quando o atacante foi peça fundamental no título espanhol da temporada 1998/99. De cara, anotou 16 gols na temporada, em 38 partidas.

Pela seleção holandesa, os anos de 1998 e 1999 também foram prolíficos. 11 gols somados e posição garantida no período.

Se as conquistas coletivas acabaram não acontecendo como esperado, Kluivert passou a ter prêmios individuais. Na temporada 2001/02, por exemplo, foi o artilheiro da equipe na temporada, com 25 gols.

Exceto Messi, ninguém fez mais gols que Kluivert em La Liga pelo Barcelona. Os 90 no total dão força para a tese que ele foi um dos melhores da posição em sua época. No total, foram 120 tentos pelo clube espanhol.

A média alta de gols foi vista também na seleção. 40 tentos que dão o posto de terceiro maior artilheiro holandês.

Os mais de 200 gols anotados com Rivaldo são a certeza que a dupla ajudou muito o clube na transição entre os dourados início dos anos 90 e fim dos anos 00. A herança holandesa de sucesso foi adquirida e colocada em prática no Barcelona.

Autoria: Caio Alves (Alambrado)

Deixe o seu comentário

bomfutebol