-- ------ Liga Europa - Grupo C - Análise - Bom Futebol - www.bomfutebol.pt
Bom Futebol

Liga Europa – Grupo C – Análise

Liga Europa – Grupo C – Análise

O sorteio da Liga Europa 2017/18 ditou, na generalidade, grupos bastante equilibrados e, acima de tudo, bastante competitivos, algo que poderá ajudar a competição a aumentar o seu interesse, no ponto de vista dos adeptos. No caso do Sp. Braga, o sorteio ditou que os minhotos tenham que medir forças com o Ludogorets, da Bulgária, o Hoffenheim, da Alemanha, e o İstanbul Başakşehir, da Turquia.

PFC Ludogorets Razgrad

A atual força dominante do campeonato búlgaro foi fundado em 2001 como Ludogorie Football Club, na cidade de Razgrad. O nome foi herdado do antigo clube da cidade, que tinha sido refundado como Razgrad 2000. No entanto, quando este último faliu em 2006, o Ludogorets assumiu a data da fundação o clube original 1945 no seu emblema. Após várias temporadas na 2ª divisão, na temporada de 2009/10 chega à 2ª divisão búlgara, tendo sido, nessa altura, comprado por Kiril Domuschiev, um empreendedor búlgaro que investiu forte na equipa, com a intenção de chegar à primeira divisão.

Conseguindo esse feito logo no primeiro ano, o Ludogorets conseguiu ser o triplete logo na primeira temporada, sendo atualmente hexacampeão, contra a oposição do CSKA e Levski, ambos de Sófia, o Litex Lovech e o Beroe. A estreia nas competições europeias não correu da melhor forma, quando, na temporada de 2012/13, foram afastados pelo Dinamo Zagreb na 2ª ronda de qualificação da Liga dos Campeões. No ano seguinte, após afastarem o Slovan Bratislava e o Partizan nas fases de qualificação, foram afastados no playoff pelo Basileia, caindo para a Liga Europa, onde começaram a atrair as atenções ao vencer o PSV, tanto fora como em casa, na fase de grupos, apurando-se para os 32 avos de final, onde eliminaram a Lazio, para cairem aos pés do Valência no 16 avos de final.

Estreia na Liga dos Campeões

A estreia na fase de grupo da Champions deu-se já na temporada seguinte, quando eliminaram o Dudelange, Partizan e o Steaua para chegar à fase de grupos, onde ficaram no mesmo grupo que Real Madrid, Basileia e Liverpool. Os 4 pontos obtidos resultaram de 1 vitória caseira contra o Basileia e 1 empate, também caseiro, contra o Liverpool, ficando em 4º lugar do grupo B. A temporada seguinte resultou em desilusão, ao perderem contra o Milsami Orhei da Moldávia, quando o Ludogorets era treinado pelo português Bruno Ribeiro. Na temporada passada, chegou novamente à fase de grupos da Liga dos Campeões, depois de deixar pelo caminho Mladost, Estrela Vermelha e o Plzen, tendo ficado grupo A de Arsenal, PSG e Basileia. Apesar de não ter vencido nenhum jogo, os 3 empates, contra o PSG fora e 2 contra o Basileia, garantiram o 3º lugar e a estreia na Liga Europa, onde foram eliminados pelo Copenhaga.

Esta temporada chegaram à Liga Europa depois vindo da 3ª fase de qualificação da Champions, onde foram eliminados pelo Hapoel Be’er Sheva, após 3-3 na eliminatória mas desvantagem nos golos fora. No playoff de acesso à fase de grupos da Liga Europa, eliminaram os lituanos do Süduva, Para além de não ter qualquer confronto contra as outras equipas do grupo, o Ludogorets nunca defrontou equipas portuguesas, alemãs ou turcas.

Como está atualmente?

O Ludogorets está em 3º lugar da Liga Búlgara com 5 jogos disputados, resultado de 4 vitórias e 1 empate, sendo que o 1º e 2º classificado têm mais 2 e 1 jogo realizado, respectivamente. Um das apostas do Ludogorets foi no mercado brasileiro, tendo 9 jogadores oriundos do Brasil no plantel, sendo que Marcelinho já se naturalizou e jogou pela seleção Búlgara. Este ano apenas se reforçaram com o médio polaco Góralski e o guarda-redes argentino Broun, tendo mantido a espinha dorsal da equipa saindo apenas o avançado Jonathan Cafu, para o Bordéus, e o defesa Palomino, para a Atalanta.

Fonte: https://www.buildlineup.com/

A equipa joga, normalmente, em 4-3-3, podendo adotar a variação para 4-4-2, com Wanderson e Vura a jogar, por vezes, no apoio ao ponta de lança Keseru ou mesmo no lugar dele. Com a saída de Jonathan Cafu, Vura ganhou o lugar, sendo que Lucas Sasha, médio defensivo de raiz mas que é polivalente, alterna com Cicinho e o central Terziev, se regresso de empréstimo, também joga regularmente. É uma equipa que ataca com muitos jogadores, colocando sempre vários na grande área e também consegue, através de rápidas transições, fazer contra-ataques com bastantes jogadores, se bem que isso também desequilibra a equipa defensivamente. O jogador em destaque será o brasileiro Wanderson, que é o “mago” da equipa, também como o experiente Marcelino.

TSG 1899 Hoffenheim

A fusão do clube de ginástica Turnverein Hoffenheim e do clube de futebol Fußballverein Hoffenheim, em 1945,  levaram à criação do atual Hoffenheim, numa pequena localidade de aprox. 3.500 pessoas. Jogando quase toda a sua vida como amadores, chegaram à 5ª divisão apenas em meados da década de 90, sendo que foi com a chegada do dinheiro de Dietmar Hopp, um antigo jogador e co-fundador da SAP, que permitiram que o clube trepasse até à Bundesliga. Em 2000 começou a escalada, terminando apenas em 2008/09, quando chegaram, em menos de 10 anos, à Bundesliga.

O seu início auspicioso levou a equipa a ser coroada “campeã de inverno”, quando dobraram o calendário em 1º lugar, com Ibisevic como o melhor marcador da Bundesliga, mas a lesão do seu goleador e a quebra de forma de várias peças importantes levou a equipa a terminar em 7º lugar, mas a mostrar que estava na Bundesliga para ficar. Apesar da politica de jovem contratações, para explorar o seu potencial, e a preocupação por um futebol atacante, o objectivo de apuramento para as competições europeias foi sempre gorado, inclusive, na temporada de 2011/12, que tiveram que disputar o playoff de permanência na Bundesliga.

Sangue novo à frente da equipa

O ponto de viragem surgiu quando o treinador Huub Stevens saiu do cargo, por motivos de saúde, e o clube promoveu o jovem Julian Nagelsmann a treinador principal, com apenas 28 anos. Esta promoção já estava acordada para o final da temporada de 2015/16, mas teve efeito em Fevereiro de 2015. Com Nagelsmann no cargo, o Hoffenheim saiu da zona de despromoção e conseguiu garantir a permanência, que se afigurava muito difícil. Já na temporada passada, o 4º lugar, a melhor classificação de sempre, permitiu o apuramento inédito para as competições europeias, estreando-se logo na Liga dos Campeões. Praticando um Bom Futebol atacante, a estreia do clube foi, no entanto, com 2 derrotas, no playoff de acesso à fase de grupos da Liga dos Campeões, às mãos do Liverpool.

Como está atualmente?

A saída de Niklas Süle, esteio defensivo na época passada, e de Sebastian Rudy, médio defensivo de extrema importância, que foram ambos para o Bayern Munique, foram baixas de vulto na equipa, sendo que as contratações do norueguês Nordveit e do austriaco Grillitsch vieram colmatar essas saída, acrescentando ainda, ao elenco, Gnabry, por empréstimo do Bayern Munique, mantendo, assim, quase o mesmo plantel do ano passado.

https://www.buildlineup.com/

Tendo já quase desistido do 4-3-3 do início da temporada passada, a equipa do Hoffenheim joga agora entre o 3-4-3 e o 3-5-2, sendo que gosta de ter bola e utiliza os centrais para construir jogo, sendo que os laterais são muito ofensivos, ajudados pelos falsos extremos, que fazem movimentos diagonais, quer à procura de espaço de finalização como para linhas de construção de jogo. Devido à qualidade dos jogadores, é uma equipa bastante difícil de controlar mas que perde um pouco na questão defensiva e é vulnerável a ataques rápidos e contra-ataques, como se viu contra o Liverpool. Naturalmente, que o destaque será para Gnabry, mas a maior ameaça é mesmo o coletivo, não fosse a estrela da equipa o… treinador.

İstanbul Başakşehir F.K.,

O clube foi oficialmente fundado em 1990, a partir de outros clubes em Istambul. Começou por competir nos escalões amadores conseguindo a promoção para a 3ª divisão logo na primeira temporada. Nesta altura, o clube chamava-se Istanbul BB e apenas em 2007/08 consegue a promoção para a Süper Lig, competindo durante 6 temporadas, até ser despromovido para voltar a subir logo a seguir. Foi aí que a equipa mudou de nome para o atual Istanbul Başakşehir F. K. obtendo 2 4º lugar até ser vice-campeão no ano passado, falhando por pouco o título de campeão. Desde 2015, que o nome da equipa é oficialmente Medipol Başakşehir F.K., após um acordo de naming com a empresa Medipol para 4 anos.

Foi com o atual treinador Abdullah Avci que o clube conheceu as melhores temporadas, quer entre 2006 e 2011 e a partir de 2014. Entre 2011 e 2014, Avci foi selecionador da Turquia, tendo também coincidido com a despromoção à 2ª divisão. Com o trajecto tanto um quanto parecido com os outros 2 clubes já descrito, a diferença é que o İstanbul Başakşehir não teve um mecenas que proporcionou a subida aos principais campeonatos, mas sim uma filosofia de alternativa aos outros clubes de Istambul, cujos adeptos estão muito ligados à violência. Com apenas 3.000 sócios, vê a sua base de apoiantes crescer dia para dia oferecendo um futebol descomprometido e sem pressão, tal como as bancadas.

À terceira, é de vez!

Na terceira temporada a participar nas competições europeias, consegue chegar a uma fase de grupos. Após ser eliminado, em 2015/16, pelo AZ Alkmaar da 3ª qualificação para a Liga Europa e novamente em 2016/17 pelo Shaktar Donestk, este ano começou por participar na 3ª qualificação para a Liga dos Campeões, eliminando o Club Brugge com uma vitória por 2-0 e um empate a 3 golos. O Sevilha foi um oponente mais forte mas que teve muita dificuldade perante os turcos. A derrota em Istambul por 2-1 dava péssimas perspectivas mas um empate a 2 golos em Espanha, com a equipa turca a falhar o golo da qualificação já em tempo de desconto vendeu cara a eliminação.

Como está atualmente?

No plantel, destacam-se dois nomes conhecidos dos portugueses -o maestro Márcio Mossoró e com o ex-internacional sub-21 português Manuel da Costa. No entanto, a equipa tem vários jogadores de qualidade reconhecida como Adebayor, Clichy, Volkan, Júnior Caiçara, Elia ou Emre. No entanto, a saída da jovem promessa Ünder para a AS Roma não terá sido totalmente colmata, apesar da contratação de Elia ou Inler.

Fonte: https://www.buildlineup.com/

 

Jogando em 4-2-3-1, a equipa destaca o duplo pivot à frente da defesa, deixando a criação de jogo a cargo de Mossoró e apostando numa frente de ataque móvel com uma “torre” chamada Adebayor. Elia, apesar de não ser um jovem, é uma peça importante e a média de idades de 29 anos revela muita experiência desta equipa, recheada de destaques e estrelas.

Histórico de confrontos

Não tendo nenhuma destas equipas se defrontado em nenhuma competição europeia, é de realçar que o Sp. Braga é a que tem maior experiência, inclusive uma final europeia. Aliás, nenhuma das equipas, exceto o Braga, defrontaram qualquer equipa dos países das equipas que compõem o grupo. Apesar nunca ter defrontado equipas búlgaras, tem boas recordações das equipas turcas, com 6 vitórias, 1 empate e 3 derrotas, tendo sido eliminado pelo Besiktas da Liga Europa mas já tendo eliminado o Sivasspor e o Fenerbahce. Contra equipas alemãs, o histórico é bastante negativo pois nunca venceram uma equipa alemã para as competições europeias, tendo apenas 2 empates e 4 derrotas.

Deixe o seu comentário

bomfutebol