-- ------ Liga Europa - Grupo I - Análise - www.bomfutebol.pt
Bom Futebol

Liga Europa – Grupo I – Análise

Liga Europa – Grupo I – Análise

O sorteio da Liga Europa 2017/18 ditou, na generalidade, grupos bastante equilibrados e, acima de tudo, bastante competitivos, algo que poderá ajudar a competição a aumentar o seu interesse, no ponto de vista dos adeptos. No caso do Vitória Sport Clube, os vimaranenses ficaram num grupo complicado que conta também com Salzburgo, Marselha e Konyaspor.

Olympique de Marseille

Um gigante adormecido, fundado em 1892 apesar de só ter começado a ter a divisão de futebol a partir de 1902. É o segundo clube com mais título de Campeão Francês, atrás do Saint Ettienne, e o único com um titulo de Liga dos Campeões, para além de 1 final da Liga dos Campeões e 2 da Taça UEFA/Liga Europa. O último titulo de campeão foi vencido em 2009/10, sendo que, desde então, a equipa não consegue competir com a força de PSG e, mais recentemente, Mónaco. Foi a partir de 1986, com Bernard Tapié como presidente, que o Marselha se tornou numa equipa temível, vencendo 4 campeonatos seguidos e fazendo mossa na Europa. Primeiro, chegando às meias-finais contra o Benfica, perdendo apenas com a chamada “Mão de Vata”, que eliminou os franceses. No ano seguinte, perderam na final contra o Estrela Vermelha, em grandes penalidades.

O grande prémio haveria de chegar em 1992/93, quando derrotaram o poderoso AC Milan na final, por 1-0, tornando-se campeões europeus. Foi, no entanto, o início do fim, pois um escândalo de subornos levou ao fim da hegemonia. O presidente Tapié terá encarregado o médio Eydelie de contatar e oferecer aos antigos colegas no Nantes, que estavam no Valenciennes, um suborno para facilitar o jogo entre ambas as equipas, que iria ditar o campeão e também era o jogo imediatamente anterior ao da final da Liga dos Campeões. Após uma denúncia de um dos jogadores envolvidos, o Marselha perdeu o titulo, que seria do penta-campeonato, e foi despromovido à 2ª Divisão para nunca mais recuperar desse golpe.

Novo rumo

No entanto, desde então que chegou a 2 finais da Taça UEFA/Liga Europa, perdendo ambas e conquistou 1 campeonato, 3 Taças da Liga e 2 Supertaças. No ano passado, terminou em 5º lugar o campeonato francês já nas mãos do empreendedor americano Frank McCourt, que comprou o clube à antiga proprietária Margarita Louis-Dreyfus. O impacto deste já se fez sentir esta temporada, com a aposta na equipa, quer através de jogadores quer no treinador Rudi Garcia e no diretor desportivo Andoni Zubizarreta.

Na 3ª elimnatória, defrontou o Oostende, vencendo em casa por 4-2 e empatando a 0 fora. Após um empate a 1 golo na Eslovénia contra o NK Domžale, o Marselha venceu ao casa por 3-0, garantindo o apuramento para a fase de grupos da Liga Europa. No campeonato, as coisas ainda não estão a sair bem, pois apesar de uma vitória no campo do Nantes e oura caseira contra Dijon, 1 empate em casa com o Angers e uma copiosa derrota no terreno do Mónaco por 6-1!

Como está atualmente?

Jogando preferencialmente em 4-3-3, quer com duplo pivot, se entrar Anguissa, quer com apenas 1 médio defensivo com López e Sanson, pode também ter a variante em 4-4-2, devido à mobilidade dos avançados, principalmente Germain. O Marselha investiu quase 65M€ para trazer Germain, do Mónaco, Thauvin, do Newcastle, Luiz Gustavo, do Wolfsburg, N’Jie do Tottenham, Rami do Valência e o retorno de Mandanda, que passou pela 1 ano no Crystal Palace, fechando com Mitroglou do Benfica.

https://www.buildlineup.com/

A juntar aos reforços, destaque para Evra, Ocampos, Payet e ao central português Rolando. A equipa tem um ataque forte e muito móvel, com os extremos a aparecerem muitas vezes em zonas de finalização e com Sanson, um médio criativo de muita qualidade. A estrela será Germain, que veio do Mónaco para sair da sombra de Falcao e que tem dado frutos quer pela capacidade de finalização quer pela mobilidade, que se enquadra muito bem neste onze. Defensivamente, o Marselha ainda tem algumas lacunas, que foram exploradas pelo Mónaco neste último jogo.

RB Salzburgo

Fundado em 1933 como SV Austria Salzburgo quando os clubes locais Rapid e Hertha se fundiram. O clube levou 20 anos a chegar à primeira divisão, tendo vencido o primeiro campeonato apenas em 1993/94, numa altura em que já se chamava Casino Salzburgo. Com 3 campeonatos em 4 anos, o clube parecia lançado e, em 1997, muda novamente de nome, por questões de naming, para SV Wüstenrot Salzburg. Foi em 2005 que a Red Bull compra o clube, ou melhor, compra a licença para competir na 1ª divisão, mudando tudo no clube, desde do símbolo, cores oficiais, do violeta e branco para o vermelho e branco, despedindo todo o staff e administração indo até ao ponto de mudar a data de fundação para 2005, algo revertido após imposição da Federação Austríaca.

Sendo um dos 4 clubes que pertencem aos franchising Red Bull, o RB Salzburgo tem tido um intercâmbio com as outras equipas do grupo, quer o RB Leipzig, mas também o RB Brasil e o New York RB. Este ano venceu o Youth League, tendo vencido o Benfica na final, revelando uma aposta na formação, sendo que também tem o FC Liefering, que disputa a 2ª divisão austríaca, como equipa satélite. Tendo vencido 8 dos últimos 11 campeonatos, é a força dominante do campeonato austríaco e atual tetracampeão.

Campeões fora da Liga dos Campeões

Curiosamente, o sucesso dentro de portas não se tem replicado na Europa. A primeira experiência foi já na longínqua temporada de 1971/72 na Taça UEFA, onde foram eliminados pelo UTA, da Roménia, logo na primeira eliminatória. Teria que se esperar pela temporada de 1993/94 para a primeira temporada de destaque quando chegaram à final da Taça UEFA, tendo eliminado o Sporting pelo caminho, para serem batidos pelo Inter perdendo 1-0 em ambas as mãos. A única vez que se apuraram para a fase de grupos da Champions League foi na temporada de 1994/95, ainda como Casino Salzburg, tendo ficado por essa fase. Desde então, foram eliminados 11 vezes (!) nas fases de qualificação e playoff da Champions League, sem nunca mais se conseguirem apurar para a fase de grupos.

O mais longe numa competição europeia como RB Salzburgo que chegaram foi mesmo na temporada 2013/14, chegando apenas aos 16 avos de final, não tendo uma boa relação com as competições europeias. Este ano, eliminaram o Hibernians de Malta na 2ª fase de qualificação da Liga dos Campeões para serem eliminados pelo Rijeka na 3ª fase de qualificação. Já no playoff da Liga Europa, eliminaram o Viitorul da Roménia num agregado de 7-1.

Como está atualmente?

O RB Salzburg não investiu muito neste defeso, reforçando a equipa com jogadores da equipa satélite como Wolf, Igor ou Haidara quer através de jogadores emprestados, como Dabbur e ainda recorrendo a jogadores da equipa júnior como Padson. O plantel manteve-se quase o mesmo que no ano passado, tendo saído apenas Wanderson, Laimer e Oberlin.

 

https://www.buildlineup.com/

É uma equipa perigosa com bola e gosta particularmente de transições rápidas no ataque, tendo um meio-campo musculado e com os médios laterais a aparecerem também na grande área. Não dependem demasiado de cruzamentos pois Dabbur não é o típico “pinheiro”, sendo bastante móvel e tecnicamente bom. Existe uma rotação elevada, sobretudo no meio-campo.

Konyaspor Kulübü

O Konyaspor foi fundado em 1922, na cidade de Konya, situada na Anatólia central, como Konya Gençlerbirliği. A atual formação surgiu apenas em 1965, quando o clube se fundiu com outros 3 clubes e adotou o nome pelo qual é conhecido. Só na temporada de 1988/89 é que chegou, pela primeira vez, à primeira divisão, alguns depois depois de se ter fundido com o grande rival Konya İdman Yurdu. Após apenas 5 temporadas, regressou à 2ª divisão, tendo disputado essa mesma competição por mais 10 anos. No início do século XXI, consegue voltar à primeira divisão com várias temporadas de subidas e descidas. O melhor resultado foi o 3º lugar na temporada de 2015/16, que lhe permitiu o apuramento para a Liga Europa, a primeira vez que disputou competições europeias.

Na temporada passada, o Konyaspor ficou no mesmo grupo que Shakhtar, Braga e Gent, tendo sido eliminado após 5 derrotas e 1 empate. Apesar de ter ficado apenas em 9 lugar no campeonato, venceu a Taça da Turquia, sendo também o primeiro troféu oficial de primeira linha que o clube venceu, se não contarmos com títulos de campeão da 2ª e 3ª divisão. Curiosamente, o Konyaspor venceu o İstanbul Başakşehir, que vai defrontar o Sporting de Braga. Já esta temporada, o Konyaspor venceu a Super-Taça contra o mesmo  İstanbul Başakşehir,

Como está atualmente?

Jogando normalmente num 4-2-3-1 que pode ser convertido num 4-4-2, tem como destaques Fofana, um extremo rápido e criativo que alterna os flancos, com Milosevic a destacar-se como ponta de lança e o reforço Araz a entrar muito bem na equipa. Apesar de manter a espinha dorsal, com muito pouco investimento o Konyaspor conseguiu reforçar-se quer para substituir jogadores que sairam como Bajic, Vukovic ou Douglas.

 

Fonte: https://www.buildlineup.com/

Deixe o seu comentário

bomfutebol
Powered by Live Score & Live Score App