-- ------ Malta também produz grandes jogadores - Alambrado - Bom Futebol
Bom Futebol

Malta também produz grandes jogadores – Alambrado

Malta também produz grandes jogadores: O goleador Michael Mifsud – Alambrado

Conheça a história de Michael Mifsud, artilheiro da pequena nação europeia

Malta pode não ser a terra do futebol, mas é reconhecidamente um país com paisagens privilegiadas. No centro do mediterrâneo, a pequena ilha pulsa história e tem uma beleza avassaladora. E foi lá que, em 1981, nasceu Michael Mifsud.

Para muitos, o atacante é maior jogador da história de Malta. Ao todo, são 127 partidas e 40 gols pelo selecionado nacional. Recorde absoluto em ambos os quesitos. Um ícone.

Nas aparições, o baixinho de 1,65 cm superou por sete jogos o recorde de David Carabott – ídolo nos anos 80. Já na artilharia, ele está muito à frente de qualquer outro atleta.

Uma história em vermelho e branco

A estreia do prodígio ocorreu em 2000, com apenas 19 anos. No ano seguinte, marcou seu primeiro gol pelo país, contra a Islândia. Um tento que demonstrava como Mifsud poderia se adaptar à função de goleador, mesmo sem ser uma referência na área.

A técnica na perna direita, aliada à eficiência com a canhota, fazem dele a grande esperança de Malta até hoje. Mesmo aos 34 anos, o faro de gol permanece em dia. Nesta segunda-feira (13), marcou um bonito gol contra o Azerbaijão, no empate por 2 a 2.

Antes disso, Michael Mifsud passou por várias fases da seleção e acompanhou de perto a nítida evolução do futebol local. Foram quase 20 anos sem vencer uma partida pelas Eliminatórias para a Copa.

Ademais, ele também fez parte de um dos jogos históricos de Malta. Em outubro de 2008, o pequeno país comemorou a sua primeira vitória em casa em partidas oficiais desde 1982. O triunfo veio com dois gols de André Schembri, mas Mifsud também foi essencial com sua movimentação e habilidade.

O mosquito, como era chamado em sua passagem pelo Coventry, da Inglaterra, tem um estilo até parecido com o de Tevez. Muito guerreiro, batalha por cada bola e não desiste da vitória em nenhum momento.

O prodígio de Ta’ Qali

A trajetória de Mifsud no futebol começou cedo. Pelo tradicional Sliema Wanderers, debutou aos 16 anos como profissional. Logo chamou a atenção ao se tornar um dos principais jogadores da equipe com tão pouca idade. Aos 18 anos, era titular absoluto do time e já balançava as redes com frequência.

Não demorou para despertar interesse de grandes europeus. O Manchester United foi o primeiro. Após ficar próximo a um acordo de grande benefício ao futebol local, Mifsud permaneceu no Sliema Wanderers. Na temporada 2000-01, marcou impressionantes 20 gols em 25 partidas.

Em 2001, finalmente o interesse de outros centros foi confirmado. O Kaiserslautern fechou com a joia, que à época tinha 20 anos. Apesar do sucesso em Malta, ele saía sem nenhum título de grande expressão. Foram 60 gols marcados em quatro anos.

Carreira em países tradicionais

Na Alemanha, as oportunidades não surgiram como esperado e o atacante só conseguiu maior destaque atuando pelo time B do Kaiserslautern. Sendo assim, voltou ao país natal para cumprir o seu papel. Em apenas seis meses no retorno, ajudou o Sliema Wanderers a ser campeão nacional. Foram 12 jogos e oito gols marcados.

Aos 23 anos, mais amadurecido e no auge da forma física, rumou para o Lillestrom, clube norueguês. E no país nórdico fez sucesso. Foram três ótimas temporadas, inclusive com o prêmio de melhor estrangeiro da liga em 2005. O atacante seguia fazendo das suas.

O dia de Messi Mifsud em Manchester

Então, nada melhor do que jogar na Inglaterra. A proposta do Coventry foi muito boa e a joia brilhou. O mosquito voou, principalmente na temporada 2007-08. Os dois gols dele contra o Manchester United, em pleno Old Trafford, pela Copa da Liga Inglesa, fizeram o Mosquito virar Messi.

Foi assim que a La Gazzetta dello Sport descreveu após o jogador de Malta eliminar o poderoso Manchester. Talvez a grande partida da carreira de Mifsud. Depois da passagem pela Inglaterra, Mifsud continuou a mostrar que a idade não pesa em alguns casos.

Ainda passou pelo Valetta, gigante maltês, onde conquistou mais um título do Campeonato Nacional. Até na Austrália o atacante jogou. Nos dias de hoje, representa o Birkirkara. Mais do que isso, continua a ajudar Malta a evoluir. A ilha paradisíaca também quer ser reconhecida pelo futebol. Mifsud já ajudou a dar os primeiros passos.

Autoria: Alambrado

Deixe o seu comentário

bomfutebol