-- ------ Michel Preud'Homme - Saint Michel - Bom Futebol
Bom Futebol

Michel Preud’Homme – Saint Michel

Michel Preud'Homme

Michel Preud’Homme – Saint Michel

A baliza do Sport Lisboa e Benfica esta actualmente entregue a um jovem de origem belga.  Mile Svilar nasceu em Agosto de 1999 em Antuérpia, e nesse Verão terminava a carreira um dos mais notáveis guarda redes que passou pela história do clube encarnado. O BomFutebol recorda o belga Michel Preud`Homme:

O Campeonato do Mundo dos Estados Unidos em 1994 consagrou o Brasil de Romário, Bebeto e companhia como Campeões do Mundo. Em Terras do Tio Sam brilharam estrelas como Balakov, Baggio, Hagi, Brolin, que com as suas jogadas e golos decisivos levaram as suas selecções longe na competição. Na baliza da Bélgica brilhou a grande altura um “jovem” de 35 anos que estava a caminho do Sport Lisboa e Benfica.

Preud’Homme chegou a Portugal no Verão de 1994, poucas semanas depois de ser considerado o melhor guardião do Campeonato do Mundo. A distinção ajudou a calar aqueles que temiam que a idade do belga fosse um problema. O Benfica era o campeão português em titulo e operava uma verdadeira revolução no plantel sob o comando de Artur Jorge.

Um percurso consistente ate chegar ao Estádio da Luz

O percurso no campeonato belga ao serviço do Standard Liège e do Mechelen, aliado à vasta experiência internacional adquirida ao serviço da Selecção belga, eram garantia de experiência e maturidade. O exigente terceiro anel do antigo Estádio da Luz recebia com entusiasmo o belga de cabelos longos.

Na primeira temporada joga uns impressionantes 47 jogos, mas a equipa fica longe de corresponder às expectativas e termina num decepcionante 3º lugar no Campeonato. Na temporada seguinte nova revolução no plantel com consequencias negativas, o Benfica termina em 2º lugar a 11 pontos do Campeão F.C. Porto.

Jamor – Unico titulo pelo S.L.Benfica

A temporada 1995/1996 terminou no Jamor, onde o belga garantiu o seu único troféu pela equipa encarnada. Numa final contra o rival Sporting, que ficou marcada pela morte de um adepto leonino. Preud’Homme foi uma das figuras do jogo, num Benfica orientado pelo velho capitão Mario Wilson.

Um gigante adormecido

As temporadas seguintes não trouxeram sucesso colectivo ao clube da Luz, revoluções constantes no plantel, nas equipas técnicas e até na direcção do clube, não ajudavam a encontrar o caminho para rivalizar com o domínio do F.C. Porto na altura. A baliza encarnada era exposta a mais trabalho do que o habitual, mas o belga conquistou tudo e todos com exibições memoráveis. Rápido, ágil, evitou muitas vezes males maiores para uma equipa já de si fragilizada. Numa altura negra da história do gigante lisboeta, Michel Preud´Homme era um dos poucos jogadores de classe mundial que restava.

Lenda

O belga ficou na memória e nos corações de uma geração dos adeptos encarnados e do futebol português em geral. Profissional dedicado, conquistou a simpatia de todos.

Para a geração de adeptos do BomFutebol português do final dos anos 90, a figura do guarda- redes belga do Benfica é incontornável. Era quem todos queríamos ser na escola quando íamos à baliza, era a elegância em cada voo, em cada saída, a ultima barreira de uma equipa tantas vezes feita em pedaços.

 

 

Numa noite quente em Agosto de 1999, o Estádio que tanto vibrou com a sua arte, despediu-se dele sabendo que o seu legado seria eterno. A velhinha Luz assistiu ao final de mais uma carreira brilhante, a de um belga que chegou com o estatuto de melhor do mundo e saiu como um dos melhores de sempre da história do clube. Saint Michel saiu apenas com um título e uma coleção interminável de colegas que não estavam à altura da sua categoria.

 

Deixe o seu comentário

bomfutebol