-- ------ Mundial Rússia 2018. Brasil rumo ao hexa? - Bom Futebol
Bom Futebol

Mundial Rússia 2018. Brasil rumo ao hexa?

Mundial Rússia 2018. Brasil rumo ao hexa?

Mundial Rússia 2018. Brasil rumo ao hexa?

Depois do ‘percalço’ Dunga, parece que Tite deu mesmo um novo fôlego ao Brasil, que é o primeiro apurado para o Mundial Rússia 2018, com quatro jornadas de sobra, juntando-se desta forma aos organizadores. Já a Argentina voltou a tropeçar e logo na Bolívia, claramente inferior, posicionando-se no perigoso 5.º lugar. As restantes vagas CONMEBOL para a Rússia serão disputadas até ao último segundo, por aquilo que se vai observando.

Tabela Classificativa

Tabela Classificativa

Fonte: CONMEBOL

A 14.ª jornada iniciou-se com novo tropeço da Argentina, derrotada pela frágil Bolívia e com Bauza a justificar-se disparatadamente com a suspensão tardia de Messi (castigo por vídeo face a impropérios dirigidos). Um seleccionador que opta por não convocar Icardi, que tem nomes como Dybala, Lavezzi, Aguero (todos colocados no banco pelo técnico, que optou por Correa e Pratto), Di María e afins, arranjar desculpas para a derrota diante desta Bolívia da forma como o fez apenas demonstra que não é o homem para o cargo.

Foi pouco audaz e a Argentina revelou-se presa fácil, apenas retorquindo depois de se ver atrás no marcador, numa vantagem que a Bolívia procurou e fez por merecer, apenas sendo amordaçada com o decorrer do encontro e aí notando-se a menor capacidade física de uma selecção que, ao contrário da brilhante dos anos 90, assente no talento da casa, sem dimensão competitiva que permita ombrear com as congéneres do subcontinente.

Vídeo Bolivia 2 Argentina 0

Quem aproveitou, desta feita, os deslizes da concorrência foi a Colômbia, que saltou novamente para a 2.ª posição mercê do triunfo sobre o Equador.

Foi de rabo, ou algo parecido, que James Rodríguez adiantou cedo os ‘Cafeteros’ na visita ao Equador. Uma defesa ‘Tri’ muito permeável permitiu que a leitura de jogo e velocidade de reacção do talentoso James levasse a melhor. Aos 33 minutos foi a outra estrela colombiana, Cuadrado, a tirar proveito de novas deficiências posicionais, de antecipação, leitura, acompanhamento e reacção do lado equatoriano para dobrar o avanço. Estava praticamente selada a vitória forasteira da Colômbia, que se mantinha bem forte na corrida pela Rússia 2018.

Vídeo Equador 0 Colombia 2

Quem também tirou o melhor partido da derrota argentina foi o vizinho Chile, que cumpriu a obrigação caseira de bater a Venezuela, 3-1, para novamente ultrapassar a ‘Albiceleste’.

Se há um par de dias Alexis tinha sido excessivamente perfeccionista, desta feita a estrela do Arsenal não tirou as medidas em demasia e o livre não embateu na barra em cheio, entrou mesmo a roçar a barra, de uma perfeição invejável.

Foi intratável Alexis Sánchez e é dele que nasce também o segundo tento chileno, concluído por Paredes aos seis minutos. Uma entrada cavalgante a desarmar qualquer resposta ‘Vinotinto’.

Ver este Alexis Sánchez a jogar pelo Chile e o que faz pelo Arsenal, diz muito em desfavor de Wenger ou Luis Enrique. O terceiro é também quase todo seu. Nova iniciativa da esquerda para a direita, a fazer outra paralela à linha da área, dá na direita, vai quase ao poste para impedir a bola de sair e Paredes apenas tem de encostar.

O melhor que a Venezuela conseguiu foi reduzir por intermédio da sua vedeta, Salomón Rondón.

Nota para Pedro Hernández, que se inseriu bem com Aranguiz e Vidal no miolo chileno. ‘Substituir’ Marcelo Díaz não é tarefa fácil, mas quer no clube, Celta, quer na selecção, Hernández está a mostrar-se bem, uma ‘descoberta’ tardia do futebol europeu.

Vídeo Chile 3 Venezuela 1

A conjugação de resultados dava ao Brasil o apuramento em caso de vitória sobre os ‘Guaranis’ e a formação de Tite voltou a não vacilar, mantendo o ‘gaúcho’ um registo invicto desde que assumiu o ‘Escrete’.

Uma tremenda movimentação, em aceleração de Philippe Coutinho da direita para o meio, com Paulinho a combinar de forma perfeita deu ao ‘Red’ a oportunidade de abrir o activo. Silva ainda adiou o segundo e para inclusive um penalti a Neymar, mas estava definido que o Brasil aumentaria o volume da vantagem.

Neymar arranca ainda na sua metade defensiva, encostado à linha pela esquerda, acelera sem marcação, flecte para o meio, ultrapassa vários adversários e sobe a parada para 2-0. O Brasil já podia celebrar o apuramento.

Paulinho volta a revelar-se notável num papel de ‘9’, ou seja, a colocar-se entre os centrais, a fechá-los na sua marcação, mas sendo vital na tabela, de calcanhar para Marcelo apontar o terceiro. Este Paulinho é uma verdadeira revelação de e com Tite, que futebolista!

Vídeo Brasil 3 Paraguay 0

As esperanças de apuramento do Peru residiam num obrigatório triunfo sobre o Uruguai. Adiantam-se primeiro os ‘Charruas’. Luis Suárez a aguentar muito bem o agarrar do defesa peruano, a dar em Carlos Sanchez e o médio, num remate semi-falhado acaba por desfeitear Gallese.

Durou pouco a vantagem. Bola longa, para o eterno Guerrero, Godín a denotar falta de ritmo, sem conseguir acompanhar e/ou parar o veterano dianteiro, que soma mais um tento para o seu historial. Aos 33 minutos, quatro depois do Uruguai inaugurar a contagem, estava tudo novamente empatado.

O Peru apresentava-se bem melhor, jogadas de toque curto, envolvência e o revirar do marcador já se antecipava. Foi Edison Flores a concluir da melhor forma uma jogada iniciada na direita por Carrillo, a ganhar confiança finalmente e a juntar a qualidade individual à equipa, trazendo assim mais-valias.

Vídeo Perú 2 – 1 Uruguay

Não será fácil para Peru e Paraguai, mas com 18 pontos e o 2.º a ter 24, ainda com 12 pontos em jogo, tudo está em aberto.

O Uruguai x Argentina da próxima jornada promete muita ‘chispa’, mas ainda teremos na 15.ª jornada um Chile x Paraguai, com a ‘roja’ a poder ‘eliminar’ virtualmente os ‘Guaranis’, o Equador a viajar ao Brasil, onde Tite já prometeu que passaria a chamar jogadores menos utilizados a pensar no Mundial, nas alternativas e nas respostas dos convocados, a Colômbia obrigada a vencer a Venezuela em casa desta e o Peru a ter na Bolívia em casa nova oportunidade para entrar na refrega. Os jogos não serão em Junho, apenas no final de Agosto (31), com a 16 a correr a 5 de Setembro, podendo deixar tudo ainda mais confuso em face dos duelos previstos.

Autor: António Valente

Deixe o seu comentário

bomfutebol
Powered by Live Score & Live Score App