-- ------ Pinhalnovense 1 x Vitória de Setúbal 2... em jogo típico de Taça
Bom Futebol

Pinhalnovense 1 x Vitória de Setúbal 2… em jogo típico de Taça

Pinhalnovense 1 x Vitória de Setúbal 2… em jogo típico de Taça

Vitória FC e Pinhalnovense encontraram-se no Campo Santos Jorge, no Pinhal Novo, para disputar a 3.ª eliminatória da Taça de Portugal 2017/18.

Devido à paragem das Seleções, o jogo foi encarado com bastante expetativa pelos adeptos dos dois emblemas, que deram um lindo espectáculo no campo (que estava cheio, com mais de 2.000 a assistir, a maior parte deles do Vitória sadino).

O Vitória vinha de uma derrota por 2-1 em Vila do Conde frente ao Rio Ave, enquanto que o Pinhalnovense vinha de uma vitória por 0-3 frente ao Almancilense.

O Vitória, que desta vez já contou com o apto João Teixeira e com Semedo, alinhou com o seguinte 11:

 

Vitória de Couceiro sofreu, mas acabou por vencer no Pinhal Novo.

Imagem 1 – Couceiro encarou eliminatória a sério. ’11’ sem poupanças indicou isso mesmo. Fonte: lineupbuilder.

Já o Pinhalnovense, lançou as seguintes unidades:

 

Vitória teve que suar para ultrapassar obstáculo vizinho.

Imagem 2 – Pinhalnovense apresentou, como era expectável, o seu melhor ’11’ e… deu que fazer aos vitorianos. Fonte: lineupbuilder.

 

Início só deu… Vitória

O jogo começou com um Vitória a atacar rapidamente e logo aos 2′ podia ter marcado.

Aos 18′, gritou-se mesmo golo por parte dos adeptos pinhalnovenses, mas o árbitro invalidou o tento de Alain por falta ofensiva.

Com um Pinhalnovense a jogar em contra-ataque, era o Vitória que tinha a maior posse de bola e as melhores oportunidades do jogo, sendo que aos 30′ Gonçalo Paciência, vindo da esquerda, desmarcou Arnold, que do lado direito, e sozinho em frente à baliza, desperdiçou por intermédio de um remate frouxo, ao lado da baliza dos da casa. Dez minutos depois, foi a vez de Gonçalo Paciência atirar rasteiro um pouco ao lado da baliza dos visitados.

Imagem 3 – Apesar do ascendente vitoriano, 1.ª parte foi bem disputada. Fonte: Diário do Distrito.

 

No reatar da segunda parte, o Vitória voltou a entrar pressionante, e aos 49′ Maringá negou o golo a Gonçalo Paciência, saindo com confiança aos pés do dianteiro sadino.

 

… E o golo surgiu com naturalidade

Aos 55′, José Couceiro substituiu Semedo pelo internacional Edinho para reforçar o ataque, mas seria Gonçalo Paciência a dar o melhor seguimento a um livre marcado por João Amaral (aos 65′). A bola foi levantada para a área e o avançado sadino cabeceou em arco bem ao ângulo esquerdo de Maringá, que só com asas é que lá podia chegar. 0-1 e os adeptos sadinos em festa!!!

A vantagem galvanizou o Vitória e minutos depois foi a vez de Edinho atirar ao lado.

Com um Pinhalnovense melhor do que o Vitória neste período, foi a vez de Gonçalo Paciência, um dos mais ativos na partida, a atirar às mãos de Maringá. Isto quando faltavam dez minutos para os 90’.

O ascendente da equipa da casa aumentou e aos 82 minutos de jogo Feiteira desmarcou-se e atirou ao lado da baliza sadina.

Aos 85′, estalou o verniz no Santos Jorge. Jiachen Li adiantou-se no terreno e foi derrubado em falta por Nuno Pinto, mas o árbitro Bruno Esteves considerou que a falta ocorreu antes do avançado transpor a linha da grande área. Na sequência dos protestos, o árbitro expulsou Arnold, mas voltou atrás na sua decisão e decidiu expulsar Tomás Podstawski, ficando o Vitória a jogar com menos um. Do livre não resultou grande perigo. Saiu o esférico muito por cima.

Com as saídas de João Amaral e Gonçalo Paciência, o Vitória mostrava-se nervoso e o pior acabou por acontecer poucos minutos depois.

 

Aproveitando mais uma unidade em campo, Pinhalnovense levou jogo para o ‘extra time’ aos… 90’+6′

Beneficiando de o adversário estar reduzido a 10, o Pinhalnovense não desistiu do empate e aos 90’+6’ Alain marcou o golo da igualdade, metendo o recinto ao rubro! Cristiano não agarrou a bola, a mesma sobrou para Jiachen Li, que rematou, mas a bola sobrou para o central pinhalnovense, que atirou a contar para o fundo das redes. 1-1!!!

 

Vitória acaba por impor… força natural

Na primeira parte do prolongamento, e mesmo com menos um, o Vitória entrou mais acutilante. Mesmo assim, o nulo só viria a ser desfeito aos 113 minutos (já na segunda parte), quando João Teixeira tira um defesa da casa da frente e remata em arco para o golo final. O Campo Santos Jorge ”caiu” devido aos intensivos festejos vitorianos, com alguns mesmo a invadir o campo. 1-2!!!

O Pinhalnovense ainda tentou ir às grandes penalidades, mas no último minuto de jogo o remate de Bruno Grou acabou por ser desviado para canto.

O Vitória continua em frente na Taça de Portugal e o triunfo por 1-2 frente ao Pinhalnovense foi justo. Ainda assim, o Pinhalnovense deu forte réplica aos vitorianos e quase que fez ”Taça”, o que, aliás, atendendo ao que foi o desafio, podia claramente ter sucedido.

 

Autor: Vitória FC-Adeptos

Deixe o seu comentário

bomfutebol