-- ------ Pontapé com Alma - Adepto do Futebol Clube do Porto - Bom Futebol
Bom Futebol

Pontapé com Alma – Adepto do Futebol Clube do Porto

Pontapé com Alma – Adepto do Futebol Clube do Porto

No artigo da semana passada, referi que o jogo do último domingo seria como um teste final. Não com a perspectiva de selar o campeonato, pois ainda falta 4 jogos difíceis até à conclusão do mesmo, mas sim como se o Porto teria alma e coração para ultrapassar o seu grande rival.

E quem melhor para provar esta gana de vencer que tão habituados estamos e que nos parece escapar à 4 anos do que um dos mais criticados do plantel. O remate indefensável de Herrera, ao qual nada Varela podia fazer, foi quase como um grito de revolta, passando o mexicano de vilão recorrente ao capitão herói. O jogo foi repartido, com ascendente do Benfica na primeira parte e do Porto na segunda parte, demonstrando que as equipas são bastante equiparáveis.

No entanto, foram as substituições que tiveram um impacto que valeu o match-point para o Futebol Clube do Porto. Não tanto pela qualidade dos jogadores – Salvio não é inferior a Rafa Silva, Samaris sabe segurar o meio-campo à sua maneira e Seferovic era o elemento mais ofensivo no banco – mas pela mensagem passada. Tirar um dos elementos que mais desequilibrou, tirar outra seta para colocar Samaris e juntar Seferovic a Jimenez mas só com Zivkovic e Sálvio para fazer a bola chegar lá frente passou a mensagem errada para dentro de campo.

Aproveitou o Futebol Clube do Porto, ao tirar o amarelado Sérgio Oliveira, colocando um jogador de trata tão bem a bola como Oliver, tirar Otávio para colocar Corona e refrescar a linha avançada – em vez de acrescentar Aboubakar a Tiquinho – manteve a equipa equilibrada e mostrou que só a vitória interessava. Foi Herrera a marcar, não nenhum dos recém-entrados, mas o mais importante foi a mensagem entendida dentro das 4 linhas.

Match-Point

Com 2 pontos de avanço, os dragões têm o seu primeiro “serviço” já em casa contra o Vitória de Setúbal, onde terão que fazer valer o excelente desempenho no Dragão, esta temporada, e levar de vencida os Sadinos. Não nos podemos esquecer que 2 pontos de vantagem podem ser facilmente desperdiçados, como tão bem sabemos, e garantir o máximo número de pontos possível, lembrando um Sporting – Benfica na penúltima jornada.

Mais importante, dependemos apenas de nós novamente, tendo 4 jogos de elevada dificuldade – Vitória de Setúbal, o sempre difícil Marítimo nos Barreiros, o Feirense – que já empatou 2 vezes no Dragão – e terminar no berço da nação, esperando já ter a questão resolvida.

 

Deixe o seu comentário

bomfutebol