-- ------ Premier League 2017/2018 - Jornada 7 - Bom Futebol
Bom Futebol

Premier League 2017/2018 – Jornada 7

Premier League 2017/2018 - Jornada 7

Premier League 2017/2018 – Jornada 7

Análise aos dez jogos realizados na Jornada 7 da Premier League 2017/2018, com destaque para o jogo grande entre Chelsea e Manchester City.

A Jornada 7 da Premier League 2017/2018, trouxe mais um fim de semana de Bom Futebol. Foram dez jogos, disputados a grande nível táctico, intensidade física e emocional, e com grandes momentos de Bom Futebol. Com um Chelsea – Manchester City como cabeça de cartaz, o Manchester United certamente que não queria facilitar para aproveitar um eventual deslize do Manchester City. Será que o conseguiu? Acompanhe-nos nesta viagem resumo pelos dez jogos da Jornada 7 da Premier League 2017/2018.

Huddersfield Town 0 4 Tottenham
Stoke City 2 1 Southampton
West Bromwich 2 2 Watford
West Ham United 1 0 Swansea City
Manchester United 4 0 Crystal Palace
AFC Bournemouth 0 0 Leicester City
Chelsea 0 1 Manchester City
Arsenal 2 0 Brighton & Hove Albion
Everton 0 1 Burnley
Newcastle 1 1 Liverpool

Huddersfiel Town 0 – 4 Tottenham

O jogo que abriu a Jornada 7, terminou com uma contundente vitória do Tottenham. A equipa da capital inglesa, deslocou-se ao terreno do Huddersfield, não dando hipóteses ao seu adversário. Com uma fortíssima primeira parte (a ganhar por 0-3) na segunda parte o Tottenham optou por controlar o jogo, tendo ainda aumentado o resultado.

Kane voltou a ser o destaque individual da equipa. Logo aos 9 minutos, o internacional inglês surge isolado na cara do guarda-redes do Huddersfield e abriu o marcador numa finalização à matador. Sete minutos depois, Ben Davies a fazer o 0-2, aproveitando um ressalto de bola para calmamente aumentar o resultado. Ainda antes do intervalo, Harry Kane fez o seu segundo golo do jogo. O avançado do Tottenham conduz a bola do corredor direito para a zona central e faz um poderoso e colocado remate de pé esquerdo que só terminou no fundo da baliza de Lossl. O quarto, e último golo, surgiu já para lá do minuto 90. Ben Davies assiste Moussa Sissoko, que só teve de encostar para o fundo da baliza.

A vitória nesta Jornada 7 e os restantes resultados, permitem ao Tottenham passar a ocupar o terceiro lugar da classificação. A equipa visitada perde um lugar na tabela classificativa.

Stoke City 2 – 1 Southampton

Jogo entre duas equipas do meio tabela, em que a equipa da casa foi claramente mais feliz no momento mais crucial de todo o jogo: a finalização. O Southampton teve uns incríveis 70% de posse de bola. Essa maior posse de bola permitiu aos visitante terem mais oportunidades de golo que o adversário (21 contra 17). Contudo desses 21 oportunidades de golo só por 3 vezes o Southampton conseguiu rematar na direcção da baliza de Butland. Enquanto que o Stoke acertou por 6 vezes o remate com a direcção da baliza. Só para terem a noção do quão desenquadrada a finalização do Southampton foi, 12 dos seus remates foram directamente para fora.

A grande arma do Stoke City foi a sua estruturada e coesa organização defensiva. Além de permitir reduzir o grau de perigo que o adversário possa causa, esta boa organização defensiva permitia depois, quando em posse de bola, explorar o contra-ataque que colocou o Southampton em sentido. O primeiro golo do jogo surge nos últimos cinco minutos da primeira parte. Shaqiri marca o pontapé de canto e Diouf faz o 1-0 com um forte cabeceamento. O resultado não foi maior ao intervalo a favor do Stoke, pois Forster defende a grande penalidade de Saido Berahino.

Na segunda parte a toada ofensiva e de maior controlo ofensivo por parte do Southampton aumentou mas a eficácia manteve-se do lado do Stoke City. Após muita insistência o Southampton consegue chegar ao 1-1. Aos 75 minutos de jogo, Yoshida recebe o passe de Shane Long já dentro da grande área e o defesa japonês a fazer o golo do empate. Contudo a eficácia da finalização do Stoke City voltou a fazer estragos. Ao minuto 95, Choupo-Moting assiste Peter Crouch e o antigo internacional inglês não facilitou e fez o golo da vitória.

A faltar pouco menos do que cinco minutos para os 90 minutos e com mais cinco minutos de tempo de compensação, o Stoke City fechou-se em redor da sua área de penalti, conseguindo preservar a vantagem no marcador até ao apito final.

A vitória nesta Jornada 7 permite ao Stoke City voltar às vitórias, após quatro jogos sem vencer. A equipa visitante perde pela segunda vez consecutiva, sendo a primeira vez esta época que tal acontece. Destaque ainda para a participação de Cédric Soares. O defesa direito português esteve em campo durante o jogo todo, tendo um desempenho bastante positivo.

West Bromwich 2 – 2 Watford

O Watford teve uma difícil deslocação ao terreno do West Bromwich. Marco Silva e os seus jogadores defrontaram uma equipa, que apesar de não ganhar à quatro jogos jogos, são conhecidos por serem muito combativos fisicamente e defensivamente muito organizados. E durante o jogo, o Watford sentiu essas dificuldades em campo, tendo sido necessário muito esforço e dedicação para sair com um resultado minimamente positivo.

Tal como no jogo anteriormente descrito, neste também a equipa da casa demonstrou ser mais eficaz no momento da finalização. O Watford teve mais posse de bola e mais oportunidades de golo. Contudo foram os da casa a serem mais assertivos e eficazes na finalização. Aliás a eficácia do West Bromwich na primeira parte foi fantástica. Tendo feito somente dois remates na direcção da baliza de Gomes, esses dois remates resultaram em dois golos. Aos 18 minutos de jogo, Rondon trabalha muito bem dentro da área de penalti, aguentando a carga do defesa, e finaliza a sua jogada com uma potente remate para o 1-0.

Três minutos depois Jonny Evans, a ser mais oportuno que todos, aproveitando um pontapé de canto para cabecear para o 2-0. Dois golos em três minutos, tornavam a tarefa do Watford de um resultado positivo mais difícil. Contudo a equipa de Marco Silva reagiu bem e ainda antes do intervalo reduziu a diferença no marcador. Dacourt, aos 37 minutos, a fazer o golo que dava esperança ao Watford no resultado melhor, num bom lance de contra-ataque.

Com um golo de diferença do seu adversário, o Watford aumentou a sua intensidade ofensiva. Contudo isso resultou somente num único remate na direcção da baliza de Foster. Remate esse que surgiu ao quinto minuto de compensação. Num livre lateral, em que até Gomes subiu à área, Richarlison a fazer o cabeceamento que deu o empate final.

Apesar da boa prestação, o West Bromwich não consegue manter a vantagem e aumenta para cinco o número de jogos sem ganhar. O Watford, fruto dos resultados da Jornada 7, cai dos lugares europeus.

West Ham United 1 – 0 Swansea City

Neste jogo da Jornada 7 encontraram-se duas equipas que têm atravessado um período menos positivo. Com ambas as equipas perto dos lugares de despromoção, este era um jogo entre directos candidatos na luta pela manutenção na Premier League.

Com Renato Sanches, pelo Swansea, e José Fonte, pelo West Ham United, a jogarem o jogo todo, assistiu-se um jogo em que a disputa física e o duelo individual, foram mais determinantes do que propriamente a qualidade colectiva e táctica de ambas as equipas. Novamente foi a equipa forasteira a ter mais posse de bola e mais iniciativa ofensiva de jogo. E novamente essa maior posse de bola não se traduziu em maior eficácia ofensiva. Aliás o Swansea criou menos oportunidades de golo (6 contra 9) e menos remates na direcção da baliza adversária (1 contra 4).

O único golo do jogo surgiu já na segunda parte e mesmo em cima do minuto 90. Sakho, que entrou ao minuto 78 para o lugar de Chicharito, apareceu de rompante ao segundo poste, a finalizar o cruzamento de Musuaku, vindo do lado esquerdo do ataque do Hammers. Uma verdadeira dádiva para Bilic, numa altura do jogo em que os adeptos do West Ham United já abandonavam o estádio.

Com a vitória nesta Jornada 7, o West Ham United foge dos lugares de despromoção. O Swansea segue o caminho inverso e cai no antepenúltimo lugar da classificação e que já dá direito à despromoção.

Manchester United 4 – 0 Crystal Palace

Se há jogos em que uma equipa não pode facilitar, este era um desses jogos para o Manchester United. Além de ter de vencer o estatuto de favoritismo perante o Crystal Palace, e os dissabores que por vezes o excesso de favoritismo pode trazer, o Manchester United teria que vencer para aproveitar um eventual deslize do Manchester City. A equipa comandada por José Mourinho não concedeu nenhuma hipóteses ao lanterna vermelha da Premier League e venceu por uns esclarecedores 4-0.

O jogo teve um único sentido. Boa parte do jogo foi disputado na direcção da baliza de Hennessey. O Manchester United teve mais posse de bola, foi mais rematador e mais perigoso em todo o jogo. Os visitantes somente por uma vez obrigaram De Gea a defender, tendo o guarda-redes espanhol estado perfeitamente à altura do momento.

Dois golos na primeira parte e outros dois golos na segunda parte. Logo aos 3 minutos de jogo e Mata a fazer o 1-0. Rasford, sob o corredor esquerdo, fez o que quis do defesa adversário e serviu Mata no interior da área, para este fazer o primeiro golo. Aos 35 minutos de jogo Fellaini a fazer o 2-0. Novamente com cruzamento do lado esquerdo, desta vez de Young, e o belga a surgir ao segundo poste a encostar para o segundo golo do jogo.

No início da segunda parte, Fellaini fez o terceiro golo. Rashford na cobrança de um livre lateral no corredor esquerdo, coloca a bola certinha na cabeça de Fellaini, que nem teve de saltar para fazer o golo. Dois golos do médio belga a compensarem o bom momento de forma que tem vindo a demonstrar na ausência de Pogba. O golo final surgiu aos 86 minutos e veio do inevitável Lukaku. O potente avançado fez o golo da praxe, finalizando uma bonita jogada de ataque rápido, com um remate colocado.

O Manchester United ganhou pela sexta vez no campeonato, mantendo-se na liderança partilhada com o Manchester City. O Crystal Palace afunda-se cada vez mais num buraco que parece não ter fim. São já sete jogos, sete derrotas e nenhum golo marcado. Dias muito difíceis para os adeptos do Crystal Palace.

AFC Bournemouth 0 – 0 Leicester City

Este foi o único jogo da Jornada 7 em que não se registou qualquer golo. Jogo entre duas equipas que não atravessam um bom rendimento nesta fase inicial da competição. O Bournemouth em penúltimo lugar, com três pontos. Já o Leicester tem somente mais um ponto que o seu adversário.

A equipa da casa foi sempre mais forte e foi quem mais esteve perto do golo. Mais posse de bola em todo o jogo, que resultou em mais oportunidades de golo que o seu adversário. Quando não era Schmeichel a parar os remates do Bournemouth, faltou o pormenor no momento da finalização. Logo aos 3 minutos de jogo Defoe esteve perto do golo, quando correspondeu a um cruzamento ao primeiro poste. Mas o seu remate bateu com estrondo no poste. Esta foi a melhor oportunidade em todo o jogo, já que os restantes remates ou saíram ao lado ou foram parados por Schmeichel.

Nenhuma das equipas conseguiu aproveitar para se superiorizar sob a outra. Ambas continuam separadas por um ponto e nos mesmos lugares que antes ocupavam da Jornada 7.

Chelsea 0 – 1 Manchester City

Este era o jogo grande da Jornada 7. O Manchester City tinha uma difícil deslocação a Londres para defrontar o campeão em título. Com menos três pontos à partida para o jogo, o Chelsea precisava de uma vitória para não deixar fugir as equipas da frente. A verdade é que o Manchester City foi mais forte a impor a sua forma de jogar, vencendo a partida em Stamford Bridge.

O Manchester City conseguiu pôr em prática o seu jogo de posse e muita circulação de bola. Os 62% de posse bola além de permitirem um grande número de oportunidades de golo, limitou a acção do Chelsea, pois retirou parte da iniciativa de jogo aos Blues. De referir que o Chelsea criou somente quatro oportunidades de golo e só por duas vezes rematou na direcção da baliza de Ederson.

O golo que garantiu a vitória ao Manchester City surgiu já na segunda parte. Após várias oportunidades, algumas delas negadas por brilhantes defesas de Courtois, de Bruyen conseguiu bater o seu compatriota. O médio belga do Manchester City fez um fantástico remate de pé esquerdo sem qualquer hipótese para o guarda-redes do Chelsea.

A vitória do Manchester City nesta Jornada 7 permite aos Citizens manter-se na liderança partilhada com os seus rivais da cidade de Manchester. O Chelsea, fica a seis pontos da liderança e cai um lugar na classificação.

Arsenal 2 – 0 Brighton & Hove Albion

O Arsenal conseguiu nesta Jornada 7 algo inédito para si nesta edição da Premier League. Ao receber e vencer o Brighton, o Arsenal conseguiu pela primeira vez vencer dois jogos seguidos na edição de 2017/2018 da Premier League.

O Arsenal confirmou o favoritismo com que chegava a este jogo, tendo um exibição amplamente superior ao seu adversário. Mais posse de bola (65% vs 35%), mais oportunidades de golo (25 vs 9) e mais remates na direcção da baliza adversária (12 vs 1), são dados que atestam a clara superioridade do Arsenal neste jogo. O primeiro golo do jogo surgiu aos 18 minutos de jogo. Monreal aproveitou uma bola solta no interior da área, para fazer o remate de pé direito para o 1-0. Na segunda parte Iwobi, aos 56 minutos de jogo, faz o 2-0 aproveitando uma soberba assistência de calcanhar de Sanchez.

A vitória do Arsenal nesta Jornada 7 permite à equipa subir na classificação e manter a distância de seis pontos para a liderança. O Brighton & Hove Albion, cai um lugar na classificação, mantendo os sete pontos já feitos antes deste jogo.

Everton 0 – 1 Burnley

O Burnley a confirmar, neste jogo da Jornada 7, o bom início de época. A equipa do Burnley continua sem saber o que é perder fora de casa. Se o ano passado boa parte dos pontos do Burnley foram feitos nos jogos em casa, desta vez, a equipa encontrou a fórmula certa para ganhar jogos fora de casa.

Essa fórmula de sucesso passa por dar a iniciativa de jogo ao adversário e focar a sua atenção para ter uma boa e forte organização defefensiva. Defender bem é o primeiro ponto na estratégia de jogo do Burnley. A partir desta premissa, os jogadores do Burnley estão crentes que defendendo bem vão ter oportunidades de golo e nas poucas oportunidades que possam ter vão conseguir fazer golo. Ao ver o Burnley jogar é isso que se sente. Todos os elementos da equipa, do guarda-redes ao avançado, estão dispostos a sacrificarem-se por manter a baliza protegida, pois acreditam que irão fazer golo na única oportunidade de golo que possa surgir.

O único golo do jogo surgiu ainda na primeira parte. Aos 21 minutos de jogo, Hendrick recebe a bola no interior da área, com uma finta de corpo tira Schneiderlin da frente e fez o golo da vitória, num remate que enganou o guarda-redes Pickford.

Após dois empates consecutivos o Burnley soma a terceira vitória da época e sobe na classificação. O Everton volta a cair na tabela classificativa estando a dois pontos dos lugares de despromoção.

Newcastle 1 – 1 Liverpool

O jogo que encerrou a Jornada 7 colocou frente a frente dois clubes históricos do futebol inglês. O Liverpool deslocou-se à cidade de Newcastle mas não conseguiu melhor do que o empate. Isto apesar de ter estado a vencer.

Analisando a estatística de jogo, não será descabido dizer que o Liverpool foi a equipa que mais fez para garantir a vitória. Teve mais posse de e criou mais oportunidades de golo que o Newcastle. Contudo os visitados foram mais objectivos e assertivos na fase ofensiva. O Newcastle, com menos tempo com bola e menos oportunidades de golo, rematou por mais vezes na direcção da baliza adversária e fez o mesmo número de golos.

O Liverpool foi a primeira equipa a fazer o golo. Aos 29 minutos de jogo, Coutinho encheu o pé e fez um fantástico remate de meia distância, que só parou no fundo da baliza do Newcastle. Que golaço de Coutinho, que parece estar no caminho certo para voltar ao seu melhor momento de forma. O Newcastle respondeu ao golo sofrido e aos 36 minutos de jogo, empatava o jogo. Num lance de contra-ataque, o Newcastle aproveita o mau posicionamento dos dois defesas centrais do Liverpool para fazer o 1-1. Joselu, lançado nas costas da defesa do Liverpool, acaba por ter sorte no momento da finalização. Matip tenta o desarme em esforço mas o seu corte faz a bola desviar no pé de Joselu e esta acaba por ir directamente para o fundo da baliza de Mignolet.

Até ao fim do jogo, o Liverpool tentou chegar ao 1-2 mas faltou arte e engenho para encontrar a melhor solução.

O empate faz com que a equipa do Liverpool fique mais longe do primeiro lugar e caia na tabela classificativa. Para o Newcastle o empate não representou grandes mudanças práticas. A equipa do Newcastle continua no décimo lugar, tendo até averbado mais um ponto na luta pela manutenção.

Conclusão

Figura 1 – Classificação actual da Premier League após a Jornada 7 – Fonte: www.zerozero.pt

Após os vinte e dois golos marcados que ditaram os resultados da Jornada 7 da Premier League 2017/2018, na Figura 1 temos o estado actual da tabela classificativa. Manchester City e Manchester United continuam a liderar a classificação. Ambas as equipas têm dezanove pontos e são as únicas equipas ainda invictas. Ligeira vantagem para o Manchester City nos critérios de desempate, por ter melhor diferença de golos. Na frente do grupo de perseguidores aos líderes está o Tottenham com catorze pontos. Seguem-se Chelsea e Arsenal com treze pontos cada. Burnley, Liverpool e Watford seguem logo de seguida, com doze pontos cada equipa.

No fundo da tabela, Crystal Palace continua no último lugar com zero pontos. O Bournemouth é penúltimo, com quatro pontos. O Swansea City volta a cair para o o antepenúltimo lugar com cinco pontos. Os mesmos pontos que o Leicester, que também se encontra numa posição muita delicada.

Em termos individuais, Lukaku lidera isolado a lista de melhor marcador da Premier League. Com sete golos marcados, o belga tem agora um golo de vantagem sobre Aguero, Morata e Harry Kane, todos com seis golos cada. Quanto a assistências, David Silva é o jogador com mais passes para golo, com seis. Mkhitaryan segue logo atrás com cinco passes de morte, enquanto que Matt Richie do Newcastle e Azpilicueta do Chelsea, fecham o pódio, com quatro assistências cada um.

No próximo fim de semana não haverá Premier League, devido aos compromissos das selecções. Quando a acção da Premier League regressar, teremos mais dez jogos de grande qualidade e emoção. A Jornada 8 da Premier League irá começar com um escaldante Liverpool – Manchester United. Um jogo que colocará frente a frente as duas equipas com mais títulos de campeão inglês, na história do futebol britânico. Certamente que não haverá melhor forma da dar início a uma mais jornada do melhor futebol em terras britânicas.

Deixe o seu comentário

bomfutebol