-- ------ Premier League 2017/2018 - Resumo da Jornada 6 - Bom Futebol
Bom Futebol

Premier League 2017/2018 – Resumo da Jornada 6

Premier League 2017/2018 – Resumo da Jornada 6

A Premier League 2017/2018 continuou com a disputa da Jornada 6. Com as duas equipas de Manchester empatadas na liderança da competição, no arranque desta Jornada 6, a grande questão era saber se ambas continuariam a liderar ou alguma perderia pontos. A verdade é que assistiu-se a mais uma jornada do melhor futebol inglês. Golos, emoção e espectáculo, foram os ingredientes para mais uma jornada de Bom Futebol em terras de sua majestade. Estes foram os resultados da Jornada 6 da Premier League de 2017/2018.

West Ham United 2 3 Tottenham
Southampton 0 1 Manchester United
Stoke City 0 4 Chelsea
Swansea City 1 2 Watford
Manchester City 5 0 Crystal Palace
Everton 2 1 AFC Bournemouth
Burnley 0 0 Huddersfield Town
Leicester City 2 3 Liverpool
Brighton & Hove Albion 1 0 Newcastle
Arsenal 2 0 West Bromwich

West Ham United 2 – 3 Tottenham

A Jornada 6 da Premier League começou com um derby londrino. O Tottenham deslocou-se ao terreno do West Ham United e levou de vencida o derby. Harry Kane foi a grande figura em destaque no jogo, com dois golos apontados.

Jogo equilibrado no que concerne à gestão da posse de bola. Mais objectivo e eficaz o Tottenham na gestão dessa mesma posse de bola. Conseguiu manter a bola em sua posse mais perto da área do West Ham, o que foi fundamental para criar mais oportunidades de golo e remates que o seu adversário. Kane esteve novamente em destaque, ao apontar dois golos ainda antes do intervalo. Primeiro aos 34 minutos de jogo, ao responder ao cruzamento de Alli com um colocado cabeceamento. O segundo golo, aos 38 minutos, ao aproveitar uma bola perdida no interior na área de penalti para fazer o 0-2.

A ganhar com dois golos de vantagem ao intervalo, na segunda parte Eriksen fez o 0-3 que se pensava daria a tranquilidade necessária até ao fim do jogo. Contudo o relaxe do Tottenham permitiu ao West Ham “crescer” no jogo e complicar o que parecia fácil para os Spurs. Aos 65 minutos de jogo Chicharito Hernandez aproveita uma sobra a um primeiro cabeceamento de José Fonte, após um canto, para fazer o 1-2. A pressão ofensiva do West Ham intensificou-se com o golo marcado e ficou ainda mais forte com a expulsão de Aurier, por acumulação de cartões amarelos. Kouyate, aos 82 minutos de jogo, fez o 2-3, num cabeceamento a curta distância da baliza, o que obrigou o Tottenham a passar por dificuldades para segurar a vantagem no marcador até ao fim do jogo. A verdade é que com menos um jogador, os jogadores do Tottenham conseguiram manter a vantagem e garantiram três pontos mais suadíssimos.

Com esta vitória o Tottenham sobe na classificação, sendo neste momento quarto classificado. Já o West Ham, não consegue aproveitar a sequência de dois jogos a pontuar e volta a perder, a quarta vez neste campeonato. Juntando a derrota aos restantes resultados da Jornada 6, o West Ham United volta a cair para os lugares de despromoção.

Imagem 1 – Kane a ganhar vantagem a José Fonte e a cabecear para o 0-1 – Fonte: www.premierleague.com

Southampton 0 – 1 Manchester United

A jogar à mesma hora que o Manchester City nesta Jornada 6, o Manchester United sabia que somente uma vitória nesta difícil deslocação lhe garantia a possibilidade de continuar no primeiro lugar. Uma vitória conquistada com muito sacrifício e luta.

Na primeira parte, o Manchester United assumiu o controlo do jogo, criando mais oportunidades de golo que o seu adversário. Lukaku acabou por ser o rosto da materialização desse maior controlo em golo. Aos 20 minutos de jogo, o avançado belga fez o único golo do jogo, numa recarga após cabeceamento também da sua autoria. Na segunda parte assistiu-se a um jogo totalmente diferente. O Southampton assumiu o controlo do jogo, enquanto que o Manchester United deu prioridade a defender bem e a partir daí explorar o contra-ataque. Na segunda parte o Southampton criou nove oportunidades de golo sendo que por três vezes rematou com perigo na direcção da baliza de De Gea. Valeu ao Manchester United a atenção e reacção do guarda-redes espanhol que evitou males maiores.

Com a vitória o Manchester United mantém-se em igualdade pontual com o Manchester City no primeiro lugar. A equipa do Southampton sofre a segunda derrota da competição e cai alguns lugares na classificação.

Imagem 2 – Lukaku no momento em que fez o golo que deu a vitória ao Manchester United – Fonte: www.premierleague.com

Stoke City 0 – 4 Chelsea

Um difícil deslocação do Chelsea nesta Jornada 6. Contudo a equipa de Conte demonstrou estar bem preparada para o desafio chamado Stoke City. O herói do jogo foi Álvaro Morata, com três golos marcados. Este foi o primeiro hattrick de Morata ao serviço do Chelsea.

Cedo o Chelsea chegou à vantagem. Logo aos 2 minutos de jogo e Azpilicueta descobriu Morata que fez o primeiro golo do jogo. Por volta dos 30 minutos de jogo, Pedro fez o 0-2 com um forte e colocado remate à entrada da área. Esta foi uma primeira parte em que o Chelsea foi tremendamente eficaz. Nos únicos dois remates na direcção da baliza do Southampton, dois golos marcados.

Na segunda parte, o Chelsea continuou a ser mais eficaz que o seu adversário. Com menos oportunidades de golo e novamente com somente dois remates na direcção da baliza de Butland, fez mais dois golos. Todos da autoria de Morata. Aos 77 minutos de jogo, Morata tem uma fantástica “arrancada” com a bola controlada, terminando a sua jogada com uma finalização cheia de classe. Por fim, aos 82 minutos de jogo, Pedro assiste Morata com um passe de peito e o avançado ex-Real Madrid a ter uma finalização simples, a coroar uma exibição fantástica com o hattrick. Um jogo de tremenda eficácia ofensiva do Chelsea, em que os jogadores espanhóis (Morata, Pedro e Azpilicueta) estiveram em grande destaque.

O Chelsea mantém-se assim a três pontos dos líderes, esperando por um deslize por parte das duas equipas de Manchester. O Stoke City encaixa nesta Jornada 6 a sua segunda derrota consecutiva. Aumentando assim para quatro o número de jogos consecutivos sem ganhar.

Imagem 3 – Morata a ser cumprimentado por Conte após o seu primeiro hattrick pelo Chelsea – Fonte: www.premierleague.com

Swansea City 1 – 2 Watford

Após conhecer pela primeira vez o sabor da derrota na jornada anterior, o Watford reagiu muito bem nesta Jornada 6 e voltou rapidamente às vitórias. Na difícil deslocação ao País de Gales para defrontar o Swansea City, Marco Silva conseguiu acertar na estratégia que lhe permitiu arrecadar os três pontos.

Um jogo equilibrado, com ligeira ascendência para cada equipa em cada parte de jogo. Na primeira parte mais controlador e com mais iniciativa ofensiva por parte da equipa de Marco Silva. Esse maior controlo de jogo trouxe um golo cedo. Aos 13 minutos e Gray fazia o 0-1. O avançado aproveitou uma sobra de bola do defesa, no interior da área de penalti, para na cara do guarda-redes finalizar com força e de forma colocada.

Em desvantagem no marcador ao intervalo, na segunda parte a postura do Swansea City foi outra. Passaram a assumir o controlo e iniciativa do jogo. Criaram mais oportunidades de golo na segunda parte do que o Watford. Muito desta mudança de atitude e postura no jogo foi consequência da mudança táctica operada ao intervalo por Paul Clement. O treinador do Swansea abdicou do 3-5-2 com qual iniciou o jogo e apostando numa estrutura em 4-3-3 para a segunda parte. Aos 56 minutos de jogo, Abraham fez o golo do empate e relançou o jogo, no restante tempo que faltava. O jovem atacante aproveitou uma defesa incompleta de Gomes a remate de Bony, e na recarga fez o 1-1. O jogo assumiu uma toada de maior equilíbrio e foi nesse momento que o Watford soube ser mais matreiro e mais eficaz que o Swansea. Em cima do minuto 90, já com Renato Sanches em campo pelo lado do Swansea, Richarlison fez o golo da vitória do Watford. O atacante brasileiro foi mais forte que Mawson no 1×1 (muito má abordagem do defesa do Swansea, sabendo que era o último defesa entre o adversário e o guarda-redes) e na cara do guarda-redes não teve problemas para fazer o golo.

O Swansea volta a não conseguir ganhar, aumentando para três o número de jogos consecutivos sem ganhar. O Watford deu uma excelente resposta após ter sofrido a primeira derrota da competição na jornada anterior. Esta vitória demonstra o espírito que Marco Silva e os seus jogadores atravessam neste momento.

Manchester City 5 – 0 Crystal Palace

Este jogo da Jornada 6 da Premier League poderia ser traiçoeiro para o Manchester City. Todos esperavam uma vitória clara e fácil por parte dos jogadores treinados por Pep Guardiola. E por vezes é em momentos destes, em que parece que a vitória está garantida que as surpresas surgem. Contudo Pepe Guardiola trabalhou bem com os seus jogadores para não deixar que o excesso de confiança não lhes trouxesse um dissabor. Uma vitória categórica perante um frágil adversário.

A história do jogo remete-se aquilo que o Manchester City fez. Com uma alta taxa de posse de bola (72%) não deixou que o seu adversário tivesse muito tempo a bola. E nas vezes que o Crystal Palace teve bola, por nenhuma vez o Manchester City deixou que o Palace fizesse um único remate na direcção da baliza de Ederson. Já o Manchester City demonstrou um verdadeiro festival ofensivo. Vinte e cinco oportunidades de golo, com nove remates na direcção da baliza e cinco a darem em golo.

Com Bernado Silva a sair do banco aos 61 minutos de jogo, a goleada começou a ser construída por Sané. Já perto do fim da primeira parte, Sané tem uma brilhante jogada individual que termina com uma finalização fantástica. Uma jogada em que o internacional alemão demonstra toda a sua capacidade técnica, controlo de bola e coordenação motora. Os restantes golos estavam reservados para a segunda parte. Sané assistiu Sterling para o 2-0, isto aos 51 minutos de jogo. Sterling voltaria a marcar por volta do minuto 59, desta vez com assistência de Aguero. Sané voltaria a estar em destaque ao minuto 79, ao assistir Aguero para o 4-0. E o 5-0 final saiu dos pés do recém entrado Delph, que fez um belíssimo golo de pé direito, ao colocar a bola mesmo no ângulo superior num remate de fora da área de penalti. Um golo muito festejado por Guardiola.

Com esta vitória na Jornada 6 e, em especial, pelos golos marcados, o Manchester City está em primeiro lugar com uma melhor diferença de golos que o Manchester United. O Crystal Palace continua em última lugar, sem qualquer ponto conquistado ou qualquer golo marcado.

Imagem 4 – Sané, com um brilhante golo e duas assistências, a ser o herói do Manchester City – Fonte: www.premierleague.com

Everton 2 – 1 AFC Bournemouth

Os visitados muito que precisavam de uma vitória nesta Jornada 6. Ela surgiu neste jogo mas foi muito difícil. Foi necessário um esforço extra para dar a volta ao marcador, após o Bournemouth ter assumido a vantagem no marcador.

O jogo foi bastante equilibrado, com ambas as equipas a repartirem a posse de bola de forma quase igual. Ligeira vantagem para o Everton no número de oportunidades criadas, sendo que ambas as equipas fizeram o mesmo número de remates na direcção da baliza. Mas mais eficaz foi o Everton, que fez mais golos com o mesmo número de remates que o Bournemouth.

Os golos somente surgiram na segunda parte. Logo no arranque da segunda parte, aos 49 minutos de jogo, Joshua King a fazer o 0-1. O avançado norueguês tem uma brilhante jogada individual qu culmina com um colocado remate à entrada da área. A perder por 0-1, Koeman toma a decisão que acabaria por dar a vitória ao Everton. Aos 55 minutos tira Klassen e Rooney e faz entrar Davies e Niasse para os respectivos lugares. A entrada de Niasse não poderia ser mais acertada, pois o avançado ex-Hull City, fez os dois golos que deram a volta ao marcador. Aos 77 minutos de jogo, recebe o passe de Davies (o outro jogador que entrou aos 55 minutos) e faz o empate. Cinco minutos depois Niasse confirma o 2-1 final com um cabeceamento à boca da baliza, após o remate de Tom Davies ter sido desviado pelo corpo de um adversário.

A vitória nesta Jornada 6 permite ao Everton pôr o fim a uma sequência de quatro jogos sem ganhar. Assim a equipa da cidade de Liverpool sai dos lugares de despromoção. Já o Bournemouth mantém o penúltimo lugar da classificação, com somente três pontos feitos.

Burnley 0 – 0 Huddersfield Town

Jogo entre duas equipas do meio da tabela, que têm feito um início de competição positivo. Com ambas as equipas a terem o mesmo número de pontos antes deste jogo da Jornada 6, o equilíbrio manteve-se dentro de campo.

Assistiu-se a um equilíbrio entre as duas equipas nos diferentes momentos do jogo. Um jogo disputado com muita intensidade física e fortes duelos individuais mas com pouca qualidade naquilo que é a essência do jogo de futebol. Faltou golos mas acima de tudo faltou às duas equipas capacidade criativa que permitisse a existência de golos.

Nesta Jornada 6 tudo fica tal como começou, para estas duas equipas. Ambas continuam com o mesmo número de pontos, desta vez com nove pontos cada uma.

Leicester City 2 – 3 Liverpool

Mais um jogo da Jornada 6 que atraía as atenções do público. Duas equipas com bastante historial no futebol inglês. O Liverpool foi mais forte nesta deslocação ao campo dos Foxes.

Um jogo disputado a um grande ritmo e velocidade. Duas equipas com posturas e estratégias de jogo opostas. Enquanto que o Liverpool teve mais posse de bola e aproveitou essa posse de bola para criar mais oportunidades de jogo. O Leicester procurava fechar os espaços em direcção à sua baliza e sempre que tinha oportunidade saía em velozes contra-ataques que punham a equipa do Liverpool pouco confortável no jogo.

O Liverpool chegou ao intervalo com uma vantagem de 1-2. Aos 15 minutos de jogo, Coutinho descobriu Salah ao segundo poste e o egípcio a cabecear para o 0-1, já com pouco ângulo. O 0-2 surgiu por Coutinho, na marcação de um livre directo. Que golaço por parte do internacional canarinho. Ainda antes do intervalo entrou em acção Okazaki. O avançado japonês aproveitou uma sobra de bola na pequena área, após uma desastrosa saída de Mignolet, para fazer o 1-2 que relançava o jogo ainda antes do intervalo. Na segunda parte a toada do jogo manteve-se igual. Aos 68 minutos de jogo, o Liverpool aproveita uma saída em contra ataque para fazer o 1-3. Henderson recebe a bola na área completamente sozinho, com um primeiro toque fica enquadrado com a baliza e com o segundo toque na bola a fazer o remate vitorioso. O Leicester City a reagir com aquela força que só os Foxes têm. Logo no minuto seguinte, aos 69 minutos, Vardy reduziu para 2-3. O avançado inglês aproveitou uma defesa incompleta de Mignolet (novamente a não ficar bem na fotografia) e a cabecear para uma baliza deserta, confirmando o golo. A reacção do Leicester só não atingiu outra proporção pois Mignolet redimiu-se das falhas nos golos anteriores e também da grande penalidade que cometeu aos 71 minutos. O guarda-redes do Liverpool defendeu a grande penalidade de Vardy e assim permitiu que o Liverpool mantive-se a vantagem e saísse de Leicester com os três pontos.

O Liverpool aproveita assim para acabar com uma sequência de dois jogos consecutivos sem ganhar. A vitória nesta Jornada 6 serviu para subir alguns lugares na classificação. O Leicester City soma o quarto jogo sem ganhar. Os Foxes ocupam o perigoso décimo sétimo lugar, o lugar imediatamente acima da linha de água.

Imagem 5 – O momento do jogo: a defesa de Mingolet ao penalti de Vardy – Fonte: www.premierleague.com

Brighton & Hove Albion 1 – 0 Newcastle

Jogo da Jornada 6 entre duas equipas que este ano foram promovidas à Premier League. Mais forte a equipa da casa que consegue assim a segunda vitória nesta edição da Premier League.

A justiça de uma vitória poderá ser sempre discutível. Mas a verdade é que o Newcastle fez por merecer algo mais do que a derrota. Os visitantes foram a equipa que mais posse de bola teve durante o jogo (61% contra 49%) e que mais oportunidades criou. Foram dezassete oportunidades de golo e cinco remates na baliza, enquanto que o Brighton criou sete oportunidades de golo e só por três vezes rematou na baliza do Newcastle. Contudo o Brighton foi mais forte que o Newcastle num aspecto: foi mais eficaz e fez golo. Pode ser pouco mas é o detalhe suficiente para garantir a vitória.

O único golo do jogo surgiu já na segunda parte. Aos 51 minutos, Hemed aproveitou um primeiro cabeceamento de Stephens, para de forma acrobática fazer o único golo do jogo.

A vitória do Brighton nesta Jornada 6 foi importante para que a equipa subisse lugares na classificação e esteja agora mais longe dos lugares de descida. O Newcastle vê a sua boa sequência de três vitórias consecutivas a ser interrompida. Veremos como reagirá o Newcastle na próxima jornada, à derrota sofrida.

Arsenal 2 – 0 West Bromwich

Na Jornada 6 o Arsenal voltou a jogar em casa e voltou a ganhar. Para já a equipa liderada por Wenger só sabe ganhar jogando no seu próprio terreno.

O Arsenal demonstrou na prática a teoria de que era a equipa mais forte neste duelo. Foi a equipa que mais posse de bola teve em todo o jogo e a equipa que mais procurou o golo. Foram dezasseis as oportunidades de golo que o Arsenal criou. Dessas oportunidades surgiram seis remates na direcção da baliza adversária. Desses seis remates o Arsenal fez dois golos.

Lacazette foi o homem golo do jogo. O avançado francês fez o primeiro golo aos 20 minutos, aproveitando uma recarga de um livre directo de Sanchez para inaugurar o marcador. Na segunda parte, Lacazette fechou o marcador com o 2-0 aos 67 minutos de jogo. Lacazette não vacilou na marcação de um penalti e fez o seu segundo golo no jogo.

Após empate na jornada anterior, o Arsenal volta às vitórias. É o momento para o Arsenal conseguir fazer duas vitórias seguidas e estabilizar o nível de performances e resultados. O West Bromwich junta esta derrota aos três anteriores jogos sem ganhar. Após um bom início de época, com duas vitórias consecutivas, o West Bromwich parece não conseguir estabilizar o seu rendimento nesta edição da Premier League.

Imagem 6 – Lacazette no momento da conversão do penalti, a fazer os dois golos do jogo – Fonte: www.premierleague.com

Conclusão

Figura 1 – Classificação da Premier League após a conclusão da Jornada 6 – Fonte: www.zerozero.pt

Após uma Jornada 6 em que os dez jogos renderam 28 golos (somente um jogo não teve golos), na Figura 1 apresenta-se a classificação actual da Premier League. Manchester City e Manchester United continuam como líderes da competição, em igualdade pontual. Contudo o Manchester City tem vantagem no desempate por ter uma melhor diferença de golos. Segue-se o Chelsea com menos três pontos que os líderes. Depois do Chelsea, um grupo de três equipas com onze pontos cada, composto por Tottenham, Watford e Liverpool. O Arsenal encerra as sete primeiras posições, tendo dez pontos.

No fim da tabela classificativa, Crystal Palace continua em último lugar com zero pontos. Bournemouth é penúltimo com três pontos, enquanto que o West Ham United desceu para antepenúltimo lugar.

Destaque ainda para a luta para o prémio de melhor marcador, que começa a aquecer. Neste momento, Morata, Lukaku e Aguero seguem na frente com 6 golos cada um. Contudo goleadores como Kane, Sterling, Vardy, Gabriel Jesus e Lacazette, certamente que terão ainda uma palavra a dizer na disputa pelo o título de goleador da Premier League 2017/2018.

Na próxima jornada teremos um escaldante Chelsea – Manchester City. Este será um duro teste à liderança do Manchester City. Certamente que o Manchester United fará de tudo para ganhar o seu jogo com o Crystal Palace e assim esperar por um eventual deslize por parte do Manchester City. Certo é que este grande jogo irá trazer mais espectáculo e emoção à Premier League.

Deixe o seu comentário

bomfutebol
Powered by Live Score & Live Score App