-- ------ Reviravolta Frontal(e) mantém Kawasaki na luta pelo título - Bom Futebol
Bom Futebol

Reviravolta Frontal(e) mantém Kawasaki na luta pelo título

kawasaki frontale

Reviravolta Frontal(e) mantém Kawasaki na luta pelo título

A luta pelo título da Meiji Yasuda J1 League parece reduzida a dois, o campeão Antlers segue com cinco pontos de avanço e a perseguição reduz-se a Kawasaki Frontale depois da segunda derrota consecutiva de Kashiwa Reysol, agora a 11 do líder, com cinco encontros por disputar. A equipa Kawasaki recuperou de 0-2 aos 80′ para uma vitória por 3-2 e o sonho vivo.

Kobayashi foi um verdadeiro capitão e guiou o Kawasaki Frontale a uma remontada nos últimos 10 minutos da recepção ao Vegalta Sendai. Fonte: YouTube

Kawasaki Frontale 3-2 Vegalta Sendai (Primeiro Tempo)

A pressão da possibilidade do título foi sentida pelos da casa e acabaram por ser os, aflitos, visitantes a mostrarem os primeiros fogachos ofensivos. O sul-coreano Jung é obrigado a uma intervenção de recurso para impedir o 0-1 antes dos 10 minutos de encontro. Nishimura nem acreditava nos reflexos de Jung.

Mostrava-se muito nervosa a formação da casa, mas não seria de esperar que fosse o veterano Ienaga, já com experiência europeia, a realizar uma absurda falta ofensiva para ser expulso por acumulação aos 42 minutos. O Kawasaki Frontale ficava reduzido a 10 ainda na primeira metade e não se afigurava fácil este desafio.

É nos descontos da primeira metade que uma jogada muito bem gizada pela equipa do Vegalta resulta na concretização de Notsuda. O jovem canhoto oriundo de Hiroshima surge na zona de finalização depois de um envolvimento colectivo a partir da direita e que envolve quase meia equipa.

O Kawasaki Frontale ruma aos balneários derreado pela expulsão e um golo aos 45+4!

Kawasaki Frontale 3-2 Vegalta Sendai (Segundo Tempo)

Outra jogada ofensiva do Frontale resulta no golo do Vegalta. Nishimura está novamente envolvido na jogada. A uma semana de completar 21 anos o avançado do Vegalta mostra-se com muita qualidade na produção de jogo, mais do que na concretização, e é ele a progredir, a ‘comer’ metros, até que a bola chega à direita a Hachisuka, entrado pouco antes, centrando este para Ishihara somar mais um tento e não dar quaisquer oportunidades ao guardião da casa.

A meia hora do final da partida o Kawasaki Frontale via-se quase afastado do título com esta derrota.

Apesar de reduzidos a 10, os de Kawasaki acordam e Seki brilha nas redes forasteiras.

O lateral esquerdo Kurumaya cria o desequilíbrio ofensivo no seu flanco, flecte para o interior e dá em Elsinho, no flanco oposto, este chega-se perto da área e saca um remate indefensável para o 1-2. Aos 82 minutos a partida estava relançada.

Kurumaya estava imparável e recebe de Moriya, volta a carregar ofensivamente pela esquerda, dá agora no capitão Yu Kobayashi e este não se faz rogado, se Elsinho bateu por cima, Kobayashi finaliza rasteiro, mas novamente sem hipóteses para Seki. Aos 84 minutos a partida estava empatada.

Hasegawa recupera a bola a meio-campo, ele que entrou ao intervalo, dá em Kobayashi e este tem mais um grande golo. Aos 87 minutos o Frontale virava o resultado, três golos em cinco minutos… e que golos! Os de Kawasaki mantinham-se na corrida pelo título.

Kashima Antlers 2-0 Sanfrecce Hiroshima

O Sanfrecce visitou o Kashima com o fantasma da descida a pairar sobre os de Hiroshima, mas a derrota foi o resultado da viagem e a equipa visitante está no trio da zona vermelha a cinco rondas do final.

Para o Antlers, campeão em título, permanece a vantagem sobre o Kawasaki Frontale e a defesa do campeonato com sucesso afigura-se como o cenário mais provável.

Até foram os visitantes a causarem os primeiros calafrios, no entanto uma saída mal conseguida vê a bola chegar a Shoma Doi e este passa por um par de oponentes e remata fortíssimo para dar o primeiro ao Antlers.

Sogahata garantia o avanço dos campeões e permanecia seguro nas redes do Kashima. Tentava o Sanfrecce igualar, mas o guarda-redes da casa mantinha a baliza virgem neste desafio.

O letal Yuma Suzuki entrou aos 67 minutos e encostou para o 2-0, já nos últimos 10 minutos. O avançado de 21 anos soma 13 golos no ano, divididos pelas várias competições, apesar do pouco tempo de jogo. Para Suzuki são seis tentos na Meiji Yasuda J1 League, em pouco mais de 800 minutos, um golo na Supertaça, em 25 minutos, dois na Taça, em cerca de 110 minutos, e ainda quatro na Liga dos Campeões em menos de 500 minutos! Pede claramente mais tempo de jogo.

Consadole Sapporo 3-0 Kashiwa Reysol

Se os dois primeiros acabaram por prevalecer diante de aflitos, os de Kashiwa soçobraram na visita ao norte, num importante triunfo para o Consadole, a ganhar uma almofada de quatro pontos sobre a zona de despromoção.

O avançado inglês Bothroyd foi a figura da partida. Antes dos 10 minutos ganha a bola de cabeça e assiste o capitão Miyazawa, homem da casa e que esteve nas duas subidas recentes do clube, para o 1-0.

Gu assume protagonismo e assegura o avanço da casa ainda com a margem mínima.

A parceria Miyazawa-Bothroyd volta a funcionar, agora em sentido inverso, para o 2-0, numa saída falhada de Kosuke Nakamura.

Os da casa rumam ao descanso com dois tentos de avanço.

O lateral Ishikawa tem um centro largo ao segundo poste e o gigante inglês volta a superiorizar-se no jogo aéreo para o 3-0. O Consadole Sapporo respira de alívio. Já o Kashiwa Reysol vê o Kawasaki Frontale agora a seis pontos e volta a ter a perseguição mais próxima pelo derradeiro lugar na Liga dos Campeões da próxima época.

Yokohama F Marinos 1-1 Omiya Ardija

Hugo Vieira saiu logo aos 18 minutos, lesionado, não se sabendo ainda o grau de extensão da lesão para o avançado minhoto do F Marinos.

O empate impediu os donos do terreno de ultrapassarem o Reysol e voltarem ao pódio da liga nipónica.

Da parte dos visitantes, penúltimos, segue a esperança da manutenção.

Foi o dianteiro minhoto a causar os primeiros arrepios às redes adversárias, acabando por se lesionar no joelho em jogada dividida, logo aos nove minutos.

Ainda sem a substituição realizada, com mais uma unidade, o Omiya Ardija foi eficaz. O antigo avançado do Vitória Guimarães Marcelo Toscano, que acabaria excluído já nos descontos por acumulação de amarelos, realiza um passe perfeito para Yokotani e este cabeceia para o 0-1, surpresa no Nissan.

O F Marinos carregava, porém os ferros e as pernas impediam o golo, acabando a primeira metade com vantagem visitantes.

Esaka sai num contra bem veloz, mas remata rente ao poste, a margem mínima mantinha-se, o Ardija desperdiçava soberana oportunidade de chegar ao segundo golo.

Uma insistência pela esquerda, a envolver o lateral Yamanaka e Maeda, acaba por ressaltar para Nakamachi e, na resposta à oportunidade de Esaka, o médio remata rasteiro para o empate.

O F Marinos parece ter esmorecido com o empate e acaba por ser o Ardija a crescer e a procurar mais a vitória, que não chegaria. A divisão de pontos acaba por não beneficiar qualquer dos intervenientes, os da casa não aproveitam na plenitude a derrota do Reysol, os visitantes seguem a cinco pontos do primeiro acima da linha de descida.

Sagan Tosu 1-2 Cerezo Osaka

Depois de três desaires de enfiada, o Cerezo Osaka relança-se pela Liga dos Campeões neste retorno à J1 com os três pontos em Tosu.

Uma grande penalidade concretizada pelo colombiano Ibarbo dá aos de Ficcadenti a primeira vantagem. O Sagan Tosu segue tranquilo na tabela e mostrava-se à vontade no encontro.

A resposta não podia ser melhor. Na jogada seguinte, aproveitando uma deficiente abordagem defensiva, o Cerezo Osaka iguala. Sugimoto é mais um jovem nipónico a pedir olhos atentos por parte dos observadores profissionais, técnica de qualidade, finta curta, boa finalização, são já 17 golos para o avançado de 24 anos, que na época passada já havia conseguido 14 na subida do Cerezo novamente para o primeiro patamar do futebol japonês.

Volta a ser o Sagan Tosu a estar perto do golo, mas a trave e a falta de pontaria impediram o 2-1.

Um centro de Mizunuma vê o já consagrado Kiyotake, regressado ao Japão depois de cinco temporadas na Europa, cabecear ao segundo poste para preciosos três pontos no encalço ao pódio final.

Shimizu S-Pulse 0-3 Jubilo Iwata

Quem se relança pelo apuramento continental é o Jubilo Iwata do mágico Nakamura, agora a três pontos apenas desse 3.º lugar.

O Shimizu prossegue aflito, tem apenas dois pontos sobre a zona de descida.

Foi o polaco Kaminski a mostrar primeiro a sua qualidade, impedindo a inauguração do marcador por parte dos da casa.

Na resposta o ‘tanque’ Adailton recebe a bola na linha, ainda em miolo defensivo, combina com Kawamata, acelera brutalmente na esquerda e apenas as redes da baliza param o seu remate. O Jubilo Iwata chegava à vantagem pouco depois da meia hora.

Matsubara é expulso por agressão nos descontos da primeira parte, tornando ainda mais difícil a recuperação para o S-Pulse.

Um canto bem chegado ao primeiro poste por parte de Nakamura vê Kakuda tentar um alívio de calcanhar, no entanto o defesa apenas consegue enganar o seu guardião e ver a bola anichar-se na sua própria baliza. Continua cheio de encanto Shunsuke Nakamura.

É novamente a partir do pensamento de Nakamura que nasce o terceiro golo. O criativo dá em Sakurauchi, este centra para Miyazaki, que bate de primeira, o guarda-redes ainda desvia, contudo surge Yamada, acabado de entrar, para o 0-3. O Jubilo está na luta pela ‘Champions’.

Urawa Reds 1-1 Vissel Kobe

Quem ficou mais longe dessa qualificação via liga foi o Urawa Reds, anulado para um empate na recepção ao Vissel Kobe.

Dois golos nos primeiros 20 minutos definiram o resultado final deste desafio.

Ogawa deu avanço aos visitantes antes dos cinco minutos, desta feita sem Podolski marcar.

Yajima igualou aos 18 minutos, assistido por Ugajin.

Sucederam-se outras ocasiões de parte a parte, mas não mais se alteraria o resultado.

Gamba Osaka 0-1 Albirex Niigata

Quando já estão praticamente despromovidos, apenas pela matemática se mantêm agarrados, os homens do Albirex Niigata surpreenderam o Gamba Osaka num jogo em que realmente criaram mais oportunidades e Ogawa, à terceira tentativa, acabou mesmo por desfeitear Higashiguchi e o Albirex adiou a despromoção automática já nesta jornada.

Já sem chances de grande classificação, o Gamba Osaka mira o próximo ano e foca-se nas outras competições.

Ventforet Kofu 1-1 FC Tóquio

Kawata é o primeiro a brilhar e o clube da casa mantém o nulo com um brilhante voo do seu guardião. Não muito depois o brasileiro Lins dá avanço ao Kofu, que sonhava com um vital triunfo na desesperada fuga à descida.

A formação da casa parecia abençoada, bola no ferro e Kawata agarra novamente o esférico.

Utaka é expulso em cima do intervalo e parecia que a formação da capital sairia desta viagem com derrota.

Um livre lateral de Ota tem em Maruyama o igualador. À passagem da hora, com menos um, o FC Tóquio empata a partida e o Ventforet fica com somente um ponto sobre a linha de descida.

Deixe o seu comentário

bomfutebol