-- ------ Ao cuidado do Sporting: Análise ao Grupo D da Liga dos Campeões - Bom Futebol
Bom Futebol

Ao cuidado do Sporting: Análise ao Grupo D da Liga dos Campeões

Ao cuidado do Sporting: Análise ao Grupo D da Liga dos Campeões

Inicia, já amanhã, nova edição da Liga dos Campeões. Hoje, analisamos o grupo D, de onde faz parte o Sporting, que irá defrontar os italianos da Juventus, os espanhóis do Barcelona e os gregos do Olympiacos.

Juventus FC – Take 2

Os italianos de Turim tentam, novamente, a sua terceira conquista da prova. Na edição anterior, 2016/2017, os comandados de Massimiliano Allegri marcaram presença na final de Cardiff, de onde saíram vencidos por 4-1 pelo poderoso Real Madrid.

Da bela equipa da temporada 2016/2017 poucas foram as mexidas. Allegri apenas procedeu a uma limpeza necessária de balneário, dado o conflito, agora conhecido, entre Bonucci e Dani Alves, o que levou à saída de ambos.

As poucas alterações no onze e ausência natural de alterações táticas e do seu modelo de jogo, dão a ideia de uma segunda tentativa de assalto ao titulo europeu, dispondo de uma base sólida e pontualmente reforçada com o virtuosismo de Douglas Costa, o pulmão de Matuidi e a versatilidade e segurança de Höwedes. A estranheza vai para a não inscrição do lateral direito Lichtsteiner.

O mais provável e natural, será que discuta a liderança do grupo com o FC Barcelona.

Juventus FC – A Equipa

Provável escolha mais forte de Allegri para a sua Juventus.

Formação teoricamente mais forte da Juventus de Massimiliano Allegri.

O Mítico Buffon na baliza, trio defensivo composto por Barzagli, Rugani (natural substituto de Bonucci) e Chiellini, que provavelmente não fará parte do primeiro jogo frente ao Barcelona dada a lesão na coxão que apresenta. A ausência de Chiellini poderá levar Allegri a alterar o sistema tático, para uma dupla de centrais, passando a utilizar De Sciglio, visto que o austríaco Lichtsteiner não está inscrito na competição, no flanco direito defensivo da Vecchia Signora, ou então uma troca direta, possibilitando a entrada no onze de Benatia ou Höwedes.

Nas alas, Alex Sandro surge como indiscutivel, no flanco esquerdo, enquanto no lado contrário poderão atuar Cuadrado ou De Sciglio.

No meio campo, será natural a presença do principal organizador de jogo do conjunto italiano, Pjanic parece-me essencial em todo o jogo da Juventus. Será sempre bem acompanhado seja por Khedira ou por Matuidi, não esquecendo Marchisio.

Mais na frente, Dybala é o artista vagabundo, Mandzukic, o ponta de lança lutador vinda da esquerda e, Higuain, o matador de serviço.

FC Barcelona – Na procura de reedificação

Com apenas duas saídas, aquela que então era considerada a “Melhor Equipa do Mundo”, perdeu a sua identidade. Com Luis Enrique, que substituiu Pep Guardiola, o Barça alterou a sua forma de jogar, passando a ser muito mais uma equipa de contra golpes em velocidade. Cada vez menos era uma equipa de organização e posse de bola. Pior do que isso, perdeu, algo que lhe era essencial. A reação à perda da bola.

Ernesto Valverde parece estar a recuperar isso mesmo. Um FC Barcelona muito mais pressionante e em busca de recuperar a posse do esférico, o mais depressa possível. Até mesmo os índices de posse de bola têm sido superiores aos do ano passado.

A “substituição” de Xavi e, até mesmo, de Iniesta, é algo que deveria já ter sido feita à bem mais tempo. Hoje, cai-se no erro da tentativa-erro. Não estão, naturalmente, em questão as qualidades individual dos centros campistas, mas parece me claro que nenhum deles têm as qualidades, caraterísticas, nem entendimento do jogo “Barça” que Xavi tinha. Nada tem vindo a ser feito para colmatar os dois génios (Xavi e Iniesta) e manter a mesma qualidade coletiva de jogo. Na época transata os catalães já pagaram a sua estranha falta visão de futuro (estranho dizer isto de um clube como o FC Barcelona). Será que este ano continuará a pagar?

Este ano, Messi e companhia entraram muito bem no campeonato, tendo já 100% vitória nos três jogos realizados. Um bom pressagio para uma equipa a tentar reencontra-se duplamente, após a saída milionária de Neymar.

FC Barcelona tem, no entanto, todas as condições de superar a fase de grupos, seja no primeiro ou segundo lugar do grupo D.

FC Barcelona – A Equipa


F.C.Barcelona 2017/2018

F.C.Barcelona 2017/2018 de Ernesto Valverde.

Ter Stegen indiscutível na baliza catalã, tal como Jordi Alba no flanco esquerdo da sua defensiva. Exatamente o contrário do que existe no flanco contrário. A enorme indefinição já levou à utilização de Aleix Vidal, Sergi Roberto e de Nelson Semedo. Contemos, como portugueses, que Nelson Semedo conquiste a titularidade. Ao meio as coisas parecem agora mais definidas com Pique a formar dupla com Umtiti, em detrimento de Mascherano.

O meio campo será tradicionalmente o mesmo, com Sergio Busquets, Rakitic e Iniesta, ficando para segundas opções, André Gomes, Paulinho, Denis Suárez e até mesmo Sergi Roberto.

Na frente de ataque, a dúvida é saber que fará companhia aos intocáveis Messi e Suarez. Deulofeu parece estar a levar, para já melhor, dada a sua maior utilização, mas a chegada do senhor 105 Milhões, Dembélé, poderá trazer alterações, mais tarde ou mais cedo. Outra opção são Arda Turan, Paco Alcácer e Rafinha (lesionado).

Sporting CP – Leões procuram ganhar mais força para fazer frente a titãs

O Sporting de Jorge Jesus, para esta temporada, reforçou-se em todos os setores com maior qualidade.

Apesar do reforço de qualidade, existem consequências naturais que ainda se fazem sentir, apesar das 5 vitórias nas 5 primeiras jornadas do campeonato, tais como as rotinas e os entrosamentos entre setores e jogadores. Tudo uma questão de tempo.

A saída de Adrien pode ter sido, negativamente, importante, mas, de facto, abriu espaço a um meio campo bem interessante, William Carvalho, Battaglia e Bruno Fernandes.

Na época transata foram ao Santiago Bernabéu fazer boa figura, apesar da derrota. Esta temporada esperam fazer melhor tanto em Turim como em Barcelona.

Se no ano passado o grupo já era difícil, com Real Madrid e Dortmund, este ano parece ser ainda mais complexo pensar na passagem à próxima fase, com Juventus e Barcelona no grupo. O objetivo deverá passar por isso mesmo, fazer boa figura nos jogos contra os titãs e decidir a qualificação para a Liga Europa com o Olympiacos. No entanto, a surpresa é sempre possível.

Sporting CP – A Equipa

Sporting 2017/2018

Sporting 2017/2018 de Jorge Jesus.

Rui Patrício, o titular da Seleção Portuguesa na baliza, um quarteto defensivo composto por Piccini na direita, Fábio Coentrão na esquerda (nenhum deles deverá ser titular devido a lesões) e ao meio Mathieu e Coates.

Com a saída de Adrien, o meio campo leonino parece formar-se com a presenta de William Carvalho, como médio mais defensivo, Battaglia, para funcionar como uma espécie de Box-to-Box, e Bruno Fernandes, um 10 com o 8, de Pedro Barbosa, nas costas.

Mais na frente, os virtuosistas, Gelson Martins, na direita, e Acuña na esquerda, a servirem o ponta de lança holandês, Bas Dost.

Olympiacos Pireu – Bom investimento

A ultima vez que os gregos do Olympiacos superaram a fase de grupos foi exatamente contra uma formação portuguesa. Na temporada 2013/2014, deixou o SL Benfica no terceiro lugar do grupo com os seus mesmo 10 pontos (PSG passou em primeiro lugar com 13 pontos e o Anderlecht ficou na ultima posição com apenas 1 ponto), em que o confronto direto foi decisivo (uma vitória e um empate para os gregos).

O Olympiacos, do albanês Hasi, reforçou bastante e bem, apresentando-se uma equipa teoricamente mais forte do que em anos anteriores. Com jogadores de características distintas e variadas, o que permitem aos gregos jogarem com em diferentes estilos de jogo. Num grupo com Juventus e Barcelona, o uso do contra golpe poderá ser uma boa arma a ser utilizada pelos comandados por Hasi.

Olympiacos Pireu – A Equipa

Olympiacos 2017/2018

Olympiacos 2017/2018 de Besnik Hasi.

Kapino manteve a titularidade mesmo com a chegada de Sílvio Proto, Diogo Figueiras parece ter ganho a melhor a Elabdellaoui. A não utilização de Botía e a lesão de Vukovic leva-nos a concluir que os titulares poderão ser o versátil e experiente Romao e o belga Engels. Ficando o flanco esquerdo entregue a Milic.

O meio campo mais recuado, poderá ficar entregue a Gillet, mais experiente e oferecendo equilíbrio defensivo, e a Odjidja-Ofoe, um centro campista de todo o terreno. Mais à frente, Fortounis é o maestro e poderá ser coajudado por Marko Marin, que busca a sua afirmação em definitivo. Ou então, Hasi, poderá sempre procurar maior velocidade e verticalidade com a inclusão de Pardo ou Carcela num dos flancos, mantendo Sebá no outro.

Na posição de ponta de lança, as opções são variadas e de qualidade. Apostamos mais na força e velocidade de Emenike, dado os adversários existentes no grupo, no entanto, as opções, Djurdjevic, Ansarifard e El Fardou Ben, não são de descurar.

Primeira Jornada:

Terça-Feira, 19h45

FC Barcelona vs Juventus FC

Olympiacos Pireu vs Sporting CP

Deixe o seu comentário

bomfutebol