-- ------ Alfredo e Batatinha: Os novos ciclones dos Açores
Bom Futebol

Alfredo e Batatinha: Os novos ciclones dos Açores

Alfredo e Batatinha: Os novos ciclones dos Açores

Como vem sendo hábito, o mercado de janeiro serve, essencialmente, para que os clubes façam alguns ajustes no seu plantel. Seja através de saídas, seja através de entradas para posições fulcrais. O Santa Clara, da Segunda Liga, trouxe dois reforços para o ataque: Alfredo Stephens e Rafael Batatinha.

Stephens, diretamente do… Panamá

Alfredo Stephens, provavelmente o mais desconhecido, veio do Chorrillo, atual campeão do Panamá. É avançado e tem 23 anos. Para além disso, o panamenho conta já com 9 internacionalizações e já se estreou inclusivamente a marcar pela sua Seleção. Avançado muito móvel, que descai pelas alas, procura quase sempre a profundidade que os defesas possam conceder. Apesar de não ser um «matador» nato, é um jogador com facilidade em aparecer em zonas de finalização. Stephens é o típico segundo avançado, que arrasta marcações e liberta espaços para os seus companheiros.

Para além de poder jogar na frente de ataque, Alfredo também poderá jogar descaído numa ala em vários modelos. O facto de ser um jogador extremamente agressivo na procura da bola, faz com que seja também um jogador versátil. Isto é, capaz de atuar em várias posições, algo que é fulcral no futebol contemporâneo. Em Portugal, com a velocidade de ponta que apresenta, poderá fazer estragos e, sobretudo, decidir jogos a favor da formação dos Açores. Há que dizer ainda que esta não é a primeira passagem do jovem do Panamá pelo futebol europeu. Pelo meio, houve uma temporada na Eslovénia (ainda que sem grande sucesso). Espera-se que Alfredo possa agora, em Portugal, apresentar o seu melhor futebol.

Imagem 1 – Alfredo Stephens já conta com 9 internacionalizações ao serviço do Panamá e poderá constar nas opções de Hernán Gomez para o Mundial. Fonte: zimbio.com

Batatinha, um jogador já com alguns anos em Portugal

O segundo reforço do clube, Rafael Batatinha, é um jogador sobejamente conhecido dos adeptos do clube açoriano. Consta do currículo do brasileiro a terceira passagem pelo clube, depois de há sensivelmente um ano ter sido vendido ao Chaves. Batatinha nunca se conseguiu adaptar ao futebol da equipa de Ricardo Soares e, mais tarde, de Luís Castro.

Na primeira metade da temporada, o canarinho esteve em Barcelos, ao serviço do Gil Vicente. Apesar de ter sido bastante utilizado, nunca conseguiu mostrar o nível que o havia catapultado para o primeiro escalão do futebol nacional. Rafael Batatinha é um jogador muito parecido a Stephens, embora com outras caraterísticas. Enquanto que o panamenho é um jogador que acaba por descair quase invariavelmente por uma ala do campo, Batatinha é uma espécie de «vagabundo». É aquele avançado que pode ocupar qualquer posição do terreno ofensivo e que aparece quase sempre bem quando há espaços. Tal como o seu colega dianteiro, Batatinha pode jogar mais descaído numa ala, acabando invariavelmente por fletir para terrenos mais interiores.

Batatinha promete Bom Futebol no regresso a uma casa que bem conhece

Imagem 2 – Depois de na temporada passada ter dado nas vistas pelos encarnados, Rafael Batatinha está de regresso e promete agitar as redes das balizas adversárias. Fonte: Global Imagens- Hélder Santos

Certo é que os dois jogadores podem ajudar este Santa Clara a ser uma equipa mais concretizadora. A estes jogadores juntam-se Santana, Clemente, Fernando,… jogadores que podem marcar a diferença na frente de ataque da turma açoriana. Batatinha tem vantagem por conhecer a realidade, mas Stephens promete…

Deixe o seu comentário

bomfutebol
Cópia não permitida! Conteúdo protegido por direitos de autor.