-- ------ Taça das Confederações - Rússia vs Nova Zelândia - Bomfutebol.pt
Bom Futebol

Taça das Confederações – 1ª Jornada – Rússia vs Nova Zelândia

Taça das Confederações – 1ª Jornada – Rússia vs Nova Zelândia

Aí está, mais uma edição da Taça das Confederações, que arrancou oficialmente hoje. A equipa da casa Rússia enfrentou o representante da Oceânia Nova Zelândia na 1ª jornada do grupo A.

Rússia 2 – 0 Nova Zelândia

Como sempre, cabe à equipa da casa abrir a competição e o sorteio ditou que defrontaria aquela que é, no papel, a equipa mais fraca do torneio.

Perspectiva do Estádio de São Petersburgo – Fonte: fifa.com

A equipa da casa apresentou-se com uma táctica bastante ofensiva, passando bastante do seu jogo pelos laterais/extremos, que apresentam uma excelente qualidade no que toca a cruzamentos. Apesar dos avançados russos não serem muito altos, o posicionamento de várias unidades e a mobilidade da frente de ataque causaria muitas dificuldades aos neozelandeses, com um meio-campo criativo mas pouco combativo.

Onze inicial da Rússia

Onze inicial da Rússia

Apesar de apresentar uma formação de 5-3-2, a verdade é que os laterais pouco subiram e tentaram sempre fechar a meio, criando uma grande confusão na defesa neozelandesa. A ideia de alimentar o “pinheiro” Wood como pivot para Barbarouses ou Rojas não funcionou e os jogadores da frente estiveram sempre muito desapoiados.

Onze Inicial da Nova Zelândia

Como se esperava e apesar dos maus resultados e exibições da equipa da casa nos últimos tempos, a Rússia assumiu as despesas da casa e começou logo a testar Marinovic, através de Golovin, um dos destaques da equipa russa. Aliás, o leitor irá ver bastante o nome do guarda-redes neozelandês ao longo da crónica. No entanto, aos 7 minutos, foi McGlinchey a cortar em cima da linha o ressalto do cabeceamento de Vasin, que foi ao poste,  e aos 9 minutos Smith a cortar o remate de Polaz em cima da linha. Sem impressionar, a Rússia criava perigo com bastante facilidade nos primeiros 10 minutos.

No entanto, a Nova Zelândia conseguiu organizar-se, dentro das suas limitações, conseguia controlar as acções dos russos. No entanto, aos 30 minutos Dennis Glushakov consegue isolar-se no meio de 3 defesas neozelandeses, a passe de Polaz, e pica a bola por cima de Marinovic. Apesar do esférico bater no poste, a bola entra após bater em Boxall, que tentava cortar o lance. Apesar do pobre espectáculo, o resultado era justo.

Primeiro golo do Jogo – Fonte: Fifa.com

Logo a abrir a segunda parte, Marinovic volta a brilhar após defender um cabeceamento de Polaz e ainda vai a tempo de fazer a mancha a Erokhin, negando o 2º golo à Rússia. Logo a seguir, Marinovic volta a negar o golo a Golovin e Thomas tira o pão da boca a Smolov cortando o ressalto para canto. No início desta segunda parte, ainda é mais claro que apesar de se apresentar em campo com 5 defesas (e note-se que os laterais não sobem, portanto são literalmente 5 defesas) e dos médios fecharem quase junto dos centrais, a Nova Zelândia continuava a apresentar graves erros nas marcações e nas abordagens aos lances. A sorte é que esta Rússia é uma equipa bastante banal, que terá que melhorar muito para se apresentar num bom nível no Mundial 2018…

Voltando ao jogo, o 2-0 apareceu já perto dos 70 minutos, com Smolov a marcar após cruzamento Samedov e de Boxall falhar um corte relativamente simples. O goleador russo só teve que encostar e dar um pouco mais de justiça ao marcador. Mais uma vez, uma péssima actuação da defesa Kiwi, que facilitou a vida aos atacantes russos. E ao minuto 76, aparece a Nova Zelândia! Thomas remata forte fora da área e Akinfeev defende para canto. Canto esse que permitiu a Smith cabecear para Zhikov cortar em cima da linha e assustar as hostes russas.

O jogo não termina sem um último lance que permite a Marinovic (quem mais?!) brilhar, ao defender o remate de Bukharov, que, apesar de sozinho, se atrapalhou e rematou já em cima do guarda-redes, que fez uma excelente mancha.

A Rússia venceu justamente o jogo, que até poderia ter mais expressividade no resultado, apesar de passar a ideia de ser uma equipa banal, imagem que não conseguiu limpar desde o Euro 2016. Por outro lado, a Nova Zelândia confirmou o que já se sabia – é a equipa mais fraca da competição, não apenas em termos técnicos, mas deixou muito a desejar em termos táticos e de tomada de decisão – claro como água nos 2 golos do jogo…

Estatísticas do Jogo

Estatísticas do Jogo – fonte: meuresultados.com

 

Deixe o seu comentário

bomfutebol
Cópia não permitida! Conteúdo protegido por direitos de autor.