-- ------ Um olhar sobre o futebol de formação do outro lado do mundo – Parte 2
Bom Futebol

Um olhar sobre o futebol de formação do outro lado do mundo – Parte 2

Um olhar sobre o futebol de formação do outro lado do mundo – Parte 2

“Palavras levam-nas o vento” e a tão célebre frase proferida por Pimenta Machado “o futebol o que hoje é verdade, amanhã pode ser mentira” são a ilustração perfeita para o início do segundo ano de contrato com a Fengyuan Primary School

 

1. Primeiros dias

O segundo ano de contrato com a Fengyuan Primary School iniciou da pior maneira.

Para além de alguns problemas com o visto de trabalho que fizeram com que tivesse de andar todos os dias a viajar de cidade em cidade, de posto de polícia em posto de polícia e de serviço de entradas e saídas, a organização da época também deu bastantes problemas. Problemas esses que me fazem questionar o comprometimento da Direção da escola em relação ao ensino do futebol. Se o ensino e prática aos/dos jogadores é valorizado ou se o futebol nas escolas não passa de uma questão de egos dos líderes e se o trazer treinadores estrangeiros para as escolas não passa mesmo de um meio de receber o subsídio do Estado.

 

2. A negociação do contrato

Após um primeiro ano no qual bastantes das minhas ideias para promover o futebol na escola foram aceites, realizadas com aceitáveis resultados e até aplaudidas pelos líderes, houve a negociação do contrato.

Aqui, mais uma vez, se revelou a falta de planeamento que por estes lados abunda.

De modo a aceitar renovar o contrato, afirmei que precisava de saber se os objetivos da escola se enquadravam com os meus. Ambiciono sempre mais e, neste caso de formação de base, os meus objetivos passam por fornecer um ensino constante de qualidade aos jogadores(as) de modo a que, caso assim o decidam, possam ter ambições em continuar a prática. O meu único ponto na discussão seria o de providenciar condições para um melhor ensino do futebol e uma prática de futebol constante, desde que entram na escola até à sua saída para o ensino médio, i.e., fornecer todos os escalões em masculinos e femininos desde U8 a U13 sem exceção.

Após várias reuniões nas quais a Diretora e os Vice-Diretores da escola sempre disseram o mesmo, que qualquer planeamento do ano letivo seguinte seria feito no início do próprio (sim, é mesmo assim…até as inscrições para a escola apenas são feitas no primeiro dia de aulas. E eu pergunto-me: como podem saber se vão abrir as turmas previstas? Se precisam de contratar mais professores? Se precisam de mais condições? Mas é isto a China! Planear dá trabalho!), lá houve uma na qual ouviram as minhas propostas e deram a entender que estas iriam ser cumpridas.

Visto que havia essas tais promessas por parte da Direção da escola no qual seriam feitos esforços por cimentar a formação de futebol na escola, e não tendo eu motivos para achar que estas não seriam cumpridas, aceitei de bom grado renovar com a escola.

 

3. O início do ano letivo

Aqui foi onde percebi realmente que afinal as coisas não seriam bem como eles tinham dado a entender no final do ano anterior. Ademais, o que disseram sobre a possibilidade de realizar as minhas propostas tinham sido apenas para me levar a assinar contrato.

Coisas básicas para todos os que trabalham na formação, seja em que continente for, foram descartadas porque dão trabalho ou porque é preciso planeamento.

Criação de uma equipa de MU13 e de uma equipa de WU13: não foi aceite a criação destas equipas porque estes jogadores encontram-se no 6.º ano e por ser esse o ano da realização dos exames para a entrada no ensino médio. Logo, os alunos passam das 7h às 20h na escola, fechados, sempre em contexto de sala, sem ter sequer aulas de educação física para espairecer.

Se calhar, se passassem menos tempo a fazer cerimónias de abertura e de encerramento e as 3 semanas ou um mês que passam a ensaiar coreografias (em tempo de aula) para essas cerimónias, em vez de estarem a dar aulas, bastariam para que no 6.º ano os alunos já soubessem a matéria para os exames e não precisassem de aprender tudo aquilo que deveriam ter aprendido nos outros anos.

Criação de equipa de MU11: outra proposta que não foi aceite pois não vale a pena. Os jogadores que sobem dos MU10 vão direitos para os MU12 e aqueles que não tiverem lugar são dispensados. Se para o ano precisarem deles vão outra vez buscá-los para a equipa, mas com um ano de paragem e consequentemente com toda a quebra no ensino e desenvolvimento que isso acarreta.

Criação de equipas de WU11 e WU10: para quê?! Afinal, se é para estarem numa equipa vão logo para as WU12. Se ainda não estiverem num nível competitivo semelhante às WU12 são dispensadas e ficam um ou dois anos sem jogar e, consequentemente, sem desenvolver as suas capacidades. Com a agravante de a equipa de WU10 criada no final da época anterior de modo a criar bases futuras para as jogadoras poderem vir a integrar a equipa de WU12 ter sido dissolvida.

Criação de equipas de WU9 e WU8: mais uma vez, um desperdício estar a criar equipas quando estas se podem juntar às equipas de MU9 e MU8 e em vez de ter 24 jogadores nessas equipas temos 40 jogadores a treinar dentro de uma grande área de um campo de 8.

E atenção que foi apresentado à escola um plano detalhado de como poderia ser a organização da semana de treinos, dos espaços a utilizar, dos professores que estavam disponíveis para treinar os escalões não competitivos, tudo… Era só aplicar.

Fico à espera de desenvolvimentos sobre as minhas outras propostas, se de facto serão para avançar ou ficam apenas como sugestões de como se faria se levassem a sério o ensino do futebol. Isto ainda com a agravante de este ano, para além das turmas de 6º ano, também as turmas de 5º ano não terem Educação Física.

 

4. Torneio inter-turmas escolar

Esta foi uma das propostas realizadas no ano anterior que será para continuar.

Provavelmente por não ter passado pela Direção, mas sim pelo Departamento de Professores de Educação Física e Treinadores de Futebol, este ano iremos abrir a competição ao escalão Feminino de Grade 6 e aos escalões Femininos e Masculinos de Grade 2, fazendo assim com que ambos os géneros das Grades 2, 3, 4, 5 e 6 irão ter competição e jogos ao longo dos dois semestres.

Inteiramente com regras de Futebol para jogos reduzidos, ao contrário do normal por aqui que é usar regras de Futsal para o jogo de 5, a competição vai-se caracterizar por uma constante evolução na complexidade do jogo.

Para isso, em masculinos, a Grade 2 vai jogar em Futebol de 5, a Grade 3 vai evoluir para Futebol de 6, a Grade 4 em Futebol de 7, Grade 5 em Futebol de 8 e Grade 6 em Futebol de 9.

Em femininos, a Grade 2 vai iniciar em Futebol de 4, as Grades 3 e 4 vão evoluir para Futebol de 5, a Grade 5 em Futebol de 6 e a Grade 6 em Futebol de 7.

O objetivo passa por acrescentar uma complexidade crescente aos jogadores, obrigando-os a reformular as noções de espaço, posicionamento e colegas de equipa/adversários, fazendo com que deste modo sejam obrigados a pensar em novas estratégias de chegar aos objetivos.

 

5. Nem tudo pode ser mau…

Imagem 1 – Equipa de MU10.

Quando ainda estava a recuperar psicologicamente de tudo aquilo que tinha planeado para a nova época e que tinha sido descartado, eis que surge uma novidade boa para animar um bocado.

A equipa de MU10, ao ser vencedora da competição de Yan’an, foi convidada a participar numa competição Regional, se passar numa competição Provincial. Esta competição será realizada em Futebol de 8, ao contrário da competição para MU10, que foi realizada em Futebol de 5 com regras de Futsal.

Explicando melhor, o Distrito de Yan’an e o Distrito de Yulin (que fica a Norte de Yan’an e é o Distrito mais a Norte da Provincía de Shaanxi) irão realizar uma competição para escalões de MU11 em Futebol de 8, no qual participarão 2 equipas de Yan’an e 2 equipas de Yulin.

Esta competição irá decorrer em Yan’an e a equipa que ganhar fica com acesso à competição final, que decorrerá em Xi’an.

Mais uma vez, e detesto estar sempre a bater na mesma tecla, devido à falta de organização e planeamento Chinês, a escola foi avisada desta competição com pouco mais de uma semana de antecedência… Aliás, isso é o que me dizem, porque eu perguntei a data e a resposta que me foi dada foi “- Deve acontecer a partir da próxima semana, eles ainda não decidiram a data!”

 

6. Mais uma época que se avizinha

Apesar de todos estes contratempos, frustrações, indecisões, faltas de planeamentos e muitos outros fatores culturais que impedem um desenvolvimento mais sustentado do futebol por terras chinesas, a verdade é que não trocaria esta experiência por nada.

O facto de estar numa cultura totalmente diferente, com diferentes prioridades e maneiras de pensar, o facto de poder desenvolver o meu trabalho enquanto treinador sem ter os pseudo-treinadores pais do jogadores a fazer a cabeça aos miúdos porque acham que devia ser à maneira deles, e o facto de os jogadores irem para os treinos com uma vontade de aprender e evoluir como nunca vi em Portugal, faz com que tenha a certeza absoluta que é aqui que devo estar.

Todas estas frustrações sobre querer evoluir mais o futebol irão continuar certamente, faz parte da minha natureza querer sempre mais (e no dia em que não for assim abandono o futebol), e enquanto assim for eu sei que pouco a pouco vou tendo uma ou outra coisa feita à minha maneira e estarei um passo mais perto de providenciar uma formação mais adequada aos jogadores.

O futuro agora é mais um ano a fazer tudo para fornecer uma boa formação a estes jogadores. Depois disso, logo se vê se é para continuar ou procurar novas paragens.

 

P.S.1 – após a conclusão deste artigo, aconteceram factos que são importantes referir. A 3 dias da competição Yan’an/Yulin para a qual fomos convidados, recebemos um telefonema a dizer que afinal já não era a nossa equipa que iria competir por Yan’an, mas sim uma Seleção de Zhidan com a Seleção de Yan’an contra as 2 equipas de Yulin.

Isto deve-se ao facto de Zhidan ter esse nome devido a um antigo líder comunista, e o desenvolvimento do futebol nessa cidade ser por decreto do Presidente, logo todas as competições organizadas pelos vários gabinetes de educação de Xi’an são obrigadas a incorporar as equipas de Zhidan mesmo que estas não tenham conseguido a qualificação em campo. O facto de a outra equipa de Yan’an ser uma Seleção de jogadores de Yan’an deve-se ao facto de ser treinada por um elemento com enorme influência dentro do gabinete de educação.

Escusado será dizer que, após esta decisão política, o treinador da equipa de Yan’an veio requisitar os meus jogadores.

P.S.2 – Outra das novidades, esta bem melhor de se ouvir, foi que o Gabinete de Educação de Luochuan está a considerar realizar o campeonato dos diversos escalões existentes em formato de competição regular, primeiro em fase de grupos por proximidade regional e depois por uma fase final com as melhores 8 equipas, em vez de uma competição única realizada em 4 dias como tem sido até agora.

Finalmente sinto que as minhas ideias chegam ao topo da pirâmide, e isto claramente irá permitir uma maior evolução dos jogadores ao terem competição regular espalhada por todo o ano, com a consequente preparação para cada jogo e correção dos erros cometidos no jogo anterior em treino.

Deixe o seu comentário

bomfutebol