-- ------ Um olhar sobre o Mundial: Grupos A a D - Bom Futebol
Bom Futebol

Um olhar sobre o Mundial: Grupos A a D

Um olhar sobre o Mundial: Grupos A a D

Um olhar sobre o Mundial: Grupos A a D

O Mundial Rússia 2018 está prestes a começar, pelo que lançamos um breve olhar sobre cada um dos grupos do maior evento de futebol à escala planetária. Os favoritos de cada grupo, os candidatos a surpresa, numa rápida análise aos oito grupos deste Mundial.

Grupo A

Não é certamente o grupo mais entusiasmante deste Mundial nem o mais fácil de prever um desfecho final. Apesar do fator casa ter quase sempre peso, desta vez, tendo em conta o péssimo registo da Rússia na preparação para o Campeonato do Mundo que organiza, o favoritismo do grupo A vai para o Uruguai. A formação alviceleste, liderada pela dupla Suarez-Cavani, reúne a experiência e a qualidade para garantir o triunfo no grupo, com dois jovens valores a poderem explodir no país dos czares: Torreira e Bentancur.

Porém, o Egito poderá ser a surpresa deste grupo, tudo dependendo da disponibilidade da estrela dos faraós, Salah, que está a recuperar ainda da lesão que o deixou de fora de forma precoce da final da Champions League. Sem Salah, será difícil almejar o apuramento, mas com ele o céu será o limite para os egípcios, que irão tentar deixar de fora a seleção da casa.

A Rússia tem no jovem Golovin a sua estrela maior, num elenco com vários jogadores com experiência de Champions e Liga Europa. O problema é mesmo Cherchesov conseguir fazer deste grupo uma equipa capaz de chegar longe na competição.

Sobra a Arábia Saudita, que é claramente a mais fraca equipa do grupo, de quem pouco ou nada se espera. Mas uma surpresa perante a formação da casa na abertura pode mudar as ambições dos sauditas.

Golovin, com meia Europa no seu encalço, poderá ser o dínamo para a Rússia atingir a fase seguinte.

Golovin, com meia Europa no seu encalço, poderá ser o dínamo para a Rússia atingir a fase seguinte.

Grupo B

O grupo que dois potenciais favoritos: o campeão da Europa, Portugal, e o ex-campeão do mundo e da Europa, Espanha. À partida, as duas formações ibéricas reúnem todo o favoritismo para seguir em frente. E só mesmo uma grande surpresa ditará outro desfecho. Contudo, a abertura logo com o frente-a-frente entre Portugal e Espanha, em caso de vitória de uma das equipas, poderá deixar a outra com menor margem e qualquer erro pode custar a continuação na competição.

A espreitar por fora estarão Marrocos, que regressa ao Mundial, 20 anos após a última presença. A equipa do norte de África poderá ser a surpresa do grupo, com um grupo com alguns jovens talentos, com Ziyech, do Ajax, à cabeça.

O Irão do português Carlos Queiroz fez um percurso quase perfeito na qualificação, com a particularidade de ser uma equipa que praticamente não sofre golos. À primeira vista poderão parecer alvos fáceis para Portugal e Espanha, mas não será uma enorme surpresa se virmos um dos dois ibéricos em apuros para seguir para a fase seguinte. Que não seja Portugal, dizemos nós!

Ronaldo terá pela frente o seu colega de equipa Sérgio Ramos. Que duelo em perspectiva!

Ronaldo terá pela frente o seu colega de equipa Sérgio Ramos. Que duelo em perspectiva!

Grupo C

Tal como no grupo B, duas equipas europeias à cabeça, com a Austrália e Perú (não ia ao Mundial desde 1982!!) a espreitarem por fora o apuramento. Porém, aqui a França é a única clara favorita. Finalista vencida do Euro-2016, os Bleus têm um leque de jogadores de fazer inveja e dificilmente deixarão escapar a vitória no Grupo.

Os dinamarqueses têm também bons jogadores, com destaque para Eriksen, mas a Austrália, com vários jogadores com experiência do futebol britânico e a sempre imprevisível equipa sul-americana do Perú, que alia velocidade e técnica a alguma experiência internacional das suas estrelas, como Guerrero ou Carrillo, poderão conseguir lutar de igual para igual com os do norte da Europa.

Griezmann e Mbappé são duas das várias armas de Deschamps no Rússia-2018

Griezmann e Mbappé são duas das várias armas de Deschamps no Rússia-2018

Grupo D

Um dos grupos mais imprevisíveis deste Mundial. Apesar da Argentina ser sempre a Argentina e ter Messi, a verdade é que o apuramento foi sofrível e as expectativas são baixas para os das Pampas, ao ponto de Messi ter dito que não considerava que a sua seleção favorita.

A Croácia poderá bater-se de igual para igual com a Argentina, com Modric na liderança da equipa dos Balcãs que tem vários jogadores de top dos principais campeonatos europeus. Entre os dois deverá sair o vencedor do grupo, mas não se pode olhar para Islândia e Nigéria considerando que estão de fora da corrida aos oitavos.

A magia africana é sempre uma incógnita, apesar de ser certo que não é a mesma Nigéria de outros tempos, com menos estrelas mas que podem conhecer neste palco o cenário perfeito para se afirmarem mundialmente. Já a Islândia, depois do último Europeu, é conveniente não os tirar da equação.

O seu espírito guerreiro de Vikings surpreendeu tudo e todos em França e poderá repetir a dose na Rússia. Especialmente perante Argentina e Nigéria, onde a componente física pode impor-se à técnica. Um grupo que poderá ter tudo em aberto até ao último apito da última jornada no dia 26.

As camisolas serão outras mas o duelo repete-se entre das duas estrelas maiores do Grupo D: Messi Vs Modric

As camisolas serão outras mas o duelo repete-se entre das duas estrelas maiores do Grupo D: Messi Vs Modric

Deixe o seu comentário

bomfutebol