-- ------ Um primeiro olhar sobre o sorteio do Mundial Rússia 2018 - Bom Futebol
Bom Futebol

Um primeiro olhar sobre o sorteio do Mundial Rússia 2018

Um primeiro olhar sobre o sorteio do Mundial Rússia 2018

Um primeiro olhar sobre o sorteio do Mundial Rússia 2018

Após o sorteio do Mundial Rússia 2018, e apesar de ainda estarmos a longa distância do grande certame do futebol mundial, aqui fica um primeiro olhar sobre o que ditou a sorte às 32 equipas que irão estar a lutar pelo título de campeão do mundo.

Primeira nota de destaque para os dois maiores favoritos ao título. Brasil e Alemanha são claros favoritos nos seus grupos, com a canarinha a ter uma verdadeira passadeira vermelha para a fase seguinte ao ter como adversários a Suíça, Costa Rica e Sérvia, com os helvéticos a parecerem ligeiramente favoritos face aos restantes para acompanharem os brasileiros, apesar da jovem geração sérvia que se sagrou campeã do mundo sub-20 há três anos poder ter uma palavra a dizer, assim como os costa-riquenhos que surpreenderam no último Mundial, apesar de na Rússia não terem o clima a seu favor.

Também os campeões em título parecem ter acesso garantido à fase seguinte mas terão uma réplica ligeiramente superior, com México à cabeça, seguido da Suécia e Coreia do Sul que são os underdogs deste grupo F.

O grupo de Portugal tem um enorme osso para roer, a Espanha, mas as duas formações ibéricas parecem estar já com um pé na fase seguinte dado que o vizinho do norte de África, Marrocos, não parece ser capaz de lhes fazer oposição, enquanto o Irão de Carlos Queiroz poderá criar mais dificuldades, especialmente graças a uma defesa fortíssima, mas dificilmente conseguirá evitar a passagem dos ibéricos.

Outra seleção a quem o sorteio bafejou foi a França que tem a faca e o queijo na mão para vencer o Grupo C. Dinamarca, Perú e Austrália lutarão pelo segundo lugar com nenhuma das três equipas a parecer ter grande vantagem sobre as restantes.

A Argentina de Messi calhou num grupo pautado pelo equilíbrio o que, tendo em conta a fraca prestação no apuramento da turma das Pampas poderá indicar dificuldades para a equipa de Sampaoli garantir uma passagem tranquila. Croácia à cabeça, mas a surpreendente Islândia e a sempre forte e aguerrida Nigéria irão fazer deste o mais próximo que existe de um grupo da morte que no Mundial da Rússia 2018 não existe.

Grupo G é o clone perfeito do Grupo de Portugal e Espanha

O grupo G é o mais similar com o de Portugal, com duas seleções europeias claramente favoritas, Bélgica e Inglaterra, com Tunísia e Panamá a surgirem como claros candidatos a uma passagem sem história no Mundial. As surpresas acontecem, mas parece quase impossível que a única questão no grupo não seja apenas quem o vence, entre belgas e britânicos.

Por fim, os dois grupos sem favoritos, mas que ambos poderão reunir jogos de muito interesse e enorme incerteza sobre quem passa. No Grupo A, o organizador Rússia terá uma tarefa complicada para seguir em frente. Uruguai e Egito têm qualidade para se bater com os russos, com os sul-americanos a serem a mais cotada do grupo, porém a seleção africana que regressa muitos anos depois ao Mundial, poderá ter uma palavra a dizer, liderados pela sua estrela-maior, Salah. A Arábia Saudita é o inevitável candidato à lanterna vermelha.

Já o grupo H será talvez o mais equilibrado de todos, com um nível médio-alto muito interessante, que deixa antever um apuramento decidido até ao último minuto. Polónia, Colombia, Senegal e Japão surgem num plano muito próximo, com os europeus e sul-americanos com ligeiro favoritismo, mas africanos e senegaleses têm qualidade para poder disputar o acesso à fase seguinte até final.

Deixe o seu comentário

bomfutebol