-- ------ Yokohama fura pretensões do campeão - Bom Futebol
Bom Futebol

Yokohama fura pretensões do campeão

Yokohama fura pretensões do campeão

Yokohama F Marinos vence Kashima Antlers e relança corrida pelo título. Fonte: Twitter oficial do Yokohama F Marinos

A quatro jornadas do seu final a Meiji Yasuda J1 League tem os dois primeiros separados por dois pontos. O campeão Antlers foi vergado em Yokohama, mesmo sem a presença do luso Hugo Vieira, lesionado. F Marinos é 3.º e Frontale reduz diferença para o líder, agora a dois pontos. Mais uma vez grandes golos, de todos os feitios, além de passes maravilhosos, como a brutal assistência de Tanaka, o Bom Futebol que o nipónico poucas oportunidades teve para mostrar em Alvalade vê-se na sua liga natal.

A jornada 30 acabou por ser diversificada e divertida, o triunfo do Yokohama F Marinos sobre o Antlers, aliado à vitória do Kawasaki Frontale e a novo tropeço de Reysol, vê o Frontale reduzir para uma diferença alterada num encontro apenas, menos de três pontos e aos de Yokohama subirem ao pódio, numa disputa pelo derradeiro lugar na Liga dos Campeões, com quatro clientes separados, três deles separados por um ponto. 10 anos depois o Japão volta a ter uma equipa na final da prova continental asiática, o Bom Futebol do Urawa Reds eliminou o SIPG de Villas Boas e jogará pelo título e pela presença no Mundial de Clubes.

Yokohama F Marinos 3-2 Kashima Antlers

Sho Ito estreou-se a marcar na J1 League para dar o avanço ao Yokohama F Marinos logo aos três minutos. O jogo estava lançado. Canto muito bem executado por Amano e o ‘substituto’ do lesionado Hugo Vieira a mostrar serviço.

Pouco intenso, ao contrário do habitual, sem capacidade de fazer mossa, o Kashima Antlers entrou a ‘dormir’ e um erro de palmatória de Shoji viu este a ser desarmado e aos 14 minutos Amano dobrava o avanço do Yokohama.

A importante presença na Liga dos Campeões de 2018 voltava a estar dentro do espaço classificatório do F Marinos.

Quando parecia tudo controlado, um canto para os visitantes vê subirem à área os defesas do Kashima Antlers e após um duelo aéreo ganho pelo Antlers, o defesa esquerdo Yamamoto reduz para 2-1. O árbitro apita para o descanso com o encontro relançado.

As bolas paradas faziam toda a diferença e aos 66 minutos um novo canto visitante observa o central Ueda subir e empatar a dois. Depois de dominar a primeira metade, o Yokohama F Marinos via-se igualado. Boa resposta do Kashima Antlers.

Uma bela movimentação ofensiva de Yamanaka, um lateral esquerdo cheio de vigor, a galgar metros, assiste o suplente Endo, Keita Endo, avançado de 19 anos que exibe dotes bem interesantes, este desmarca-se, rodopia para o lado inverso, tirando um defesa da frente, remata e a noite de pesadelo de Shoji vê-o introduzir o esférico na própria baliza, não conseguindo aliviar o remate.

O Yokohama F Marinos vencia a partida, subia a 3.º e relançava a corrida, a dois, pela Meiji Yasuda J1 League.

Sanfrecce Hiroshima 0-3 Kawasaki Frontale

Nakabayashi bem procurou adiar o golo visitante, mas as suas defesas de pouco valeram. O Sanfrecce Hiroshima cai novamente para a zona de descida depois desta derrota. Já o Frontale relança-se na corrida pelo título com a derrota do Antlers em Yokohama.

A partida começou com sentido único, o Frontale a tentar marcar e Nakabayashi a somar defesas de topo nas redes do Sanfrecce.

Aos 15 minutos responde finalmente o Sanfrecce e é o sul-coreano Jung a defender por instinto, ainda apoiado pela barra. Jung acaba por sair lesionado numa jogada em que é anulado um golo aos de Hiroshima, decorrida meia hora de jogo.

Depois de excelentes paradas, é um erro de Nakabayashi, a largar a bola, que permite a Taniguchi inaugurar o marcador. Aos 40 minutos o Frontale adiantava-se no encontro.

É já nos descontos do primeiro tempo que o miúdo Miyoshi remata à entrada da área para conseguir um belo golo. O Frontale saía para o descanso com 0-2 no seu bolso.

A segunda metade foi do Sanfrecce, mas os de Hiroshima não tinham meio de acertarem na baliza à guarda, agora, de Arai.

O guardião suplente Arai acaba por assistir o terceiro, um passe longo com abordagem pobre do defesa contrário, vê Kobayashi apontar o o 0-3 aos 85 minutos. O Frontale estava novamente distanciado por menos de três pontos do campeão e líder. O habitual frenético, imprevisível e Bom Futebol da Meiji Yasuda J1 League em pleno vigor.

Cerezo Osaka 2-0 Ventforet Kofu

Mais um duelo entre uma formação do topo da tabela, o promovido Cerezo Osaka, e um clube a lutar pela manutenção.

Sugimoto bisa e segue na luta pelo título de melhor marcador da competição. São já 19 golos.

O primeiro tento surge logo aos cinco minutos, num bom envolvimento entre Kakitani e Sugimoto. A dupla ofensiva combina de forma perfeita.

No inicio da segunda metade uma grande penalidade permite a Sugimoto bisar e ao Cerezo Osaka aproximar-se novamente da derradeira posição qualificativa para a prova continental.

Omiya Ardija 1-1 Kashiwa Reysol

Kato apresentou-se bem nas redes do Omiya Ardija, em zona de descida, e adiava o golo ao Reysol.

Numa primeira parte onde os visitantes se revelaram claramente superiores, o golo acaba por surgir em cima do intervalo. O brasileiro Ramon Lopes assegurava o pódio parcial ao Reysol no descanso. Excelente jogada na direita do sul-coreano Bo-kyung Kim e centro perfeito para a concretização do ‘canarinho’.

A segunda metade continuou a ser predominantemente dos visitantes, com Kato a impedir o avolumar do marcador.

O primeiro ameaço da casa surge aos 83 minutos e um aparatoso voo de Nakamura a manter a sua baliza virgem. Esaka na finalização, Nakamura na brilhante defesa.

Um livre nos descontos vê Mateus executar com mestria, o Ardija igualava inesperadamente o encontro, um ponto na desesperada luta pela permanência. Já o Reysol caía para 5.º depois de dominar todo o desafio.

Jubilo Iwata 2-2 Albirex Niigata

Quem perdeu a oportunidade para se aproximar do 3.º lugar foi o Jubilo Iwata, que acabou por ceder um inesperado empate em casa diante do já condenado Albirex Niigata, agora a 12 pontos da linha de água com esses mesmos por disputar.

Olhando para a posição de ambos os conjuntos na tabela, ninguém diria que havia tanta diferença face ao equilíbrio apresentado.

Combinava bem o Jubilo Iwata, mas é o último a marcar primeiro. Roni abre o activo aos 25 minutos. Uma boa combinação é beneficiada por dupla tabela em defesas e Roni está no sítio certo para concluir.

Claro que Nakamura está sempre presente e é um livre seu que tem em Ohi o finalizador para o empate aos 39 minutos.

Um erro crasso na saída de bola, perto da linha final, permite ao Albirex Niigata voltar a marcar. Roni ganha, centra de imediato e Kawata finaliza para o 1-2 nos descontos do primeiro período. Apesar praticamente despromovido, o Albirex Niigata continuava agarrado às máquinas com esta vitória marginal.

O Jubilo Iwata atacava em busca da igualdade, porém parecia fadado à derrota, a baliza fugia da mira dos da casa.

Entra-se nos descontos, livre lateral já sem Nakamura, os dois suplentes utilizados, Matsuura e Ueda, posicionam-se para o bater, Ueda centra e emerge Adaílton para o 2-2.

Acabam os dois por perder, os de Niigata ficam com 12-12 e a despromoção é cenário real. Uma pena para o primeiro clube da J1 League a ultrapassar a média de 40 mil/jogo, em 2005, voltando ao escalão secundário – onde também bateram os recordes de assistência – depois de 13 anos na J1. O Jubilo Iwata de Nakamura podia ter aproveitado o deslize do Reysol para ficar a dois pontos da zona de qualificação continental, mas não tirou partido disso.

Urawa Reds 3-3 Gamba Osaka

A aposta na Liga dos Campeões Asiáticos trouxe os melhores frutos aos de Saitama, finalistas da prova, qualificação obtida a meio da semana. Para o Gamba Osaka é mero calendário actualmente, já sem objectivos na liga.

Assim sendo, esperava-se um jogo animado, o que acabou por suceder, seis golos e um entretido empate.

Por três vezes os da casa se adiantaram, sempre empatados pelos visitantes, com o derradeiro golo a surgir numa das alturas mais animadas da liga, os descontos. Questão para dizer que nunca é tarde na Meiji Yasuda J1 League!

Depois do nulo na primeira parte, a animação completa chegou na segunda.

O tento inaugural resulta de uma sumptuosa combinação entre Aoki e Koroki, com o brasileiro Rafael Silva, em forma, a aproveitar e apontar o 1-0.

Um livre lateral de Hatsuse, mais um jovem a surgir em força na J1, é esticado ao segundo poste, Endo responde e Hwang conclui para o empate. menos de cinco minutos depois do golo da casa surge o empate.

Rafael Silva estava animado pelo golo que valeu a final continental e tem uma conclusão de classe para o 2-1. Contudo, novamente a liderança foi curta, três minutos depois o jogo estava outra vez empatado. Kurata no passe e Akasaki numa foiçada de primeira! O delírio tomava conta das bancadas com tanta qualidade.

Bola no espaço por Kashiwagi, Koroki a surgir e a fazer o 3-2. Em 23 minutos o estádio havia assistido a cinco tentos e o Urawa Reds entrava para os 15 minutos finais com vantagem.

Novamente Hatsuse na bola parada, canto, Goya a subir e a igualar. Com pouquíssimos minutos na liga, o avançado Goya entrou para dar um ponto aos forasteiros.

Vissel Kobe 1-2 Sagan Tosu

Empatados em pontos no meio da tabela, Vissel e Sagan protagonizaram um animado duelo. Podolski voltou a marcar, no entanto tal não foi suficiente para conferir pontos aos de Kobe.

Até é o Vissel Kobe a abrir a contagem. Matsushita desenvolve bem na esquerda, centra para a área, o ex-leão Tanaka ‘peita’ com classe para Podolski, a fazer um chapéu a um defesa com isso, e este faz o 1-0. Que grande jogada do Vissel. Um momento para ver e rever.

A brutal assistência de peito de Junya Tanaka. Fonte: YouTube

Nem cinco minutos depois, uma grande penalidade é convertida por Ibarbo e o empate estava no marcador.

Ibarbo mostra-se bem mais do que mero concretizador e denota qualidade a toda a linha da frente de ataque, segura, dribla, passa.

Harakawa bate o canto e eleva-se o central sul-coreano Kim para a remontada completa, ainda na primeira metade.

Apesar das oportunidades que se sucederam, não mais se alteraria o desfecho da partida.

FC Tóquio 1-2 Consadole Sapporo

Quarto jogo seguido a pontuar, segunda vitória consecutiva e os do norte dão um passo gigantesco rumo à manutenção, depois de uma temporada quase completa na zona vermelha.

Os visitantes entraram carregados de atitude e sucediam-se situações de apuro perto das redes de Okubo, que defendia o que lhe surgia pela frente.

Arano, por exemplo, tem uma ‘ressaca’ do meio da rua e Takuo Okubo impede o golo. Okubo é debutante na J1 em 2017, a realizar o seu quarto encontro, depois de anos na J2, primeiro no Yokohama FC, depois no JEF United e finalmente no V-Varen Nagasaki, franquia ao qual foi contratado pelo FC Tóquio.

Depois do nulo ao intervalo, volta a ser Bothroyd decisivo. O inglês faz o 0-1 logo a abrir a segunda parte da partida.

Apesar do golo sofrido, Okubo continuava em grande e desta feita realiza grande parada a livre de Fukumori.

Acaba por ser um cabeceamento muito puxado ao chão de Bothroyd, com a bola a subir bastante depois de ressaltar no relvado, a realizar o 0-2.

Numa jornada com muitos tentos sul-coreanos, o melhor que os da capital conseguiram foi minimizar a diferença através de Hyun-soo Jang, o central ‘xerife’ da linha recuada a três do FC Tóquio, equipa à qual ainda pertence uma das estrelas da Liga NOS, Nakajima.

Vegalta Sendai 0-0 Shimizu S-Pulse

Com ambos os clubes ainda não salvos da descida, este foi um encontro nervoso, todavia as oportunidades sucederam-se em ambas as balizas, contudo Seki e Rokutan superaram todas as tentativas.

O nulo foi o resultado final. O Vegalta tem nove pontos de salvaguarda sobre a zona de despromoção. Já o S-Pulse apenas leva três acima do trio que descerá em 2017. Prevê-se um final de liga muito apertado.

Assim vai a tabela após 30 rondas. Fonte: Sporticos

A próxima jornada tem encontros muito suculentos. O Kawasaki Frontale visita o Kashiwa Reysol, o Yokohama F Marinos desloca-se ao terreno do Jubilo Iwata, enquanto Kashima Antlers viaja até à instância invernal de Sapporo, com chuva e temperatura mais baixa em previsão.

No que concerne à descida, o Albirex Niigata recebe o tranquilo Sagan Tosu, o Omiya Ardija viaja ao terreno do Cerezo Osaka, a disputar a vaga continental, o Sanfrecce Hiroshima acolhe os celebrantes Urawa Reds, já o Ventforet Kofu acolhe o Vissel de Podolski e o Shimizu S-Pulse visita o FC Tóquio.

Deixe o seu comentário

bomfutebol